24 de jul de 2017

Família Teixeira de Castro - Parte 9

Família Teixeira de Castro

O patriarca de dois ramos formados no Brasil desta família foi Joaquim Antônio Teixeira de Castro, que nascera por volta de 1816, no Norte de Portugal, onde também iniciou estudos para se tornar padre. Estudos estes já bem adiantados em 1836, interrompidos por ter sido expulso da entidade religiosa. O motivo teria sido um desentendimento havido com um padre do corpo docente do colégio. Tornando-se sobremaneira persona non grata no reino português, por ser a religião então unida ao estado. Ele acabou indo para a vizinha região da Galiza. Tinha conhecimentos referente à agricultura que trouxe da família e também da fabricação de pães e outros produtos derivados da farinha de trigo, adquiridos na padaria do colégio.1,4,6
Entrementes, já havia uma conterrânea sua de nome Constança Maria da Conceição, que muito o amava e com ele sonhava ter um lar. E logo no reencontro, após ele ter deixado os estudos, iniciaram um planejamento para dar um novo rumo em suas vidas. Mas, como se tornou impossível naquelas circunstâncias organizarem suas vidas em Portugal, fizeram então um pacto: o de virem para o Brasil e aqui se casarem e viverem. E em 1836, para poder viajar, ele alterou alguns dados seus, tirando o seu passaporte como sendo natural da vizinha Galiza e resolveu vir primeiro do que ela para o Brasil.1
E foi num domingo, dia 01 de janeiro de 1837, dizendo contar apenas, dezoito anos de idade, que Joaquim Antônio Teixeira de Castro zarpou da cidade do Porto com destino ao Brasil pela galera Lusitano – que era um tipo de embarcação de três mastros com grandes velas arredondadas. Desembarcou no porto do Rio de Janeiro, no dia 21 de fevereiro de 1837, uma terça-feira de lua cheia, depois de exaustivos 51 dias de viagem, isto provavelmente por causa das paradas programadas e também pelas calmarias da Costa da África. Joaquim Antônio Teixeira de Castro era pela relação de passageiros, o de número 105, dentre os 124 que vieram desconfortavelmente na embarcação.2
Numa quarta-feira, dia 08 de março de 1837, depois de transcorridos quinze dias da sua chegada ao Rio de Janeiro, ele compareceu ao Escritório de Controle de Imigrantes da Polícia da Corte e disse que morava por ora na Lapa do Desterro, número 19, trabalhando numa padaria. Já nas anotações que se encontram à margem direita do mesmo documento constam que ele era possuidor das seguintes características pessoais: trigueiro (moreno claro), de estatura ordinária (normal), de cabelos castanhos, olhos pardos, nariz e boca regulares.3
A Lapa do Desterro, onde ele provisoriamente passou a residir e a trabalhar, era um lugar muito frequentado pelos portugueses recém-chegados à cidade do Rio de Janeiro. Era na época a parte da Cidade que mais havia se desenvolvido desde o fim do reinado de Dom João VI. A referida Rua Lapa do Desterro, começava na igreja de Nossa Senhora do Carmo e ia até a Rua Direita, no centro da Capital do País.
Depois vamos encontrá-lo já por volta ano de 1840, estabelecido em Magé, na então Província do Rio de Janeiro,4 convivendo estável e conjugalmente, com Constança Maria da Conceição,5 que chegou de Portugal depois dele; sem tampouco oficializarem o casamento religioso nos anos subsequentes.1
Em Magé nasceram os filhos: Maria Joaquina de Castro, por volta de 1841;5 João Zeferino de Azevedo Castro, em 1844 aproximadamente,6,7 e Ana de Azevedo Castro.1 Dentre estes, só a Ana permaneceu solteira, enquanto os outros dois vieram a se casar,1 e lhes deram 13 netos.
A família transferiu-se para Minas Gerais provavelmente no início da década de 1850, estabelecendo-se numa área bem próxima do local onde se formou o Distrito de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina. Pelo ano de 1855 faleceu Constança Maria da Conceição, que contava apenas cerca de 37 anos de idade e após 15 anos de vida conjugal.
Viúvo com três filhos ainda na menoridade, Joaquim Antônio Teixeira de Castro, já com cerca de 41 anos de idade, casou-se em 1856, com Carolina Augusta de Siqueira, viúva sem filhos do capitão Lucas, proprietário da fazenda Sossego (já demolida), situada também naquelas cercanias.1
Joaquim Antônio Teixeira de Castro foi proprietário do sítio Gratidão, situado no lugar então denominado “Córrego do Rocha”, adquirida de Antônio Gomes da Rocha, provavelmente desmembrada da sesmaria de Manuel Gonçalves da Rocha.8 Esta referida sede já foi demolida há muitos anos.
Além de ajudar a criar os três enteados, chamados: Maria Joaquina, João Zeferino e Ana, a Carolina Augusta de Siqueira Castro deu-lhe mais seis filhos, que foram os seguintes: Antônio Augusto, Maria Luíza, José Augusto, Francisco Augusto, Joaquim Antônio e Luiz Augusto.1 Dentre os quais, exceto o Francisco Augusto que faleceu ainda criança, os outros cinco chegaram à idade adulta e se casaram. E estes geraram mais 39 netos; totalizando portanto 52 netos.1
Carolina Augusta de Siqueira Castro morreu num domingo, dia 14 de novembro de 1880, na sede do sítio Gratidão,9 distante poucos quilômetros, da estação ferroviária de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Presumimos que ela tenha falecido com cerca de 53 anos de idade e tinha cerca de 24 anos de casada.
Já, o Joaquim Antônio Teixeira de Castro morreu numa terça-feira, dia 31 de janeiro de 1893, às 11 horas e 30 minutos, em domicílio no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Pelo registro de óbito, contava 76 anos de idade.79

Capítulo 1 – Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Constança Maria da Conceição.
§ 1 – Maria Joaquina de Castro casada com
Mariano Carvalho da Costa.
§ 2 – João Zeferino de Azevedo Castro casado com
Leopoldina Telles de Freitas.
§ 3 – Ana de Azevedo Castro. Solteira.

Capítulo 2 – Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Carolina Augusta de Siqueira Castro.
§ 4 – Antônio Augusto Teixeira de Castro casado com
Martiniana Maria de Jesus.
§ 5 – Maria Luiza Teixeira de Castro casada com
Antônio Olímpio do Canto Brum.
§ 6 – José Augusto Teixeira de Castro, antes do
casamento, com Justina Alves de Souza.
§ 7 – José Augusto Teixeira de Castro, antes do
casamento, com Eulália Maria da Conceição.
§ 8 – José Augusto Teixeira de Castro casado com
Francisca Alminda de Almeida.
§ 9 – Francisco Augusto Teixeira de Castro. Falecido
ainda criança.
§ 10 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro Filho
casado com Maria José de Almeida.
§ 11 – Luiz Augusto Teixeira de Castro e sua primeira
esposa, Maria Teresa Pacheco Vieira.
§ 12 – Luiz Augusto Teixeira de Castro e sua segunda
esposa, Julieta Vasques de Miranda.

Família Teixeira de Castro – Capítulo 2
Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Carolina Augusta de Siqueira Castro.

Joaquim Antônio Teixeira de Castro ficando viúvo por volta de 1855, casou-se em 1856, com Carolina Augusta de Siqueira, viúva sem filhos do capitão Lucas, que fora proprietário da fazenda do Sossego – sede já demolida – que ficava situada na região onde se originou o Distrito de Providência, no Município de Leopoldina (MG),1 passando então a se chamar Carolina Augusta de Siqueira Castro. Sendo esta nascida em Minas Gerais, por volta de 1830, pouco mais ou menos e que morreu no dia 14-11-1880, domingo – depois de aproximadamente 24 anos de casada – na sede do sítio Gratidão, local que fica situado próximo também do Distrito de Providência.9 Joaquim Antônio Teixeira de Castro morreu no dia 31-01-1893, terça-feira, aos 76 anos de idade.10 Seus corpos jazem sepultados no cemitério de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.
Ascendência da esposa:
1 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. Ela é natural do lugar denominado Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em área hoje pertencente ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [2] Francisco Antunes de Sequeira e de [3] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor (I) Joaquim Antônio Teixeira de Castro, viúvo que ficara de Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.1,9,15
Pais:
2 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido no ano de 1808 na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Estado de Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [3] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Ele era filho de [4] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [5] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa.1,15,16,17,19
3 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida no ano de 1810 e foi batizada pelo padre Antônio Rodrigues Lobato na ermida do Bandeira, situada em área formadora do Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 15-06-1810, sexta-feira, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [13] Mariana Angélica Gonçalves. Casada com [2] Francisco Antunes de Sequeira. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se verifica em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima do alferes (6) Francisco Gonçalves Couto e de [7] Ana Zeferina Côrtes.1,15,18
Avós paternos:
4 – Manuel Antunes de Sequeira. Filho legítimo de [8] Francisco Antunes de Sequeira e de [9] Teodósia Dias Pereira, nascido no início do ano de 1778, na sede do sítio Ribeirão do Papagaio, em Santana dos Montes, Minas Gerais; e foi aí batizado na capela do Morro do Chapéu no dia 21-03-1778, sábado. Casou-se em 05-11-1804, segunda-feira, na ermida de Nossa Senhora das Dores do Curral Velho, situada em terras do atual Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, com [5] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. O casal foi proprietário na Boa Vista, na então freguesia de Barbacena, em área hoje pertencente ao Município de Piau, Minas Gerais. Ele faleceu com 63 anos e cerca de 4 meses de idade, no dia 17-06-1841, quinta-feira, em Santana dos Montes, Minas Gerais.16,17,19
5 – Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. Filha legítima de [10] Manuel Francisco Rosa e de [11] Maria do Rosário, natural da então Capitania de Minas Gerais. Casada com [4] Manuel Antunes de Sequeira. Ela mais tarde passou a usar o nome: Ana Maria de Jesus. O casal gerou seis filhos, todos nascidos na Boa Vista, em área pertencente hoje ao Município de Piau, Minas Gerais, que foram: 1) Manuel Antunes de Sequeira nascido em 22-04-1806 e casado com Maria Pereira Zebral, esta natural da freguesia de São Martinho, Trás-os-Montes, Portugal, falecida por volta de 1851, filha do capitão Domingos Pereira Zebral e Maria Teresa de Jesus e neta paterna de Manuel Gonçalves de Castro e Ana Fernandes; 2) Maria Carolina do Rosário batizada em 02-04-1807 e casada em 30-10-1826 com o capitão Manuel Pereira de Assis Alvim batizado em 26-12-1796, este filho do capitão-mor José Pereira de Alvim e Quitéria Umbelina Gomes Ferreira e neto paterno de Gervásio Pereira de Resende Alvim nascido na sede da fazenda do Engenho em Carrancas, Minas Gerais e de sua conterrânea Ana Antônia de Paiva; 3) Francisco Antunes de Sequeira batizado em 12-07-1808 e casado com Francisca Carolina Gonçalves Côrtes batizada em 15-06-1810, casal este que faz parte deste relatório; 4) Ana Antunes de Sequeira nascida em 07-09-1809 e casada com o tenente Prudente José Correia; 5) Eufrásia Felismina batizada em 12-05-1811 e casada com José Ferreira Armond; e 6) Custódio José Antunes de Sequeira batizado em 28-02-1813.16,17,19,20,21,22,23,24,25,26
Avós maternos:
6 – Francisco Gonçalves Couto. Alferes, nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Casou-se no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras do atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [7] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste relatório. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto casou-se pela segunda vez com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do Guarda-Mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, mineira de Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
7 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais. Foi primeira mulher de [6] Francisco Gonçalves Couto; já a segunda foi Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira.15,18,27,29,31
Bisavós:
8 – Francisco Antunes de Cerqueira. Nascido por volta de 1727, em Aboim da Nóbrega, Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal. Casou-se com [9] Teodósia Dias Pereira no dia 08-02-1762, segunda-feira, no oratório de Nossa Senhora do Rosário do sítio do Cará, dos pais da noiva, na então freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo (Barbacena). Mais tarde o seu nome se transformou em Francisco Antunes de Sequeira. Ele faleceu em 1789 na sede do sítio Ribeirão do Papagaio, em Santana dos Montes, Minas Gerais.16,19,30,33
9 – Teodósia Dias Pereira. Foi batizada no dia 12-02-1747, domingo, na capela de Nossa Senhora da Ajuda do Faria, na freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais.16,19.30,33
10 – Manuel Francisco Rosa.16
11 – Maria do Rosário. 16
12 – Manuel Gonçalves Couto. Guarda-Mor, nascido e batizado por volta do ano de 1745, na freguesia de Gondomil, Valença, Portugal. Casou-se em Itaverava, Minas Gerais, com [13] Mariana Angélica Gonçalves. Ele faleceu por volta do ano de 1815 em Minas Gerais.15,19,27,29,32
13 – Mariana Angélica Gonçalves. Nascida em Itaverava, Minas Gerais. Faleceu por volta de 1813 em Minas Gerais.15,19,27,29,32
14 – Antônio Gonçalves Côrtes. Nascido no dia 13-10-1738, segunda-feira, em Moreira do Rei, Portugal. Faleceu em 04-01-1805, sexta-feira, na sede da fazenda Contramestre, em terras hoje pertencentes ao Município de Carandaí, Minas Gerais. Seu corpo desceu à sepultura no dia 05-01-1805, sábado, junto à porta principal da capela de Nossa Senhora da Glória, em Carandaí; contava 66 anos, 2 meses e 22 dias de idade. 15,27
15 – Ana Gonçalves Rodrigues. Nascida no dia 06-03-1760, quinta-feira, na então freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais. Tinha 18 anos, 5 meses e 15 dias de idade ao se casar com Antônio Gonçalves Côrtes numa sexta-feira dia 21-08-1778, na capela de Nossa Senhora da Glória, na atual Carandaí, então filial da matriz de Nossa Senhora da Conceição de Prados, Minas Gerais. 15,27
Trisavós:
16 – Francisco Antunes. Natural de Aboim da Nóbrega, no Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal.19,30,33
17 – Isabel de Cerqueira. Também natural de Aboim da Nóbrega, Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal.19,30,33
18 – Jacó Dias de Carvalho. Nascido em São Tiago de Anhões, Monções, Viana, Portugal, onde foi batizado na igreja de São Tiago no dia 29-10-1691, domingo. Veio para o Brasil onde se casou em Taubaté quando tinha 34 anos e cerca de 2 meses de idade, com [19] Francisca Pereira da Silva. Transferiu-se com a esposa para Minas Gerais onde fundou o sítio do Cará, no atual Município de Diogo de Vasconcelos, onde nasceram-lhe os filhos. Faleceu na sede de seu Sítio, no ano de 1731, com a idade de 39 para 40 anos.28,33
19 – Francisca Pereira da Silva. Nascida em Taubaté, São Paulo, onde também foi batizada no dia 19-04-1705, domingo. Casou-se também em Taubaté, São Paulo, em 04-01-1726, sexta-feira, com a idade de 20 para 21 anos. Faleceu no dia 10-09-1765, terça-feira, na sede do sítio do Cará, localizado em área pertencente ao Município de Diogo de Vasconcelos, Minas Gerais. Ela contava 60 anos e cerca de 5 meses de idade. Seu corpo jaz sepultado dentro da matriz de Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena, Minas Gerais.28,33
24 – Joaquim Gonçalves. Portugueses moradores em Gondomil, Valença do Minho.19
25 – Maria Rodrigues. Natural de Portugal.19
28 – Manuel Côrtes. Nascido no dia 24-04-1707, domingo, em Moreira do Rei, Portugal, onde se casou aos 26 anos, 7 meses e 8 dias de idade, com [29] Maria Gonçalves. Morreu aí no dia 24-06-1760, terça-feira, aos 53 anos e 2 meses de idade. O Manuel Côrtes era filho legítimo dos portugueses, [56] Antônio Côrtes (??-09-1669—17-12-1746) e de [57] Luzia Novais (13-12-1672—26-07-1712), casados em 13-12-1705, domingo; sendo ele natural de Moreira do Rei e ela de Areal.15
29 – Maria Gonçalves. Nascida em 09-02-1708, quinta-feira, em Vilela, Bemposta, Portugal. Casou-se em 07-12-1733, domingo, em Moreira do Rei, Portugal, com [28] Manuel Côrtes; e tinha então: 25 anos, 9 meses e 28 dias de idade. Era filha legítima dos portugueses, [58] Pedro Gonçalves (31-01-1673—12-03-1732) e de [59] Francisca Gonçalves (02-10-1674—19-02-1720), casados em Moreira do Rei, no dia 29-09-1706, quarta-feira; sendo ambos naturais de Vilela, Bemposta e falecidos em Digão, Vilela.15
30 – João Rodrigues Vale. Nascido pelo que dizem, no dia 15-04-1728, quinta-feira, em São Martinho de Ruivães, Vieira do Minho, Braga, Portugal. Casou-se no Brasil aos 22 anos de idade, com [30] Isabel Ribeira. E faleceu em Barbacena (MG) no dia 22-06-1781, sexta-feira, aos 53 anos, 2 meses e 7 dias de idade, após completar 30 anos e 4 meses de casado. João Rodrigues Vale era filho legítimo dos portugueses: [60] João Rodrigues também chamado por João Rodrigues da Eusébia, nascido no dia 14-05-1691, segunda-feira e de [61] Joana Gonçalves nascida em 08-02-1686, sexta-feira; e que se casaram no dia 13-05-1716, quarta-feira.15,35
31 – Isabel Ribeiro de Lima também chamada de Isabel Ribeira. Foi batizada em 19-11-1738, quarta-feira, na capela de São José do Ribeirão de Alberto Dias, na atual cidade de Ressaquinha, Minas Gerais. Casou-se com [30] João Rodrigues Vale, em Barbacena (MG) no dia 22-02-1751, segunda-feira, com a idade de 12 para 13 anos. Ela faleceu no dia 25-11-1823, terça-feira, em Barbacena, Minas Gerais; passados 42 anos, 5 meses e 2 dias em estado de viuvez. Isabel Ribeiro de Lima era filha legítima de [62] Manuel Machado Pestana, natural de Nossa Senhora do Rosário, ilha de São Jorge, nos Açores e de [63] Ana Francisca Garcia, natural da Vila de São José, atual Tiradentes, Minas Gerais; e que se casaram no dia 16-04-1736, segunda-feira, na igreja de Nossa Senhora da Piedade, na atual cidade de Barbacena, Minas Gerais, Brasil.15,34,35




§ 11 Luiz Augusto Teixeira de Castro e primeira
esposa Maria Teresa Pacheco de Castro.
     
II-9 Luiz Augusto Teixeira de Castro. Filho caçula do patriarca Joaquim Antônio Teixeira de Castro, nascido no dia 01-06-1867, sábado, na sede do sítio Gratidão, situado no lugar então denominado Córrego do Rocha, no entorno do atual Distrito de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais; e que foi batizado no dia 13-06-1868, sábado, pelo Padre José Manuel Esteves, na ermida da vizinha fazenda Trimonte, em que foram padrinhos: Luiz de Souza Brandão e Marceliana de Magalhães Brandão, que se fez representar por procuração apresentada pela senhora Herculana Alexandrina Xavier de Mendonça.
Ele era popularmente chamado de "Luizinho de Castro". Ainda jovem e solteiro, ele passou a morar na vila de São Luiz, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. E no Distrito de São Luiz, hoje Trimonte, ele e seu irmão Joaquim Antônio Teixeira de Castro Filho fundaram em sociedade a firma comercial "Joaquim Antônio Teixeira de Castro & Irmão", um sortido armazém de secos e molhados e artigos de armarinhos, que passou a funcionar num dos prédios ao lado das casas onde moravam o Joaquim com a família e ele, situado na estrada, já na chegada da referida vila; uma via de acesso a diversas fazendas da região, como Bonfim, Santo Antônio e outras daquela região.
Ele se casou duas vezes. Em primeiras núpcias, no dia 19-12-1891, sábado, na sede da fazenda Santo Antônio, que dista cerca de quatro quilômetros e meio do centro desta mesma Vila, com Maria Teresa Pacheco Vieira "Mariquinha" para os íntimos; que adotou o nome: Maria Teresa Pacheco de Castro. Ele, com 24 anos, 6 meses e 18 dias de idade; e ela, com 18 anos, 10 meses e 10 dias. O casamento foi presidido pelo Juiz de Paz, Gaspar Lopes dos Guimarães Suzana, tendo servido como testemunhas: Custódio Pereira da Costa e Manuel Soares de Gouveia.
A Maria Teresa nasceu no dia 22-01-1873, quarta-feira, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, atual cidade de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro; e sendo aí também batizada no dia 13-04-1873, domingo, na matriz de Nossa Senhora da Conceição, pelo Padre Alexandre Pires de Carvalho, tendo como padrinhos o seu tio materno, Manuel Pereira do Amarante com a esposa Maria Soares do Amarante. Ela tinha mais quatro irmãos: 1) Leopoldina Pacheco Vieira casada com Casimiro Antônio Vidal Júnior, sendo estes bisavós do ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Doutor Wellington Moreira Franco; 2) Antonieta Pacheco Vieira casada com Maturino Evangelista de Carvalho, casal que na década de 1910 se transferiu para Muqui, no Estado do Espírito Santo; 3) João Pacheco Vieira casado com Ana Vasques Vieira (Ana Vasques de Miranda); e 4) Francisco Pacheco Vieira casado com Rita de Cássia Moreira Pacheco (Rita de Cássia Moreira).
Ela faleceu na sede da fazenda São Manuel – de seus pais, no atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, no dia 01-03-1899, quarta-feira, às 3 horas da madrugada, em decorrência de um tumor no seio (câncer de mama); contava apenas 26 anos, 1 mês e 7 dias de idade e 7 anos, 2 meses e 10 dias de casada. Seu corpo foi sepultado à tarde do mesmo dia no Cemitério Público de Trimonte. Antes de falecer ela pedira ao marido que desse o filho caçula para ser criado pelos seus avós maternos, Manuel Pacheco Vieira e Victoria Maria do Amarante; e que ele arranjasse uma moça prendada para se casar e criar os outros dois filhos.9,14,29,53,60,61,62,63
Ascendência da esposa:
1 – Maria Teresa Pacheco Vieira (22-01-187301-03-1899). Em virtude do casamento em 19-12-1891, adotou o nome: Maria Teresa Pacheco de Castro.14,61,62,63
Pais:
2 – Manuel Pacheco Vieira. Nascido no dia 30-05-1844, quinta-feira, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje, Município de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro; e que foi aí batizado em 02-04-1850, terça-feira, pelo Padre Manuel del Freitas, tendo como padrinhos: Dimas Ferreira da Rosa e Nossa Senhora da Conceição, por invocação. Casou-se no dia 13-04-1869, terça-feira, aos 24 anos, 10 meses e 14 dias de idade, nesta dita matriz com a sua conterrânea [3] Victoria Maria do Amarantes. Depois de cerca de seis anos de casado transferiu-se com a família para Minas Gerais, onde foi próspero fazendeiro. Ele faleceu no dia 09-08-1914, domingo, na sede de sua fazenda São Manuel, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais; tendo o seu corpo sido sepultado no túmulo da família no cemitério público de Trimonte. Contava 70 anos, 2 meses e 10 dias de idade e 45 anos, 3 meses e 27 dias de casado.61,62,69,96
3 – Victoria Amarante Pacheco. Nascida em 16-04-1848, domingo, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje, Município de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro e foi aí batizada no dia 22-12-1848, sexta-feira, na matriz de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, pelo Padre Manuel del Freitas, tendo como padrinhos: João José Azevedo e Benedita Azevedo. Ela se casou aos 20 anos, 11 meses e 28 dias de idade, no dia 13-04-1869, terça-feira, na dita matriz, com o fazendeiro [2] Manuel Pacheco Vieira, em cerimônia celebrada pelo Padre Alexandre Pires de Carvalho. Seu nome de solteira era: Victoria Maria de Amarantes. Depois do nascimento das filhas Leopoldina e Maria, mudou-se para Minas Gerais onde nasceram os outros três filhos do casal: a Antonieta, o João e o Francisco. Dona Victoria faleceu de morte natural, conforme atestado de óbito firmado pelo Doutor Arthur Teixeira Côrtes, no dia 16-07-1924, quarta-feira, às 9 horas e 30 minutos, na sede de sua fazenda São Manuel, no então Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Contava exatos: 76 anos e 3 meses de idade, e 9 anos, 11 meses e 7 dias como viúva. Seu corpo foi sepultado no túmulo da família no Cemitério Público de Trimonte.61,62,69,96
Avós paternos:
4 – José Gomes Vieira de Souza. Natural de São José do Chopotó, atual Alto Rio Doce, Estado de Minas Gerais. Estabelecido em Itaocara, Rio de Janeiro.69,96,97
5 – Carolina Leopoldina Cândida Vieira. Já o seu nome de solteira era: Carolina Leopoldina Cândida. Nascida em Cantagalo e moradora em Itaocara, Rio de Janeiro.69,96,97
Avós maternos:
6 – José Luciano do Amarantes. Natural de Portugal. Foi casado com [7] Rosa Pereira de Jesus e geraram quatro filhos que foram: 1) Manuel Pereira do Amarantes nascido no dia 30-05-1844, quinta-feira, e casado com Maria Soares do Amarantes; 2) Victoria Maria do Amarantes (16-04-1848—16-07-1924), casada em 13-04-1869, terça-feira, com Manuel Pacheco Vieira (30-05-1844—09–08-1914); 3) Ana nascida por volta de 1851 e falecida em tenra idade; e, 4) Joaquim Pereira do Amarantes nascido por volta de 1854 e falecido em 1900, que foi casado com Maria de Araújo Amarantes, cujo nome de solteira era Maria de Abreu Araújo, conterrânea do marido, nascida em 01-11-1855, quinta-feira, e falecida já quase nonagenária, no ano de 1945, na cidade do Rio de Janeiro; sendo esta filha de João de Souza Araújo, nascido cerca de 1834 e de sua mulher Ana de Abreu Araújo, nascida por volta de 1836.69,96
7 – Rosa Pereira de Jesus. Batizada no dia 30-09-1815, sábado, na matriz de São Pedro em Cantagalo, na então Capitania do Rio de Janeiro.69,96,99
Bisavós:
8 – José Gomes Vieira. Natural de Itaverava, Minas Gerais. Filho de [16] José Vieira de Sousa e de sua mulher, [17] Maria Gomes da Anunciação. Casado com [9] Teresa Moreira de Jesus, sua primeira esposa. Já a segunda esposa foi dona Francisca Rosa de Jesus, que era filha do guarda-mor, Antônio Joaquim Torres, natural da freguesia de Santo Antônio de Itaverava, então termo de Queluz (atual Conselheiro Lafaiete), Minas Gerais e de Perpétua Rosa da Encarnação, que se transferiu para Cantagalo, Rio de Janeiro, onde foi fazendeiro.97
9 – Teresa Moreira de Jesus, em seu primeiro casamento. Sem mais notícias.97
10 – …....... Pacheco. Pai incógnito, provavelmente Pacheco por ser o sobrenome que foi adotado pelo neto paterno Manuel Pacheco Vieira – numa hipótese deduzida pelo autor deste trabalho.
11 – Ana Maria Vieira. Moradora em Cantagalo, Rio de Janeiro. Sem mais notícias.97
14 – Manuel José Pereira. Proprietário da fazenda Rancharia, em Cantagalo, Rio de Janeiro. Casado com [15] Victoria Maria do Amor Divino. Era filho de [28] Manuel Pereira e de sua mulher, [29] Bárbara de Jesus.99
15 – Victoria Maria do Amor Divino. Filha de [30] João Gomes Rodrigues Torres e de sua mulher, [31] Ana Maria da Victoria.99
Trisavós:
16 – José Vieira de Souza. Natural de São Martinho de Lagares, Penafiel, Bispado do Porto, Portugal. Casado com [17] Maria Gomes da Anunciação. Era filho de [32] Manuel Vieira e de sua mulher, [33] Maria de Sousa.97,98
17 – Maria Gomes da Anunciação, também chamada de Maria Gomes da Assunção. Natural de Itaverava, Minas Gerais.97,98
28 – Manuel Pereira. Natural da freguesia de Santa Luzia, ilha Terceira, Bispado de Angra (atual Angra do Heroísmo), Açores, Portugal.99
29 – Bárbara de Jesus. Natural da freguesia de Santa Luzia, ilha Terceira, Bispado de Angra (atual Angra do Heroísmo), Açores, Portugal.99
30 – João Gomes Rodrigues Torres. Natural de Santo Antônio de Sá, Rio de Janeiro.99
31 – Ana Maria da Victoria. Natural de Santo Antônio de Sá, Rio de Janeiro.99
Tetravós:
32 – Manuel Vieira. Nascido no dia 09-12-1694, quinta-feira, natural de Ondins, São Martinho de Lagares, Penafiel, Bispado do Porto, Portugal. Casado com dona [33] Maria de Sousa. Chegou com a família a Minas Gerais, por volta de 1740. Era filho de [64] Domingos João e de sua mulher, [65] Maria Antônia Vieira.98
33 – Maria de Sousa. Natural de Ondins, São Martinho de Lagares, Penafiel, Bispado do Porto, Portugal. Era filha de [66] Domingos Alves e de sua mulher, [67] Maria de Sousa.98
Quintos avós:
64 – Domingos João. Natural de Ondins, São Martinho de Lagares, Penafiel, Bispado do Porto, Portugal.98
65 – Maria Antônia Vieira. Natural de Ondins, São Martinho de Lagares, Penafiel, Bispado do Porto, Portugal.98
66 – Domingos Alves. Natural de Ondins, São Martinho de Lagares, Penafiel, Bispado do Porto, Portugal.98
67 – Maria de Sousa. Natural de Ondins, São Martinho de Lagares, Penafiel, Bispado do Porto, Portugal.98
Os três filhos de Luiz Augusto Teixeira de Castro com sua primeira esposa, Maria Teresa Pacheco de Castro.
III-1 Abigail Pacheco de Castro. Era filha legítima do agropecuarista Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua primeira mulher, Maria Teresa Pacheco de Castro. Nascida em 19-12-1892, segunda-feira, às 17 horas, na sede da fazenda Santo Antônio, no Distrito de São Luiz, localidade esta que em 01-01-1944 teve o seu nome mudado para Trimonte, vila que hoje faz parte do Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais.14,50,71
Ela se casou no dia 17-04-1911, segunda-feira, com o agricultor Alcides Teixeira Côrtes e adotou o nome de Abigail de Castro Côrtes. O casamento civil e assim como o religioso foram celebrados na sede da fazenda da Pedra, no então Distrito de Espírito Santo de Água Limpa, atual vila de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Minas Gerais. Ele, nascido no dia 12-03-1891, quinta-feira, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, e aí batizado na igreja Madre de Deus, numa segunda-feira, dia 01-06-1891.14,50,69,75
Alcides Teixeira Côrtes e Abigail de Castro Côrtes foram proprietários rurais no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, onde residiram, dedicaram-se à agropecuária e foram nascendo-lhes os filhos. Primeiramente, de 1911 até 1915 na fazenda Boa Vista; depois se mudaram para a fazenda Pauliceia, onde ficaram até 1920; e a partir desta data voltaram para a fazenda Boa Vista, onde permaneceram até se transferirem, já na década de 1940, para Belo Horizonte.14,50
Em 05-12-1945, quarta-feira, o Alcides Teixeira Côrtes veio a falecer em Belo Horizonte, vítima de úlcera supurada. Contava apenas 54 anos, 8 meses e 23 dias de idade, e 34 anos, 7 meses e 18 dias de casado. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.50
Na Capital Mineira, a Abigail de Castro Côrtes se dedicou ao ramo de hotelaria, durante muitos anos – Hotel Sul-Americano. Já idosa, ela passou a morar com os parentes em Além Paraíba, Minas Gerais.50
Abigail de Castro Côrtes faleceu no Hospital São Salvador, em Além Paraíba, no dia 24-04-1981, sexta-feira, às 14 horas e 30 minutos, em decorrência de edema agudo do pulmão, conforme atestado de óbito firmado pelo médico, doutor José Mauro Cabral; contava 88 anos, 4 meses e 5 dias de idade. O sepultamento do corpo ocorreu no dia seguinte, no Cemitério do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba.80
Ascendência do marido:
1 – Alcides Teixeira Côrtes. (12-03-1891— 05-12-1945).50,74
Pais:
2 – Doutor Francisco Cesário de Figueiredo Côrtes (19-09-185425-09-1897). Advogado e fazendeiro, foi proprietário da fazenda Boa Vista em Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Nasceu nesta mesma localidade onde viveu e faleceu aos 43 anos e 6 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura.14,15,29,50,69,143
3 – Ernestina Teixeira Côrtes (23-07-186230-10-1944). Prima do marido. Era natural de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, onde também faleceu, aos 82 anos, 3 meses e 7 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura.14,15,29,50,69,143
Avós paternos:
4 – Francisco Cesário de Figueiredo Côrtes (20-06-182624-01-1904). Tendo ele falecido no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, aos 77 anos, 7 meses e 4 dias de idade.15,29,69
5 – Balbina Amélia Eugênia de Castro. Natural de Mar de Espanha, Estado de Minas Gerais; e aí casada na matriz de Nossa Senhora das Mercês, no dia 25-10-1852, segunda-feira, com o fazendeiro, [4] Francisco Cesário de Figueiredo Côrtes.15,29.69
Avós maternos:
6 – José Cesário de Figueiredo Côrtes (01-06-182810-07-1902). Fazendeiro produtor de café, casado no dia 20-04-1861, sábado, com [7] Maria Guilhermina Teixeira Côrtes, na igreja de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; e faleceu viúvo aí, aos 74 anos, 1 mês e 9 dias de idade. Estando o seu corpo sepultado no cemitério local. Filho legítimo de [12] Joaquim José Cesário de Figueiredo e de [13] Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes.15,29.69
7 – Maria Guilhermina Teixeira Côrtes (183812-03-1900). Seu nome solteira era: Maria Guilhermina Teixeira. Nascida na sede da fazenda dos Coqueiros em Conceição da Barra, São João del-Rei, Minas Gerais. Ela faleceu na sede da fazenda Trindade no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, aos 61 anos de idade e depois de 38 anos, 10 meses e 20 dias de casada. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura. Filha legítima de [14] João Evangelista Teixeira e de sua segunda mulher, [15] Ana Esméria Teixeira.15,29,69
Bisavós:
8 – Joaquim José Cesário de Figueiredo (??-12-179909-05-1861). Tenente, natural de Registro Velho, no atual Distrito de Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais e aí batizado no dia 04-01-1800, sábado, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi desativada por volta de 1850). Casou-se com [9] Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes. Transferiu-se para Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, onde foi fazendeiro produtor de café. Faleceu com 61 anos e 4 meses de idade, aproximadamente. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura. Era filho legítimo de [16 e 24] José Antônio de Figueiredo e de [17 e 25] Rosa Joaquina da Costa.15,29,69
9 – Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes (180904-06-1886). Seu nome solteira era: Maria Jesuína Côrtes. Natural do Rio Espera, Minas Gerais. Filha legítima do alferes [18 e 26] Francisco Gonçalves Couto e de [19 e 27] Ana Zeferina Côrtes. Casou-se com o fazendeiro [8] Joaquim José Cesário de Figueiredo no dia 08-08-1825, segunda-feira, na capela de Santo Antônio, no Rio Espera, Minas Gerais. Ela faleceu viúva, aos 77 anos de idade, no dia 04-06-1886, sexta-feira, na sede da fazenda da Barra, em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; e seu corpo jaz sepultado no cemitério local. Era uma senhora de baixa estatura.15,29,69
10 – Agostinho José Frederico de Castro. Casado com [11] Joana Batista do Vale. Fundou três fazendas de café na região do ribeirão das Cabeceiras em Mar de Espanha, Minas Gerais, denominadas: Mutuca, Gruta e Barra do Limoeiro. Foi aí subdelegado de polícia e mais tarde vereador por dois períodos: 1857-1860 e 1860-1863. Faleceu no dia 04-01-1863, domingo, em Mar de Espanha. Era filho legítimo de [20] João Maquieira e de [21] Maria Inácia Ferreira.30,35,191
11 – Joana Batista do Vale. Nascida e batizada por volta de 1792 em Ressaca, atual Carandaí, Minas Gerais. Casou-se no dia 29-04-1811, segunda-feira, em Barbacena, Minas Gerais. Dona de casa e bordadeira, obteve sesmaria no dia 22-06-1819, terça-feira, no Sertão do Cágado, atual Município de Mar de Espanha, Minas Gerais, onde faleceu. Era filha legítima de [22] Maurício Antônio Cláudio e de [23] Francisca Carlota Rodrigues.30,35
12 – Joaquim José Cesário de Figueiredo — A mesma pessoa de número 8.
13 – Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes — A mesma pessoa de número 9.
14 – Tenente-coronel João Evangelista Teixeira (179718-02-1873). Fazendeiro produtor de café, natural de São João del-Rei, Minas Gerais. Casou-se por três vezes. Seu primeiro casamento foi com Francisca Teixeira Leite; viúvo, casou-se pela segunda vez, com sua sobrinha, [15] Ana Esméria Teixeira, que faz parte deste costado; e ao ficar viúvo desta, casou-se pela terceira vez, com a também viúva, Lourença Emília Vilas-Boas. Ele faleceu aos 75 anos de idade, na sede da sua fazenda Boa Vista, em Angustura, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura. Era filho legítimo de [28] Manuel da Costa Rios e de [29] Ana Esméria Teixeira de Souza.69,86,114
15 – Ana Esméria Teixeira. Sobrinha e segunda esposa de [14] João Evangelista Teixeira. Filha legítima de [30] José Joaquim Teixeira e de [31] Mariana Osório Teixeira Rios. Ela faleceu antes de 1861.69,86
Trisavós:
16 – José Antônio de Figueiredo. Ele nasceu no dia 10-03-1756, quarta-feira, na moradia dos pais situada na Rua da Barreira, em Miragaia, Concelho do Porto, Portugal; sendo aí também batizado em 15-03-1756, segunda-feira, na igreja de São Pedro. Era filho legítimo dos portugueses [32 e 48] Antônio José de Távora de Figueiredo e [33 e 49] Luiza Teresa de Jesus.
Ele veio solteiro para o Brasil, fixando-se na Capitania de Minas Gerais, onde se casou com a viúva [17] Rosa Joaquina da Costa, pelo que dizem, no dia 17-08-1785, quarta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi demolida por volta de 1850), situada no Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; tinha então 29 anos, 5 meses e 7 dias de idade.
Ele morreu no ano de 1802, com 45 para 46 anos de idade e cerca de 15 anos de casado; e seu corpo foi sepultado dentro da capela de Nossa Senhora do Pilar.15,29,86,90
17 – Rosa Joaquina da Costa. Era filha legítima de [34 e 50] Manuel Rodrigues da Costa, coronel de auxiliares do Regimento de Cavalaria de Minas Gerais, natural de São Miguel das Marinhas, Barcelos, Portugal, e falecido em 17-12-1785, sábado, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais e de [35 e 51] Joana Teresa de Jesus, nascida por volta de 1737, em Carijós, atual Conselheiro Lafaiete, Minas Gerais. Nascida no dia 17-04-1757, domingo, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, tendo 28 anos e 4 meses de idade ao contrair este seu segundo matrimônio com [16] José Antônio de Figueiredo.15,29,86
Já, o seu primeiro casamento fora realizado em Barbacena, Minas Gerais, no dia 18-05-1774, quarta-feira, quando tinha 17 anos, 1 mês e 1 dia de idade, com o capitão Manuel Monteiro de Pinho; sendo este natural de São Martinho de Gândara, Oliveira de Azeméis, Portugal, filho legítimo de Antônio Monteiro de Pinho e Ana Francisca. E eles geraram dois filhos.86,90
18 – Alferes Francisco Gonçalves Couto. Nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Filho do guarda-mor, [36 e 52] Manuel Gonçalves Couto, natural de Portugal e de sua mulher, [37 e 53] Mariana Angélica Gonçalves, natural de Itaverava, Minas Gerais, e falecida em 1813, ou pouco antes. Casou-se no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras onde se formou o atual Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [19] Ana Zeferina Côrtes, que segue neste costado. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto casou-se pela segunda vez com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do guarda-mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, mineira de Congonhas do Campo, atual Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
19 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais. Filha do português, [38 e 54] Antônio Gonçalves Côrtes, nascido em 13-10-1738, segunda-feira, em Moreira do Rei e falecido no dia 04-01-1805, sexta-feira, na sede da fazenda Contramestre, no atual Município de Carandaí, Minas Gerais e de sua mulher, [39 e 55] Ana Gonçalves Rodrigues, nascida em 06-03-1760, quinta-feira, em Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais, que se casou em 21-08-1778, sexta-feira, na capela de Nossa Senhora da Glória da Ressaca, atual Carandaí. Ana Zeferina Côrtes foi primeira mulher de [18] Francisco Gonçalves Couto; já, a segunda foi Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira.15,18,27,29,31
20 – João Maquieira. Natural de São Veríssimo, Pontevedra, Galiza, Espanha. Foi o fundador de Mar de Espanha, Minas Gerais. Faleceu por volta de 1789. Ele era filho de [40] Lourenzo Maquieira e de sua mulher, [41] Bernarda de Castro, ambos naturais da Galiza, Espanha.30,35
21 – Maria Inácia Ferreira. Filha de [42] Antônio de Ávila Bittencourt, natural dos Açores, Portugal e de sua mulher, [43] Inácia Ferreira, natural de Taubaté, São Paulo, Brasil. Ela se casou com [20] João Maquieira no dia 18-09-1769, segunda-feira, na matriz de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais.30,35
22 – Maurício Antônio Cláudio. Nascido por volta de 1758, em Ressaca, atual Carandaí, Minas Gerais. Filho de [44] Antônio Medeiros Andrade, natural de São Salvador, ilha do Faial, Açores e de sua mulher, [45] Josefa Maria Cláudia dos Serafins, natural de Angra, atual Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores. Casou-se no dia 15-02-1790, segunda-feira, na capela de Nossa Senhora da Glória em Carandaí, com [23] Francisca Carlota Rodrigues.35,158,191
23 – Francisca Carlota Rodrigues. Nascida por volta de 1767, no Ribeirão de Alberto Dias, atual Ressaquinha, Minas Gerais. Casada com [22] Maurício Antônio Cláudio. Filha de [46] João Rodrigues Vale, nascido em 15-04-1728, quinta-feira, em São Martinho de Ruivães, Vieira do Minho, Braga, Portugal, casado no dia 22-02-1751, segunda-feira, em Barbacena, Minas Gerais e aí falecido em 22-06-1781, sexta-feira; e de sua mulher, [47] Isabel Ribeira, batizada em 19-11-1738, quarta-feira, na capela de São José, em Ribeirão de Alberto Dias, atual Ressaquinha, Minas Gerais e que faleceu no dia 25-11-1823, terça-feira.35,158,191
24 – José Antônio de Figueiredo — A mesma pessoa de número 16.
25 – Rosa Joaquina da Costa — A mesma pessoa de número 17.
26 – Alferes Francisco Gonçalves Couto — A mesma pessoa de número 18.
27 – Ana Zeferina Côrtes — A mesma pessoa de número 19.
28 – Manuel da Costa Rios. Nascido em 31-03-1758, sexta-feira, em Venturela, São Cristóvão de Refojos de Riba de Ave, Portugal. Ele era filho de [56] João da Costa Rios e de sua mulher, [57] Josefa Teixeira Carneiro, ambos naturais de Portugal. Casou-se em primeiras núpcias na capela de Conceição da Barra, Minas Gerais, no dia 09-01-1787, terça-feira, com Ana Rodrigues de Oliveira, que fora batizada na capela de Nossa Senhora de Nazaré, filha de Francisco Rodrigues Neves e de Joana Rodrigues de Oliveira; e que era viúva de José Francisco Guimarães. Casou-se pela segunda vez no dia 22-08-1788, sexta-feira, com [29] Ana Esméria Teixeira de Souza, que segue neste costado.86,114
29 – Ana Esméria Teixeira de Souza (1776—1842). Casou-se no dia 22-08-1788, sexta-feira, com [28] Manuel da Costa Rios. Filha do capitão [58 e 60] Francisco José Teixeira, nascido por volta de 1750, em São Tiago de Ourilhe, hoje Ourilhe, Celorico de Basto, Portugal, e falecido no ano de 1788, em São João del-Rei, Minas Gerais, Brasil, onde foi minerador de ouro e agricultor e de sua mulher, [59 e 61] Ana Josefa de Souza, nascida por volta de 1758, em São João del-Rei, Minas Gerais, e aí casada em 16-05-1774, segunda-feira, na capela de Nossa Senhora da Conceição da Barra e que faleceu no dia 23-01-1808, sábado, em São João del-Rei. Ela era irmã de [30] José Joaquim Teixeira.86,114
30 – José Joaquim Teixeira. Nascido em 1783. Filho legítimo do capitão [58 e 60] Francisco José Teixeira e de [59 e 61] Ana Josefa de Souza. Era irmão de [29] Ana Esméria Teixeira de Souza, acima citada.86
31 – Mariana Osório Teixeira Rios. Nascida em 1795. Ela se casou-se com o seu primo, [30] José Joaquim Teixeira. Era filha de [28 e 62] Manuel da Costa Rios e de sua mulher e prima, [29 e 63] Ana Esméria Teixeira de Souza.86
Alcides Teixeira Côrtes e Abigail de Castro Côrtes tiveram sete filhos.
IV-1 Dahyl de Castro Côrtes. Filha legítima de Alcides Teixeira Côrtes e de Abigail de Castro Côrtes, nascida em 19-02-1913, quarta-feira, ao meio-dia, na sede da fazenda Boa Vista, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Dedicava-se à pintura artística. Era solteira e veio a falecer de colapso cardíaco em decorrência de câncer de fígado, no dia 17-03-1946, domingo, em Belo Horizonte. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte, nesta mesma Capital, no Cemitério do Bonfim (quadra 4, carneiro 143). Contava apenas 33 anos e 26 dias de idade. Sem descendência.15,50,79,203,261
IV-2 Octavio de Castro Côrtes. Agropecuarista e político, filho legítimo de Alcides Teixeira Côrtes e de Abigail de Castro Côrtes, nascido no dia 22-08-1914, sábado, às 6 horas e 30 minutos, na sede da fazenda Boa Vista, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Ele era popularmente conhecido por "Octavinho Côrtes". Ele se casou numa quarta-feira, dia 06-02-1935, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais, com Ana Monteiro de Barros Marcondes "Anita", que adotou o nome de Ana Marcondes Côrtes. Esta, nascida no dia 24-10-1915, domingo, em Falcão, que hoje faz parte do Município de Quatis, Estado do Rio de Janeiro.15,50,78,79
Fazendeiro e líder político, foi prefeito de Além Paraíba por duas vezes: a primeira, no período de 31-01-1951 a 31-01-1956; e a segunda, quando, sendo presidente da Câmara Municipal, substituiu ao titular, Doutor Antônio Marinho Côrtes, entre os meses de setembro de 1966 e janeiro de 1967.50
Octávio de Castro Côrtes faleceu de parada cardíaca em Além Paraíba, no dia 02-02-1970, segunda-feira, aos 55 anos, 5 meses e 11 dias de idade e 34 anos, 11 meses e 24 dias de casado. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba.50
Já, a viúva, Ana Marcondes Côrtes faleceu no dia 20-08-1998, quinta-feira, também em Além Paraíba; contava 82 anos, 9 meses e 27 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal de Além Paraíba.50
Ascendência da esposa:
1 – Ana Marcondes Côrtes. Sendo o seu nome de solteira: Ana Monteiro de Barros Marcondes; e carinhosamente chamada de "Anita".50,78,79
Pais:
2 – João Marcondes. Nascido em 1875, em Santa Isabel do Rio Preto, Rio de Janeiro. Falecido em 1920. Ele era filho legítimo de [4] Isaac Marcondes dos Santos e de [5] Ana Marcondes dos Santos.78,79,112,186,188
3 – Emiliana Monteiro de Barros Marcondes. Seu nome de solteira era: Emiliana Monteiro de Barros. Nascida em 08-09-1881, quinta-feira, em Angustura, hoje pertencente ao Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se em 11-06-1901, terça-feira, na igreja de São Sebastião, em Barra Mansa, Rio de Janeiro, com [2] João Marcondes. Ela faleceu no ano de 1920, no Distrito de Falcão, no atual Município de Quatis, Estado do Rio de Janeiro. Era filha legítima de [6] Aurélio de Souza Monteiro de Barros e de dona [7] Francisca Carolina Domingues Monteiro de Barros.78,79,112,188
Avós paternos:
4 – Isaac Marcondes dos Santos. Natural de Santa Isabel do Rio Preto, Rio de Janeiro. Casado com a sua prima [5] Ana Marcondes dos Santos. Ele era filho legítimo de [8] Justo Marcondes dos Santos e de [9] Rita Teresa de Jesus.112,186,188
5 – Ana Marcondes dos Santos. Natural de Santa Isabel do Rio Preto, Rio de Janeiro, onde se casou no dia 08-02-1864, segunda-feira, com o seu primo, [4] Isaac Marcondes dos Santos. Ela era filha legítima de [10] Manuel Marcondes dos Santos e de dona [11] Sabina Emerenciana de Jesus.86,112,186,188
Avós maternos:
6 – Aurélio de Souza Monteiro de Barros. Ele é natural de Piraí, Rio de Janeiro. Casado com [7] Francisca Carolina Domingues Monteiro de Barros. Foi fazendeiro em Barra Mansa e em Miracema, Rio de Janeiro. Era filho do tenente-coronel [12] Júlio César de Miranda Monteiro de Barros e de sua primeira mulher, dona [13] Emiliana de Souza Monteiro de Barros.15,29,69,112,188
7 – Francisca Carolina Domingues Monteiro de Barros "Chiquinha". Sendo Francisca Carolina Domingues, o seu nome de solteira. Nascida na sede da fazenda Trimonte, em terras do atual Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Casada com o [6] Aurélio de Souza Monteiro de Barros. Era filha legítima de [14] Antônio Manuel Domingues – "Carcacena" e de dona [15] Maria Rosa de Siqueira Domingues.15,29,69,112,188
Bisavós:
8 – Justo Marcondes dos Santos (12-04-1812—08-03-1879. Era natural de Santa Isabel do Rio Preto, Rio de Janeiro. Casado com [9] Rita Teresa de Jesus. Foi fazendeiro de café em Guaratinguetá, Estado de São Paulo. Este era irmão do [10] Manuel Marcondes dos Santos e filho legítimo do capitão [16 e 20] José Antônio dos Santos e de [17 e 21] Ana Maria Marcondes.86,186,187
9 – Rita Teresa de Jesus. Ela se casou no dia 07-01-1840, terça-feira, em Guaratinguetá, São Paulo, com [8] Justo Marcondes dos Santos.86,186,187
10 – Manuel Marcondes dos Santos. Nascido por volta do ano de 1805, em Santa Isabel do Rio Preto, Rio de Janeiro. Casou-se com [11] Sabina Emerenciana de Jesus. Este era irmão do [8] Justo Marcondes dos Santos e filho legítimo do capitão [16 e 20] José Antônio dos Santos e de [17 e 21] Ana Maria Marcondes.86,186
11 – Sabina Emerenciana de Jesus. Nascida no ano de 1816, em Santa Isabel do Rio Preto, Rio de Janeiro. Casada com [10] Manuel Marcondes dos Santos. Era filha do capitão [22] José Lopes de Araújo e de [23] Gertrudes Maria de Jesus.86,186,278
12 – Júlio César de Miranda Monteiro de Barros. Era tenente-coronel e fazendeiro, natural de Congonhas do Campo, atual Congonhas, Minas Gerais. Casado em primeiras núpcias com dona [13] Emiliana de Souza Monteiro de Barros. Ao ficar viúvo casou-se pela segunda vez com dona Emiliana Mege. Ele era filho legítimo do juiz de fora, ouvidor, corregedor e desembargador, natural de Congonhas, e formado em Leis, na Universidade de Coimbra, Doutor [24] Francisco de Paula Monteiro de Barros e de dona [25] Ana Carlota de Miranda Monteiro de Barros (Ana Carlota de Miranda, quando solteira), natural de Portugal.112
13 – Emiliana de Souza Monteiro de Barros. Sendo Emiliana de Souza Breves, o seu nome de solteira. Natural de Arrozal, Rio de Janeiro. Casada com o Doutor [12] Júlio César de Miranda Monteiro de Barros. Ela era irmã do barão de Guararema e filha legítima de [26] Luiz de Souza Breves e de dona [27] Maria Pimenta de Almeida Breves.112
14 – Antônio Manuel Domingues (13-06-1807—10-08-1875). Conhecido popularmente por "Carcacena". Fazendeiro e negociante, natural de Portugal. Foi proprietário da fazenda Trimonte (sede antiga já demolida), situada nas proximidades do atual Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Casado com dona [15] Maria Rosa de Siqueira Domingues. Era filho legítimo de [28] Domingos Domingues e de [29] Maria Luiza Esteves.15,29,69,79,112,189
15 – Maria Rosa de Siqueira Domingues (04-03-1833—14-06-1918); que se chamava Maria Rosa de Siqueira quando solteira. Casou-se por volta de 1853, com [14] Antônio Manuel Domingues. Era filha legítima de [30] Francisco Antunes de Sequeira e de dona [31] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes.15,29,69,79
Trisavós:
16 – José Antônio dos Santos. Nascido por volta do ano de 1786. Casado com dona [17] Ana Maria Marcondes. Era pecuarista e vendedor de boiadas. Sem mais notícias no momento.186,187
17 – Ana Maria Marcondes. Nascida por volta do ano de 1789. Era filha do capitão-mor [34] Inácio Bicudo de Siqueira falecido em 29-07-1793, segunda-feira, e de sua mulher, dona [35] Maria Vieira Marcondes (1755—1830), que se casaram em 1769. Neta paterna de [68] Inácio Bicudo de Siqueira, natural de Taubaté e falecido em 02-08-1735, terça-feira, e de dona [69] Bernarda Rodrigues da Silva. Neta materna do patriarca desta família Marcondes, que se casou no ano de 1741 em Pindamonhangaba, São Paulo, capitão [70] Antônio Marcondes do Amaral, natural da ilha de São Miguel, Açores e de sua primeira mulher, [71] Maria Madalena Cardoso Cabral, que faz parte deste costado (sua segunda esposa foi Ana Joaquina de Sá, cujo casamento foi em 1769. Por Antônio Marcondes do Amaral, a Ana Maria Marcondes era bisneta de [140] Dionísio Marcondes, natural de Veneza (Itália), domiciliado na ilha de São Miguel, Açores, onde se casou com dona [141] Maria Vieira. Por Maria Madalena Cardoso Cabral, a Ana Maria Marcondes era bisneta de [142] Carlos Cardoso Cabral e de sua mulher, dona [143] Francisca Correia da Silva.186,187,193,194
20 – José Antônio dos Santos. A mesma pessoa de números 16 e 20.
21 – Ana Maria Marcondes. A mesma pessoa de números 17 e 21.
22 – José Lopes de Araújo (17701856) capitão. Ele casou-se com [23] Gertrudes Maria de Jesus, no dia 16-07-1798, segunda-feira, em Aiuruoca, Minas Gerais. Era filho de [44] Domingos José de Araujo e de [45] Domingas Francisca Lopes. Foi um dos fundadores de São José do Rio Preto, Estado do Rio de Janeiro.186,278
23 – Gertrudes Maria de Jesus (17831871). Filha de [46] Francisco João de Azevedo e de [47] Maria de Jesus Correa. Casada com o capitão [22] José Lopes de Araujo.278
24 – Francisco de Paula Monteiro de Barros. Natural de Congonhas do Campo, atual Congonhas, Minas Gerais. Formado em Leis pela Universidade de Coimbra, Portugal. Casou-se em Coimbra, com a portuguesa, dona [25] Ana Carlota de Miranda Monteiro de Barros. Ele ocupou cargos importantes no Império, em Minas Gerais, tais como: o de Juiz de Fora da Vila do Príncipe, nomeado em 14-11-1826 e tomando posse em 31-01-1827; o de Juiz de Fora de São João del-Rei; o de Ouvidor e Corregedor da Comarca de Sabará; e o de Desembargador da Relação da Corte.112
O Doutor Francisco de Paula Monteiro de Barros era filho legítimo do [48] barão de Paraopeba — Romualdo José Monteiro de Barros e da [49] baronesa de Paraopeba — Francisca Constância Leocádia da Fonseca, que se casaram no dia 21-11-1795, sábado, em Vila Rica, atual Ouro Preto, Minas Gerais. Neto paterno do patriarca da família Monteiro de Barros, Guarda-Mor [96] Manuel José Monteiro de Barros (06-12-1716—09-07-1789), natural de Pinhote, São Miguel das Marinhas, Espozende, Portugal, e de sua mulher, dona [97] Margarida Eufrásia da Cunha Matos, natural de Vila Rica onde se casou no dia 16-08-1766, sábado. Neto materno de [98] José Vicente Veríssimo da Fonseca (1740—05-02-1816), natural de Vila Nova de Portimão, Algarve, Portugal, e de sua primeira mulher, dona [99] Ana Felizarda Joaquina de Oliveira, natural de Vila Rica, onde se casou no dia 05-08-1767, quarta-feira, que faz parte deste costado (já o seu segundo casamento foi com dona Clara Maria Teixeira).112,192,195
25 – Ana Carlota de Miranda Monteiro de Barros Ana Carlota de Miranda, quando solteira. Era natural de Portugal e seu casamento realizado em Coimbra com o Doutor [24] Francisco de Paula Monteiro de Barros, deu início à família "Miranda Monteiro de Barros" em Minas Gerais, que se espalhou pelo Brasil.112
26 – Luiz de Souza Breves. Casado com [27] Maria Pimenta de Almeida Breves. Filho de [52] Thomé de Souza Breves, batizado no dia 25-01-1756, domingo, em São João Marcos, Rio de Janeiro, localidade esta surgida em 1739 e que entre 1941 e 1943 deixou de existir, submersa que foi pelas águas represadas para a ampliação da Hidrelétrica de Lajes, e de sua mulher, [53] Maria Rodrigues. Neto paterno de [104 e 108] Antônio de Souza Breves (1720—31-12-1814), natural da ilha de São Jorge, Açores e falecido em São João Marcos, e de sua mulher, [105 e 109] Maria de Jesus Fernandes, natural de Santa Luzia, ilha Terceira, Açores e que vieram para o Brasil já casados. Neto materno de [106] Antônio Rodrigues e de sua mulher, [107] Francisca Valadão Flores.112,196
27 – Maria Pimenta de Almeida Breves. Nascida na antiga localidade de São João Marcos, Rio de Janeiro e casada com [26] Luiz de Souza Breves. Era irmã da baronesa de Piraí — Cecília Pimenta de Almeida Breves.
Filha legítima do capitão-mor [54] José de Souza Breves, natural de Santa Luzia, ilha Terceira, Açores, fazendeiro, fundador da localidade de Arrozal, Rio de Janeiro, e de dona [55] Maria Pimenta de Almeida Frazão, natural de Itaguaí, Rio de Janeiro e casada no dia 27-01-1777, segunda-feira, em Resende, Rio de Janeiro. Neta paterna de [104 e 108] Antônio de Souza Breves (1720—31-12-1814), natural da ilha de São Jorge, Açores e falecido em São João Marcos, e de sua mulher, [105 e 109] Maria de Jesus Fernandes, natural de Santa Luzia, ilha Terceira, Açores e que vieram para o Brasil já casados. Neta materna do Alferes [110] Antônio Lobo Frazão e de sua mulher, [111] Cecília de Almeida Frazão (Cecília de Almeida quando solteira).112,196
28 – Domingos Domingues. Natural de Portugal e casado com [29] Maria Luiza Esteves.15
29 – Maria Luiza Esteves. Natural de Portugal e esposa de [28] Domingos Domingues.15
30 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [31] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Era filho de [60] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [61] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. Neto paterno de [120] Francisco Antunes de Sequeira e de sua mulher, [121] Teodósia Dias Pereira; e materno de [122] Manuel Francisco Rosa e de sua mulher, [123] Maria do Rosário.1,15,16,17,19,30,33
31 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida no ano de 1810 e batizada pelo padre Antônio Rodrigues Lobato na ermida do Bandeira, situada em área formadora do Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 15-06-1810, sexta-feira, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [125] Mariana Angélica Gonçalves. Casada com [14] Francisco Antunes de Sequeira. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se verifica em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima do alferes (62) Francisco Gonçalves Couto e de [63] Ana Zeferina Côrtes; neta paterna do guarda-mor [124] Manuel Gonçalves Couto e de sua mulher, [125] Mariana Angélica Gonçalves; e materna de [126] Antônio Gonçalves Côrtes e de sua mulher, [127] Ana Gonçalves Rodrigues.1,15,18,19,27,29,31,32,34,87
Octavio de Castro Côrtes e sua esposa Ana Monteiro de Barros Marcondes tiveram sete filhos.
V-1 Octávio José Marcondes Côrtes. Nasceu em 26-01-1936, domingo, em Além Paraíba, Minas Gerais, e era carinhosamente conhecido por "Jacaré". Casou-se no dia 14-11-1960, segunda-feira, em Belo Horizonte, Minas Gerais, com Maria Leíze Ragone, que adotou o nome de Maria Leíze Ragone Côrtes. Esta natural do Distrito de Cisneiros, Município e Comarca de Palma, Minas Gerais e filha legítima de Miguel Ragone e de dona Geralda Alves Ragone, que se casaram no ano de 1932, no Distrito de Cisneiros.15,50,231
Casal residente e domiciliado em Além Paraíba. Octávio José Marcondes Côrtes faleceu nesta mesma cidade, no dia 26-06-2004, sábado, aos 68 anos e 5 meses de idade, e após 46 anos, 7 meses e 12 dias de casado. Eles tiveram cinco filhos.50,106
VI-1 Jacqueline Ragone Côrtes. Natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Ela é residente e domiciliada na cidade do Rio de Janeiro.50,231
VI-2 Octávio de Castro Côrtes Neto. Natural de Além Paraíba, Minas Gerais.50,231
VI-3 Caroline Ragone Côrtes. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Residente e domiciliada na cidade do Rio de Janeiro. Consorciada em união consensual estável com Ricardo Duarte Carneiro Monteiro. Eles são empresários.15,50,231
VII-1 Miguel Côrtes Carneiro Monteiro. Ele é residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro. Empresário.50,231
VII-2 Isabella Côrtes Carneiro Monteiro. Ela é natural e residente na cidade do Rio de Janeiro.50,231
VI-4 Katherine Ragone Côrtes. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
VI-5 Micheline Ragone Côrtes. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Advogada, residente e domiciliada na cidade do Rio de Janeiro.50,231
V-2 Emiliana Marcondes Côrtes. Ela é natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Raul David de Andrade Machado, tabelião aposentado de Além Paraíba, residente em Belo Horizonte, Minas Gerais. Casal divorciado.50
VI-1 Clóvis Côrtes Machado. É natural da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casou-se com Carla Laroca Nóbrega, que adotou o nome de Carla Laroca Nóbrega Machado. O casal se divorciou e ela voltou a ter o nome de solteira.50
VII-1 Jéssica Laroca Nóbrega Machado. Ela é natural de Eunápolis, Bahia. Despachante imobiliária na sua firma J. L. Financiamento e Legalização, e também tabeliã do Cartório do 2o Ofício, da Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50,231
VI-1 Clóvis Côrtes Machado. Após o divórcio, uniu-se em matrimônio a Márcia Athayde Braga, que adotou o nome de Márcia Athayde Braga Machado. Eles são residentes e domiciliados em Belo Horizonte, Minas Gerais.50,260,261
VII-2 Octávio Braga Machado. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.50,260
VII-3 Pedro Braga Machado É natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.50,260
VI-2 Suzana Cortes Machado. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Tabeliã substituta do 1o ofício de notas, da Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Eduardo Henrique Garcia Valle e adotou o nome de Suzana Cortes Machado Valle. Ele é administrador de consórcios na referida Cidade.50,231
VII-1 Fernanda Côrtes Machado Valle. Natural da cidade do Rio de Janeiro. Advogada.50,231
VII-2 Luciana Machado Valle. Natural da cidade do Carmo, Estado do Rio de Janeiro, e criada em Além Paraíba, Minas Gerais. Residente e domiciliada na cidade do Rio de Janeiro.50,231
VI-3 Raul David Machado Junior. Natural da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casado com sua conterrânea Denise Paiva Machado. Ele já é falecido.50,231
VII-1 Thaís Paiva Machado. Natural da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.50
VII-2 Paula Paiva Machado. Natural da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.50
V-3 Therezinha Marcondes Côrtes. Ela é natural de Além Paraíba, Minas Gerais; onde se casou em 25-05-1963, sábado com Adhenair de Freitas Bastos e adotou o nome de Therezinha Marcondes Côrtes Bastos. Ele, nascido em 15-11-1932, terça-feira na cidade de Itaperuna, Estado do Rio de Janeiro, filho legítimo de Adhemar Garcia Bastos e de dona Nair de Freitas Bastos. O Adhenair de Freitas Bastos faleceu em Itu, São Paulo, no dia 08-03-2014, sábado, aos 81 anos, 3 meses e 21 dias de idade, após 50 anos, 9 meses e 11 dias de casado. Eles tiveram quatro filhas.15,50,231
VI-1 Renata Marcondes Côrtes Bastos. Ela é natural da cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro.15,50
VI-2 Ana Paula Côrtes Bastos. Natural da cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro.15,50
VI-3 Maria Fernanda Côrtes Bastos. Ela é natural da cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro. Formada em Engenharia de Produção de Materiais pela Universidade Federal de São Carlos, Estado de São Paulo. Casou-se com Max Maia e adotou o nome de Maria Fernanda Côrtes Bastos Maia.15,50,231
VI-4 Luciana Marcondes Côrtes Bastos. Terapeuta e fisioterapeuta ocupacional.50,231
V-4 Nélson Marcondes Côrtes. Ele é natural de Além Paraíba, Minas Gerais, nascido num domingo, dia 21-01-1940. Ele se casou no dia 17-01-1970, sábado, nesta mesma cidade, com Maria Zenaide Pinho Moreira, que adotou o nome de Maria Zenaide Moreira Côrtes. Esta, natural também de Além Paraíba, filha legítima de Édson Moreira e de dona Ieda Pinho Moreira.15,50
O Nélson Marcondes Côrtes faleceu em Além Paraíba, no dia 21-03-2007, quarta-feira, aos 67 anos e 2 meses de idade, e após 37 anos, 2 meses e 4 dias de casado. Eles tiveram quatro filhos.50,106
VI-1 Octávio Moreira Côrtes. Ele é natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casado com Silmara.50,231
VII-1 Laís.231
VI-2 Ana Ieda Moreira Côrtes. Casou-se no dia 29-11-1997, sábado, em Além Paraíba, Minas Gerais, com Álvaro Camilo Faria de Freitas; sendo, Ana Ieda Moreira Côrtes de Freitas, o seu nome de casada. Fazendeiros no mesmo município. O casal é divorciado. Tiveram um filho.50,231
VII-1 Pedro Otávio Côrtes Freitas.231
VI-3 Edson Moreira Côrtes.50
VI-4 Nelson Marcondes Cortes Filho.50
V-5 Sônia Marcondes Côrtes. Ela é natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Solteira e aí residente.15,50
V-6 Marco Aurélio Marcondes Côrtes. Nascido no dia 18-07-1942, sábado, na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Solteiro e aí residente e domiciliado. Ele faleceu no dia 17-05-2010, segunda-feira, aos 67 anos, 11 meses e 29 dias de idade.15,50,106
V-7 Jayme Marcondes Côrtes. Nascido no dia 05-09-1943, domingo, em Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Maria Filomena Lima Santos, que adotou o nome de Maria Filomena Santos Côrtes. Sendo esta, natural do Distrito de Paraoquena, Município de Santo Antônio de Pádua, Estado do Rio de Janeiro.15,50
O Jayme Marcondes Cortes, empresário na cidade fluminense de Cabo Frio, faleceu no dia 07-08-2004, sábado, aos 60 anos, 11 meses e 2 dias de idade. Eles tiveram cinco filhos.231
VI-1 Ângela dos Santos Côrtes. Ela é natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Fisioterapeuta, casou-se com Elson Luiz de Oliveira Góis, e adotou em virtude do casamento, o nome de Ângela dos Santos Côrtes Góis. Natural de Juiz de Fora, Minas Gerais, filho legítimo de José Assis de Góis e de dona Edmea Geralda, naturais de Seridó, Rio Grande do Norte. Ele é oficial da Marinha, capitão-de-mar-e-guerra, comandante do 2o Batalhão Humaitá do Corpo de Fuzileiros Navais, da cidade do Rio de Janeiro, e que comanda forças da Organização das Nações Unidas, no Haiti.15,50,231
VII-1 Carolina Côrtes Góis.231
VII-2 Lucas Côrtes Góis.231
VI-2 Alessandra dos Santos Côrtes. Ela é empresária individual no ramo de salão de beleza. Casou-se com o empresário Emerson Bruno Pinto Cabreira e adotou o nome de Alessandra dos Santos Côrtes Cabreira. São residentes e domiciliados na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais.50,231
VII-1 Maria Octavia Côrtes Cabreira.231
VII-2 Caio Côrtes Cabreira.231
VII-3 Jaime Marcondes Côrtes Neto.231
VII-4 João.231
VI-3 Emiliana dos Santos Côrtes. Ela se casou com o Doutor Marcelo Fortes, e adotou o nome de Emiliana dos Santos Côrtes Fortes. Ele é natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Formado em Odontologia, mora e trabalha em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, onde desempenha cargos de direção. Ela é residente em Além Paraíba, Minas Gerais.231
VII-1 João Marcelo.231
VI-4 Jayme Marcondes Côrtes Filho. Nascido no ano de 1976, na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Ele faleceu aos 22 anos de idade, no dia 10-08-1998, segunda feira, pelas 20 horas e 30 minutos, em acidente de automóvel, ocorrido na altura do km26, da rodovia Além Paraíba — Teresópolis, no Estado do Rio de Janeiro. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Municipal de Além Paraíba. Ele era solteiro e residia em Cabo Frio, Estado Rio de Janeiro.50,231
VI-5 José Roberto dos Santos Côrtes. Solteiro.50
IV-3 José de Castro Côrtes. Agropecuarista, filho legítimo de Alcides Teixeira Côrtes e de Abigail de Castro Côrtes, nascido no dia 28-04-1916, sexta-feira, na sede da fazenda Pauliceia, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Agricultor, casou-se com Maria Augusta Vieira de Castro, que adotou o nome de Maria Augusta de Castro Côrtes. Sendo esta, natural de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais, filha legítima de Osório Antunes de Castro e de dona Adalgisa Vieira de Castro (quando solteira: Adalgisa Vieira da Luz). Após o casamento, eles foram agropecuaristas no Estado de Minas Gerais; inicialmente no Município de Recreio e mais tarde no de Volta Grande.50,55,79,164
O José de Castro Côrtes faleceu vítima de ataque cardíaco, no dia 13-08-1955, sábado, na cidade do Rio de Janeiro, com apenas 39 anos, 3 meses e 16 dias de idade; e seu corpo foi sepultado no dia seguinte no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já a Maria Augusta de Castro Côrtes continuou viúva e faleceu em Belo Horizonte, no dia 28-11-1993, domingo. O casal teve oito filhos.50
V-1 José Maria de Castro Côrtes. Nascido no dia 14-04-1938, quinta-feira, em Recreio, Minas Gerais. Faleceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, no dia 11-12-2006, segunda-feira, aos 68 anos, 7 meses e 27 dias de idade. Era solteiro.50,55,106,260
V-2 Heloísa Helena de Castro Côrtes. Nascida na sede da fazenda Boa Vista, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Lázaro Mesquita da Silva, natural de São Paulo Capital, e adotou Heloísa Helena de Castro Côrtes Silva, como nome de casada. Residentes e domiciliados em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ela já é falecida.50,260
VI-1 Adriana Côrtes da Silva. Natural da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Ronaldo Vidigal de Castro, passando a ter o nome de Adriana Cortes Silva Vidigal.50,282
VII-1 Rafael Augusto Côrtes Vidigal. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.260
VII-2 Bárbara Côrtes Vidigal. Natural da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.283
VII-3 Matheus Augusto Côrtes Vidigal. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.284
VI-2 Mariana Augusta Côrtes Silva. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.50,282
V-3 Roberto de Castro Cortes. É natural de Minas Gerais. Casou-se com Marlene Ribeiro, que adotou o nome de Marlene Ribeiro Côrtes.50
VI-1 José Roberto Ribeiro Cortes. Ele é natural e domiciliado na cidade de Governador Valadares, Estado de Minas Gerais. Casado com Jullyana Silva Alves. São empresários. Ele faleceu aí em 2016.50,231
VII-1 Augusto Filippi Alves Cortes. É residente em Governador Valadares, Minas Gerais.50,231
VI-2 Juliana Ribeiro Cortes. Ela é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais; residente e domiciliada em Belo Horizonte.50,231
VI-3 Daniel Ribeiro Cortes. Ele é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais; residente e domiciliado em Belo Horizonte.50,231
VI-4 Núbia Ribeiro Côrtes. Ela é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Residente e domiciliada em Governador Valadares.50,231
VI-5 Líbia Ribeiro Cortes. Ela é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Residente e domiciliada em Governador Valadares.50,231
V-4 Ângela Maria de Castro Côrtes. Nascida em 04-08-1942, terça-feira, na cidade de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Rubens Severo Sydio. Eles são divorciados, mas, tiveram dois filhos. Ela já é falecida.50
O Rubens Severo Sydio contraiu novo casamento com dona Nilza Madeira Sydio, com geração.50
VI-1 Humberto Cortes Sydio. Ele é natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casado com dona Andrea Alves Sydio. Moram em São Francisco, Califórnia, Estados Unidos da América.50,231
VII-1 Graziela Alves Sydio.50
VI-2 José Rubens Cortes Sydio. É natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Solteiro.50
V-5 Cícero de Castro Cortes. Natural da cidade de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Maria Tereza Pereira Mendes, natural de Além Paraíba, Minas Gerais, que adotou o nome de Maria Tereza Mendes Cortes. São residentes e domiciliados em Belo Horizonte, Minas Gerais.50,164,231
VI-1 Cícero Mendes de Castro Cortes. Residente e domiciliado em Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais. Ele se casou nesta mesma Capital, com Fernanda Batista Hott.50,231,283
VI-2 Marcelo Mendes de Castro Cortes. Residente e domiciliado em Governador Valadares, Estado de Minas Gerais.50,231
V-6 Milton Castro Cortes. Natural de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Maurete Pereira Mendes, natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais, que adotou o nome de Maurete Mendes Cortes. Eles são separados e tiveram um casal de filhos.50,164,231
VI-1 Simone Mendes Cortes. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Mora no Brooklyn, em Nova Iorque, Estados Unidos da América.50,231
VI-2 Leonardo Mendes Cortes. Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Ele reside nesta mesma localidade.50,231
V-7 Alcides Eduardo de Castro Cortes. Natural de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Contraiu matrimônio com Margareth Bicalho Cortes. Foram residentes e domiciliados na cidade de Governador Valadares, Estado de Minas Gerais.50,164
O Alcides Eduardo de Castro Cortes, mora atualmente na cidade de Guarapari, Espírito Santo.231
VI-1 Caroline Bicalho Cortes. Empresária, residente e domiciliada em Governador Valadares, Estado de Minas Gerais. Casada com Fred Soares.50,231
VI-2 Ludmila Bicalho Cortes. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Casada com Pablo Ramos. São residentes e domiciliados na cidade de Belo Horizonte.50,231
VII-1 João.231
VII-2 Alicia.231
VI-3 Ricardo Bicalho Côrtes. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Casou-se com Iara Negri, mineira de Ipatinga. São residentes e domiciliados em Belo Horizonte, Minas Gerais.50,231
V-8 Selma de Castro Cortes. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, onde se casou no dia 16-12-1968, segunda-feira, com Nairo Cortes Villela, natural do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba. O casal passou a residir na cidade de Belo Horizonte. São divorciados.50
Alguns ascendentes do ex-marido:
1 – Nairo Cortes Villela.50
Pais:
2 – Jairo Villela. Agricultor, agropecuarista.50
3 – Mirtes Cortes Villela. Nome de solteira: Mirtes Teixeira Cortes. Moradores no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Filha legítima de [6] Leôncio Teixeira Cortes50
Avós paternos:
4 – Emilio Villela. Filho legítimo de [8] Azarias de Andrade Villela e de [9] Maria José Azevedo.50,71
5 – Maria Augusta da Costa Villela. Seu nome quando solteira era: Maria Augusta da Costa — "Neném".50,71
Avós maternos:
6 – Leôncio Teixeira Cortes (03-09-188101-06-1960). Fazendeiro, natural de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, onde se casou em 25-09-1916, segunda-feira, com dona [7] Isaura Teixeira Cortes, e foram donos da fazenda Santa Tereza. Ele faleceu após sofrer acidente de automóvel, na estrada AngusturaBR/116, neste mesmo Distrito, contava 78 anos, 8 meses e 29 dias de idade, e depois de 43 anos, 8 meses e 7 dias de casado. Era filho legítimo de [12] Herculano Justiniano de Figueiredo Cortes e de dona [13] Emerenciana Amélia Teixeira Cortes.15,112,160
7 – Isaura Teixeira Cortes (09-12-1891—23-09-1960). Era natural de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casada com o seu parente [6] Leôncio Teixeira Cortes. Filha legítima de [14] Arthur Augusto de Figueiredo Cortes e de dona [15] Ana Esméria Teixeira Cortes — "Nicota da Bela Aurora". Ela faleceu aos 68 anos, 9 meses e 14 dias de idade (3 meses e 22 dias depois do falecimento do marido).15,69
Bisavós:
8 – Azarias de Andrade Villela. Natural de Aiuruoca, Minas Gerais, nascido cerca do ano de 1839. Casou-se com [9] Maria José Azevedo. Era filho legítimo de [16] Alexandre Antônio Villela e de sua primeira mulher, dona [17] Bárbara Delminda de Andrade Botelho.116,203,231
9 – Maria José Azevedo. Era casada com o fazendeiro [8] Azarias de Andrade Villela.116
12 – Herculano Justiniano de Figueiredo Cortes. Ele era natural de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casado no sábado, dia 26-02-1870, em Angustura, com [13] Emerenciana Amélia Teixeira Cortes. Foram fazendeiros Ele faleceu no dia 17-06-1896, quarta-feira. Era filho legítimo de [24] Joaquim Justiniano de Figueiredo Cortes e de [25] Ana Inácia Teixeira Cortes.15,71,112,160
13 – Emerenciana Amélia Teixeira Cortes. Quando ainda solteira o seu era: Emerenciana Amélia Teixeira. Nascida no ano de 1849 em Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casada com [12] Herculano Justiniano de Figueiredo Cortes. Falecida no dia 08-03-1919, sábado, aos 69 anos de idade. Era filha legítima do alferes [26] João Teixeira Marinho e de [27] Maria Teresa Duarte.15,71,112,160
14 – Arthur Augusto de Figueiredo Côrtes (1861—24-09-1918). Era fazendeiro e proprietário da fazenda Bela Aurora, situada no atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; e também tenente-coronel da Guarda Nacional. Nascido na região do atual Distrito de Angustura e falecido na cidade do Rio de Janeiro aos 57 anos de idade. Era filho legítimo de [28] José Augusto de Figueiredo Cortes e de dona [29] Maria Guilhermina Diniz de Figueiredo Cortes.15,50,69
15 – Ana Esméria Teixeira Côrtes (03-03-1864—30-09-1943). Era conhecida na região por dona “Nicota da Bela Aurora”. Era natural do atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; Ela faleceu aí, na sede de sua fazenda, aos 79 anos, 6 meses e 27 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura. Era filha legítima de [30] José Cesário de Figueiredo Cortes e de dona [31] Maria Guilhermina Teixeira.15,50,69
Trisavós:
16 – Alexandre Antônio Villela. Fazendeiro, que foi dono da fazenda das Pedras, em Serranos, Minas Gerais. Ele incorporou "Pedras" em seu sobrenome, em alusão a sua fazenda; passando a ter então o nome de Alexandre Antônio Villela Pedras, que foi sendo passado aos seus descendentes. Casou-se duas vezes. Sua primeira esposa foi [17] Bárbara Delminda de Andrade Botelho, que faz parte deste costado. Já o seu segundo casamento foi com Francelina Cândida dos Reis, que passou a ter o nome de Francelina dos Reis Villela. Ele era filho do capitão [32] Francisco Tomás Villela e de sua primeira mulher, [33] Joaquina Tomásia dos Reis.114,116
17 – Bárbara Delminda de Andrade Botelho. Era filha legítima de [34] Thomé Inácio Botelho e de [35] Emerenciana Constança de Andrade. Foi a primeira esposa de [16] Alexandre Antônio Villela Pedras.114,116
24 – Joaquim Justiniano de Figueiredo Cortes. Ele era fazendeiro, natural de Barbacena, Minas Gerais. Casado com [25] Ana Inácia Teixeira Cortes. Estabelecido na região de Madre de Deus do Angu, hoje, Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, onde faleceu em 22-12-1851, segunda-feira, aos 35 anos de idade. Era irmão de [28] José Augusto de Figueiredo Cortes e filho legítimo de [48] Manuel Gonçalves Cortes e de [49] Luiza Teresa de Figueiredo.15,69,90
25 – Ana Inácia Teixeira Cortes. Sendo o seu nome de solteira: Ana Inácia Teixeira. Casada com o fazendeiro natural de Barbacena [24] Joaquim Justiniano de Figueiredo Cortes.15,69
26 – João Teixeira Marinho Alferes. Casou-se com dona [27] Maria Teresa Duarte. Era filho do capitão [52] João Teixeira Marinho, natural de Santo André de Telões, Arcebispado de Braga, Portugal, falecido em 30-06-1839, na sede de sua fazenda São Francisco no Ribeirão do Angu, no Curato de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Além Paraíba, Minas Gerais e de sua primeira mulher, [53] Brígida Cândida Honória da Luz. Já a segunda mulher do capitão, chamava-se Maria Teresa, que era homônima da esposa deste mesmo alferes.15,71,181
27 – Maria Teresa Duarte. Era provavelmente sobrinha do marido, o alferes [26] João Teixeira Marinho e de sua primeira mulher; e por sua vez, neta do capitão [52] João Teixeira Marinho e de sua primeira mulher, [53] Brígida Cândida Honória da Luz.15
28 – José Augusto de Figueiredo Cortes. Fazendeiro nascido cerca de 1821 em Barbacena, Minas Gerais. Casado com [29] Maria Guilhermina Diniz de Figueiredo Cortes. Estabelecido na região de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Era irmão de [24] Joaquim Justiniano de Figueiredo Cortes e filho legítimo de [56] Manuel Gonçalves Cortes e de [57] Luiza Teresa de Figueiredo.15
29 – Maria Guilhermina Diniz de Figueiredo Cortes. Sendo Maria Guilhermina Diniz o seu nome de solteira. Casada com [28] José Augusto de Figueiredo Cortes. Falecida no dia 03-06-1862, terça-feira, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, e seus restos mortais jazem sepultados no cemitério local. Ela era filha legítima de [58] Elias Simões Diniz e de dona [59] Maria Jesuína de Campos.15,149
30 – José Cesário de Figueiredo Cortes (01-06-1828—10-07-1902). Natural da região de Barbacena, Minas Gerais. Era filho legítimo de [60] Joaquim José Cesário de Figueiredo e de [61] Maria Jesuina de Figueiredo Cortes. Casou-se no dia 20-04-1861, sábado, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, com [31] Maria Guilhermina Teixeira. Eles foram fazendeiros nesta mesma região, proprietários da fazenda Trindade. Ele faleceu aí, já viúvo, na sede da fazenda Boa Vista, aos 74 anos, 1 mês e 9 dias de idade.15,29,69
31 – Maria Guilhermina Teixeira (1838—12-03-1900). Ela é natural da freguesia de Conceição da Barra, São João del-Rei, Minas Gerais, nascida na sede da fazenda dos Coqueiros. Era filha do tenente-coronel e fazendeiro [62] João Evangelista Teixeira (1797—18-02-1873) e de sua segunda mulher, [63] Ana Esméria Teixeira. Casou-se com [30] José Cesário de Figueiredo Cortes, em 20-04-1861, sábado, na sede da fazenda Boa Vista (já demolida), pertencente aos seus pais, em Angustura, Minas Gerais. Ela morreu na sede de sua fazenda Trindade, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais; contava 62 anos de idade, e 38 anos, 10 meses e 20 dias de casada.15,29,69
Tetravós:
32 – Francisco Tomás Villela. Capitão, nascido no dia 23-12-1769, sábado, em terras situadas no atual Município de Serranos, Minas Gerais. Era filho legítimo do capitão [64] Domingos Villela e de [65] Maria Clara do Espírito Santo.
Ele foi também fazendeiro e se casou três vezes. Sua primeira mulher foi [33] Joaquina Tomásia dos Reis, que segue neste costado. Seu segundo casamento foi com Luiza Cândida da Silva e o terceiro, com Maria Teresa de Jesus, sendo esta, viúva de Antônio Joaquim Duarte e filha do alferes Antônio Martins Borralho e de sua mulher, Senhorinha Antônia do Nascimento.116,117
33 – Joaquina Tomásia dos Reis. Ela era casada com o capitão [32] Francisco Tomás Villela. Era filha legítima de [66] Domingos dos Reis e Silva e de [67] Andreza Dias de Carvalho.116,117
34 – Tomé Inácio Botelho. Nascido por volta de 1774, em Lavras do Funil, Minas Gerais e falecido no ano de 1826. Casado no dia 07-02-1798, quarta-feira, com dona [35] Emerenciana Constância de Andrade; e este casamento deu origem à tradicional família "Andrade Botelho", em Minas Gerais e hoje já espalhada pelo Brasil. Ele era filho legítimo do capitão [68] Francisco Inácio Botelho, nascido no dia 02-02-1734, na vila de Covilhã, e batizado na freguesia de São Tiago, Bispado da Guarda, Portugal, e que faleceu no dia 04-08-1796, em Lavras do Funil, atual Lavras, Minas Gerais; e de dona [69] Maria Teresa de Araújo Menezes, nascida por volta de 1750 em Campanha, Minas Gerais. O Tomé Inácio Botelho era neto paterno dos portugueses, [136] Francisco José Botelho, nascido em 1708, e de sua primeira mulher, [137] Teresa Maria Joana (10-12-1708—10-03-1737), casados em 24-11-1732 em Covilhã, Portugal — já, o segundo casamento deste foi com Luísa Maria de Gouveia. São avós maternos do Tomé Inácio Botelho, [138] Domingos Gonçalves Vianna, natural de Arcozelo, Arcebispado de Braga, Portugal, e sua mulher, dona [139] Branca Teresa de Toledo, esta nascida por volta de 1720, em Taubaté, São Paulo.113,217,239
35 – Emerenciana Constança de Andrade. Casada com o capitão [34] Tomé Inácio Botelho e Falecida no dia 01-10-1865, em Minas Gerais. Era filha legítima de [70] Jerônimo de Andrade Brito e de [71] Maria de Sousa Monteiro.113
48 – Manuel Gonçalves Cortes. Nascido no dia 02-09-1779, quinta-feira, na sede da fazenda Contramestre, situada em área hoje pertencente ao Município de Carandaí, Minas Gerais; e que foi batizado no dia 13-09-1779, segunda-feira, na capela de São José do Ribeirão de Alberto Dias, na atual Ressaquinha, Minas Gerais. Ele faleceu no dia 25-01-1827, quinta-feira, no Ribeirão dos Aventureiros sede da fazenda Fortaleza na região do atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, com a idade de 47 anos, 4 meses e 23 dias, e após 12 anos de casado com a viúva, [49] Luiza Teresa de Figueiredo. Ele era filho legítimo de [96] Antônio Gonçalves Côrtes e de [97] Ana Gonçalves Rodrigues.15,90
49 – Luiza Teresa de Figueiredo. Nascida no dia 02-05-1787, quarta-feira, em Registro Velho, no atual Distrito de Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; onde foi batizada no dia 18-05-1787, sexta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar, tendo por padrinhos de batismo: os seus tios maternos: Padre Manuel Rodrigues da Costa (um dos Inconfidentes Mineiros) e Maria Josefa da Costa (que foi casada com o Alferes Custódio Ferreira Guimarães).15,90
Ela foi casada duas vezes. Primeiramente na citada capela, no dia 02-05-1803, segunda-feira, ao completar 16 anos de idade, com Manuel Simões Diniz, natural da vila de São José, atual Tiradentes, Minas Gerais, de quem ficou viúva no dia 22-02-1808, segunda-feira, em Barbacena, depois de 4 anos, 9 meses e 20 dias de casados; sendo ele filho do capitão Manuel Simões Diniz, que fora escrivão em Barbacena e de sua mulher, Rosa Maria da Assunção; e que tiveram quatro filhos. Pela segunda vez, ela se casou com [49] Manuel Gonçalves Côrtes, e eles tiveram cinco filhos e deram origem à tradicional família Figueiredo Côrtes; e que segue neste relatório. Ela era filha legítima de [98] José Antônio de Figueiredo e de [99] Rosa Joaquina da Costa.15,90,144,147
52 – João Teixeira Marinho. Era natural de Santo André de Telões, Arcebispado de Braga, Portugal. Emigrou para o Brasil. Fazendeiro que se fixou na Zona da Mata de Minas Gerais. Casado com [53] Brígida Cândida Honória da Luz. Ele faleceu no dia 30-06-1839, domingo, na sede de sua fazenda São Francisco no Ribeirão do Angu, no então Curato de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.15,71,181
53 – Brígida Cândida Honória da Luz. Foi primeira mulher de [52] João Teixeira Marinho, que faz parte deste costado. Já a segunda mulher do referido capitão João Teixeira Marinho, chamava-se Maria Teresa, que era homônima da esposa do seu filho, o alferes [26] João Teixeira Marinho.15,71,181
56 – Manuel Gonçalves Cortes. A mesma pessoa de número 48.
57 – Luiza Teresa de Figueiredo. A mesma pessoa de número 49.
58 – Elias Simões Diniz. Nascido no ano de 1807 na então freguesia de Barbacena, e que foi batizado no dia 05-02-1807, quinta-feira. na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi demolida por volta de 1850), no Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Comarca de Barbacena, Minas Gerais. Casado com [59] Maria Jesuína de Campos.148,231
Elias Simões Diniz era filho legítimo do capitão, [118] Manuel Simões Diniz, grande proprietário de terras na região da então freguesia de Barbacena, falecido no dia 22-02-1808, segunda-feira, e de dona [119] Luiza Teresa de Figueiredo, que nascera no Registro Velho, em 02-05-1787, quarta-feira, e cujo casamento com o então viúvo Manuel Simões Diniz foi realizado em 02-05-1803, segunda-feira, na capela do Registro Velho, no dia em que ela completou 16 anos de idade. Luiza Teresa de Figueiredo ficou viúva após 4 anos, 9 meses e 20 dias de casada, e contraiu novo matrimônio com o fazendeiro Manuel Gonçalves Cortes e deu origem à família Figueiredo Cortes, que da região de Angustura, Município de Além Paraíba, se ramificou pelo Brasil.15,69,90
59 – Maria Jesuína de Campos. Casou-se no dia 11-02-1834, terça-feira, na capela do Bonfim, na então freguesia de Barbacena, com o fazendeiro [58] Elias Simões Diniz.149
60 – Joaquim José Cesário de Figueiredo.
61 – Maria Jesuina de Figueiredo Cortes. Seu nome de solteira era: Maria Jesuína Cortes.
62 – João Evangelista Teixeira. Ele era tenente-coronel e fazendeiro produtor de café, nascido no ano de 1797 em São João del-Rei, Minas Gerais. Casou-se por três vezes. Seu primeiro casamento foi com Francisca Teixeira Leite; viúvo, casou-se pela segunda vez, com sua sobrinha, [63] Ana Esméria Teixeira, que faz parte deste costado; e ao ficar viúvo desta, casou-se pela terceira vez, com a também viúva, Lourença Emília Vilas-Boas. Ele faleceu aos 75 anos de idade, no dia 18-02-1873, terça-feira, às 6 horas da manhã, na sede da sua fazenda Boa Vista, em Angustura, Minas Gerais. Seu corpo desceu à sepultura no cemitério local, às 14 horas do mesmo dia. Era filho legítimo de [124] Manuel da Costa Rios e de [125] Ana Esméria Teixeira de Souza.69,86,114
63 – Ana Esméria Teixeira. Era filha legítima de [126] José Joaquim Teixeira e de [127] Mariana Osório Teixeira Rios. Foi segunda esposa de seu tio, [62] João Evangelista Teixeira. Ela faleceu antes de 1861.69,86
Nairo Cortes Villela e Selma de Castro Cortes tiveram um casal de filhos.
VI-1 Mauro José Cortes Villela. Ele é natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se em Belo Horizonte, com Emmanuelle Penholate Faria. Ela, natural desta mesma Capital, filha legítima de José Maciel de Faria e de Marlene Penholate de Faria. Eles são residentes e domiciliado em Belo Horizonte.50,231,260,261
VI-2 Roseane Cortes Villela. Ela é natural de Além Paraíba, Minas Gerais.
IV-4 Wilson de Castro Côrtes. Agropecuarista, filho legítimo de Alcides Teixeira Côrtes e de Abigail de Castro Côrtes, nascido numa sexta-feira, dia 24-05-1918, à 1 hora e 40 minutos da madrugada, na sede da fazenda Pauliceia, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casou-se no dia 26-01-1941, domingo, em Além Paraíba, com sua prima, Antônia Tavares de Castro "Nini", que adotou o nome de Antônia de Castro Côrtes. Tendo a cerimônia religiosa sido celebrada também em Além Paraíba, na igreja matriz de São José. Esta nascida na sede da fazenda Nova Esperança, no Distrito de São Luiz, localidade esta que a partir de 01-01-1944 teve o nome mudado para Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais.50,71,79,80,190
O casal morou inicialmente neste mesmo Distrito de Trimonte, na fazenda Canaã e depois no sítio do Engenho Novo; e aproximadamente em 1946, se transferiu para a vizinha Além Paraíba, onde permaneceu ate cerca de 1955, quando se transferiu para a cidade de Belo Horizonte. Pouco tempo depois, o agropecuarista e negociante, Wilson de Castro Côrtes, aventurou-se pelo Estado do Maranhão e anos mais tarde pelo de Goiás. Quando já se encontrava idoso, beirando os 75 anos de idade, houve a necessidade de se submeter a uma prostatectomia; cirurgia esta que foi realizada com êxito sob os cuidados do Doutor José Bastos Castro Côrtes, seu genro, residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro. Wilson de Castro Côrtes faleceu em decorrência de câncer de próstata, no dia 18-09-1994, domingo, aos 76 anos, 3 meses e 25 dias de idade e 53 anos, 7 meses e 23 dias de casado. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte, no Cemitério de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. A viúva Antônia de Castro Côrtes é residente na cidade de Fortaleza, Ceará, em companhia de uma filha casada (2008); em meados do ano de 2013 ela foi agraciada pelos familiares, ao completar 90 anos de idade.50,231
Ascendência da esposa:
1 – Antônia de Castro Côrtes — "Nini".190
Pais:
2 – Sebastião Pacheco de Castro (18-03-1897—12-07-1974). Fazendeiro, no Distrito Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais, onde foi proprietário da fazenda Morro Alegre, cuja sede situa-se a 1.550 metros da estação ferroviária. Ele faleceu na cidade de Volta Grande, aos 77 anos, 3 meses e 34 dias de idade.14,50,71
3 – Leonor Tavares de Castro (17-04-1903—20-01-1989). O seu nome de solteira era: Leonor Tavares da Silva. Ela faleceu viúva, aos 85 anos, 9 meses e 3 dias de idade.14,50,92
Avós paternos:
4 – Luiz Augusto Teixeira de Castro (01-06-1867—03-12-1935). Filho do patriarca [8] Joaquim Antônio Teixeira de Castro e de sua segunda consorte, [9] Carolina Augusta de Siqueira Castro, o caçula, nascido na sede do sítio Gratidão, situado no lugar então denominado Córrego do Rocha, nas cercanias do atual Distrito de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais; e que foi batizado no dia 13-06-1868, sábado, pelo Padre José Manuel Esteves, na ermida da vizinha fazenda Trimonte. Ele era popularmente chamado de "Luizinho de Castro". Ele, ainda jovem e solteiro, transferiu-se para a vila de São Luiz, que pouco depois foi elevado a Distrito do Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Ele e seu irmão Joaquim Antônio Teixeira de Castro Filho fundaram em sociedade aí a firma comercial denominada "Joaquim Antônio Teixeira de Castro & Irmão", um sortido armazém de secos e molhados e artigos de armarinhos, situado num dos caminhos, na chegada da referida Vila.
Ele se casou duas vezes. Em primeiras núpcias, no dia 19-12-1891, sábado, na sede da fazenda Santo Antônio, que dista cerca de quatro quilômetros e meio do centro do Distrito, com dona [5] Maria Teresa Pacheco de Castro, que faz parte deste costado. Ele, então, com 24 anos, 6 meses e 18 dias de idade; e ela, com 18 anos, 10 meses e 10 dias. Já seu segundo casamento foi com dona Julieta Vasques de Castro. Luiz Augusto Teixeira de Castro faleceu na sede de sua fazenda da Pedra, no Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais; e seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Trimonte.9,14,29,53,60,61,62,63
5 – Maria Teresa Pacheco de Castro (22-01-1873—01-03-1899). Primeira esposa. O seu nome de solteira era: Maria Teresa Pacheco Vieira. Natural da freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, atual cidade de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro; onde foi batizada no dia 13-04-1873, domingo, na matriz de Nossa Senhora da Conceição. Ela tinha mais quatro irmãos: 1) Leopoldina Pacheco Vieira casada com Casimiro Antônio Vidal Júnior, sendo estes bisavós do ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Doutor Wellington Moreira Franco; 2) Antonieta Pacheco Vieira casada com Maturino Evangelista de Carvalho, casal que na década de 1910 se transferiu para Muqui, Estado do Espírito Santo; 3) João Pacheco Vieira casado com Ana Vasques de Miranda; e 4) Francisco Pacheco Vieira casado com Rita de Cássia Moreira.
Ela faleceu na sede da fazenda São Manuel – de seus pais, no atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais – na madrugada do dia 01-03-1899, quarta-feira, em decorrência de um tumor no seio (câncer de mama); contava apenas 26 anos, 1 mês e 7 dias de idade e 7 anos, 2 meses e 10 dias de casada. Seu corpo foi sepultado à tarde do mesmo dia no Cemitério Público de Trimonte. Deixou três filhos: Abigail de Castro Côrtes, Lourival Pacheco de Castro e Sebastião Pacheco de Castro, que constam nesta genealogia.14,61,62,63
Avós maternos:
6 – José Tavares da Silva. Fazendeiro proprietário da fazenda Esperança, no povoado de São Domingos, em São Sebastião da Estrela, atual Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais; e casado com dona [7] Maria do Rosário Tavares da Silva. Ele era natural do Minho, Portugal e filho legítimo de [12] Manuel Tavares da Eira e de dona [13] Maria Tavares.92
7 – Maria do Rosário Tavares da Silva (1872—1933). Nome de solteira: Maria do Rosário da Silva. Ela era filha natural de dona [15] Helena Maria da Silva. Todos naturais de São Sebastião da Estrela, hoje Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais.50,92
Bisavós:
8 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca do ano de 1816—31-01-1893). Era natural do norte de Portugal e estudou em colégio para ordenação de sacerdotes. Deixou o curso e veio para o Brasil onde se tornou o patriarca deste ramo da família Teixeira de Castro, que da Zona da Mata mineira ramificou pelo Brasil. Era agricultor e faleceu viúvo no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba. Ao ficar viúvo de Constança Maria da Conceição, casou com [9] Carolina Augusta de Siqueira Castro.1, 9,10
9 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. O seu nome de nascimento era: Carolina Augusta de Siqueira. Ela nasceu em Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [18] Francisco Antunes de Sequeira e de [19] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [8] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, este, viúvo que ficara de dona Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba.1,9,15
10 – Manuel Pacheco Vieira (30-05-1844—09-08-1914). Filho legítimo de [20] José Gomes Vieira de Souza e de [21] Carolina Leopoldina Cândida Vieira. Natural de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Casado aí em 1869 com sua conterrânea, [11] Victoria Amarante Pacheco. Após cerca de seis anos de casado transferiu-se com a família para Minas Gerais, onde foi próspero fazendeiro, proprietário da fazenda São Manuel, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, no Município de Volta Grande. Ele faleceu no dia 09-08-1914, domingo, na sede de sua fazenda; tendo o seu corpo sido sepultado no túmulo da família no cemitério público de Trimonte. Contava 70 anos, 2 meses e 10 dias de idade e 45 anos, 3 meses e 27 dias de casado.61,62,69,96
11 – Victoria Amarante Pacheco (16-04-1848—16-07-1924). O seu nome de solteira era: Victoria Maria do Amarantes. Era filha legítima de [22] José Luciano do Amarantes e de [23] Rosa Pereira de Jesus. Natural de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro, onde se casou no dia 13-04-1869, terça-feira, com [10] Manuel Pacheco Vieira. Após o nascimento de suas filhas Leopoldina e Maria, mudou-se para Minas Gerais onde nasceram os outros três filhos do casal: a Antonieta, o João e o Francisco. Dona Victoria faleceu de morte natural, conforme atestado de óbito firmado pelo Doutor Arthur Teixeira Côrtes, no dia 16-07-1924, quarta-feira, às 9 horas e 30 minutos, na sede de sua fazenda São Manuel, no então Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Contava exatos: 76 anos e 3 meses de idade, e 9 anos, 11 meses e 7 dias como viúva. Seu corpo jaz sepultado no túmulo da família no Cemitério Público de Trimonte.61,62,69,96
12 – Manuel Tavares da Eira. Natural do Minho, Portugal. Casado com dona [13] Maria Tavares.92
13 – Maria Tavares. Natural do Minho Portugal. Casada com [12] Manuel Tavares da Eira.92
14 – Não mencionado.92
15 – Helena Maria da Silva. Era natural de São Sebastião da Estrela, atual Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais. Sem mais notícias. Sem mais notícias.92
Trisavós:
18 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [19] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Era filho de [36] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [37] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. Neto paterno de [72] Francisco Antunes de Sequeira e de sua mulher, [73] Teodósia Dias Pereira; e materno de [74] Manuel Francisco Rosa e sua mulher, [75] Maria do Rosário.1,15,16,17,19,30,33
19 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida no ano de 1810 e batizada pelo padre Antônio Rodrigues Lobato na ermida do Bandeira, situada em área formadora do Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 15-06-1810, sexta-feira, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [77] Mariana Angélica Gonçalves. Casada com [18] Francisco Antunes de Sequeira. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se verifica em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha do alferes (38) Francisco Gonçalves Couto e de sua primeira mulher, [39] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste costado (já a segunda chamava-se Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira). Neta paterna de [76] Manuel Gonçalves Couto e sua mulher, [77] Mariana Angélica Gonçalves; e materna de [78] Antônio Gonçalves Côrtes (13-10-1738—04-01-1805) e de sua mulher, [79] Ana Gonçalves Rodrigues.1,15,18,19,27,29,31,32,34,87
20 – José Gomes Vieira de Souza. Natural de São José do Chopotó, atual Alto Rio Doce, Estado de Minas Gerais. Estabelecido em Itaocara, Rio de Janeiro. Era filho legítimo de [40] José Gomes Vieira e de [41] Teresa Maria de Jesus.69,96,97
21 – Carolina Leopoldina Cândida Vieira. Ela era natural de Cantagalo, e moradora em Itaocara, Rio de Janeiro. Era filha de [42] ......... Pacheco e de [43] Ana Maria Vieira.69,96,97
22 – José Luciano do Amarantes. Foi casado com dona [23] Rosa Pereira de Jesus. Eles geraram quatro filhos, que foram: Manuel Pereira do Amarantes, Victoria Maria do Amarantes; Ana, falecida em tenra idade; e Joaquim Pereira do Amarantes.69,96
23 – Rosa Pereira de Jesus. Batizada no dia 30-09-1815, sábado, na igreja matriz de São Pedro em Cantagalo, na então Capitania do Rio de Janeiro.69,96,99
Vide abaixo — no item IV-3, de III-3, de II-9, de I, §2 em Antônia Tavares de Castro, os ascendentes do Wilson de Castro Côrtes.50,189,190
O casal Wilson de Castro Côrtes e Antônia Tavares de Castro teve nove filhos.190
V-1 Therezinha de Castro Côrtes. Ela nasceu na sede da fazenda Canaã, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Casou-se com o médico, Doutor José Carlos Bastos Côrtes. Sendo este irmão do fazendeiro Jáder Bastos Côrtes, marido da IV-7 Maria Thereza de Castro Côrtes (abaixo citada), tia pelo lado paterno da V-1 Therezinha de Castro Côrtes.50,190
Casal sempre residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro.50,190
O Doutor José Carlos Bastos Côrtes, renomado médico especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, nascido no dia 03-06-1933, sábado, na sede da fazenda Serra Bonita, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, faleceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 10-09-2016, sábado, aos 83 anos, 3 meses e 7 dias de idade. O sepultamento foi no Cemitério do Catumbi, nesta mesma Capital.50.231
Ascendentes do marido:
1 – Dr. José Carlos Bastos Côrtes (03-06-1933—10-09-2016).50,231
Pais:
2 – Mário Villas Boas de Figueiredo Côrtes (29-06-187825-11-1945). Major e fazendeiro, natural de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde foi proprietário da fazenda Serra Bonita; e que aí faleceu aos 67 anos, 4 meses e 27 dias de idade. Filho legítimo do Doutor [4] Elydio Cesário de Figueiredo Côrtes e de [5] Lourença Emília Villas Boas Côrtes. Foi casado duas vezes: em primeiras núpcias com Bárbara Raquel de Castro Côrtes (quando solteira: Bárbara Raquel de Figueiredo Castro), filha de Augusto Cesário de Figueiredo Côrtes e de sua mulher, Ana Cândida Côrtes de Castro. Ele ao ficar viúvo, convolou segundas núpcias, com [3] Margarida Bastos Côrtes, que segue neste relatório.50,69,112,165
3 – Margarida Bastos Côrtes — sendo o seu nome quando solteira: Margarida Campos Bastos. Filha legítima de [6] João José Monteiro Bastos e de dona [7] Josefina Carlota de Campos Bastos. Foi segunda mulher do major (2] Mário Villas Boas de Figueiredo Côrtes; sendo este viúvo de dona Bárbara Raquel de Castro Côrtes. Ela morreu aos 66 anos de idade e foi sepultada no dia 26-10-1961 no Cemitério Nossa Senhora da Glória, em Juiz de Fora, Minas Gerais.50,95,165,192
Avós paternos:
4 – Doutor Elydio Cesário de Figueiredo Côrtes. Advogado, nascido em 1845 em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais; onde foi proprietário da fazenda Monte Alegre, por ele fundada em 1888. Filho legítimo de [8] Joaquim José Cesário de Figueiredo e de dona [9] Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes. Casado com [5] Lourença Emília Villas Boas Côrtes.69,112,160
5 – Lourença Emília Villas Boas Côrtes (18-05-185628-05-1922). Filha de [10] Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes e de sua mulher, [11] Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. Casada com o advogado e fazendeiro, Doutor [4] Elydio Cesário de Figueiredo Côrtes.112.160
Avós maternos:
6 – João José Monteiro Bastos. Nascido por volta de 1864. Filho legítimo de [12] João José Bastos Pinto e de [13] Margarida Eufrásia Monteiro Bastos Pinto. Casado com dona [7] Josefina Carlota de Campos Bastos. Ele morreu viúvo aos 80 anos de idade em Juiz de Fora, Minas Gerais; e seu corpo foi sepultado no dia 14-04-1945, sábado, no Cemitério Nossa Senhora da Glória, nesta mesma Cidade.95,112,165,192
7 – Josefina Carlota de Campos Bastos — "Fifina". Sendo o seu nome de solteira: Josefina Carlota de Oliveira Campos. Nascida por volta de 1870, filha legítima de [14] José Carlos de Campos e de dona [15] Maria Carlota de Oliveira Campos. Casada com [6] João José Monteiro Bastos. Ela morreu aos 70 anos de idade, em Juiz de Fora, Minas Gerais; e seu corpo foi sepultado no dia 26-12-1940, quinta-feira, no Cemitério Nossa Senhora da Glória, também em Juiz de Fora.95,112,165,192
Bisavós:
8 – Joaquim José Cesário de Figueiredo. Fazendeiro e tenente, nascido em dezembro de 1799, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais e que foi aí batizado no dia 04-01-1800, sábado, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi desativada por volta de 1850). Ele faleceu em 09-05-1861, quinta-feira, aos 61 anos e 4 meses de idade, aproximadamente, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Era casado com [9] Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes e filho do patriarca português, [16] José Antônio de Figueiredo e de sua mulher [17] Rosa Joaquina da Costa, viúva de Manuel Monteiro de Pinho.15,29,69
9 – Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes (1809—04-06-1886). Era natural do Rio Espera, Minas Gerais e falecida em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casada com [8] Joaquim José Cesário de Figueiredo e filha legítima do alferes e fazendeiro, [18] Francisco Gonçalves Couto e de sua mulher, [19] Ana Zeferina Côrtes.15,29,69
10 – Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes. Foi batizado no dia 09-02-1824, segunda-feira, na capela do Bonfim, na freguesia de Barbacena, Minas Gerais e faleceu no ano de 1899 no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Era casado com [11] Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. O casal foi grande produtor de café na citada fazenda Serra Bonita, situada no Distrito de Angustura. Era filho de [20] Manuel Gonçalves Côrtes e de sua mulher, [21] Luiza Teresa de Figueiredo, viúva do capitão Manuel Simões Diniz.15,69,84
11 – Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. Sendo o seu nome de solteira: Inácia Alexandrina Villas Boas Coutinho. Era filha legítima do major [22] José Alexandrino Villas Boas Coutinho e de [23] Lourença Emília Villas Boas Coutinho. Nascida em 18-01-1826, quarta-feira, na cidade do Rio de Janeiro. Casou-se com o fazendeiro [10] Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes e faleceu numa quinta-feira, dia 05-07-1883, aos 57 anos, 5 meses e 17 dias de idade.15,69,84
12 – João José Bastos Pinto — capitão. Foi um dos fundadores do Município de Guarará, Estado de Minas Gerais. Depois de ficar viúvo de sua primeira esposa, foi marido de dona [13] Margarida Eufrásia Monteiro Bastos Pinto. Agropecuaristas, que foram os proprietários da fazenda Campestre, em terras localizadas no Município de Bicas, Minas Gerais.112,165,192
13 – Margarida Eufrásia Monteiro Bastos Pinto. Sendo seu nome de solteira: Margarida Eufrásia Monteiro de Castro. Foi segunda esposa do fazendeiro [12] João José Bastos Pinto. Era filha legítima do coronel [26] José Joaquim Monteiro de Castro e de [27] Maria do Carmo Monteiro da Silva (primeira mulher de seus três casamentos).112,165,192
14 – José Carlos de Campos. Nascido por volta do ano de 1824, em Chapéu d'Uvas, nas proximidades do atual Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Casado com [15] Maria Carlota de Oliveira Campos. Era filho legítimo de [28] Francisco José de Campos e de [29] Ana Isabel do Nascimento. Ele tinha por costume oferecer aos viajantes cachos de uvas num chapéu, daí surgiu o topônimo "Chapéu d'Uvas".165,192
15 – Maria Carlota de Oliveira Campos. Nascida em Chapéu d'Uvas, nas proximidades do atual Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Casada com o seu conterrâneo [14] José Carlos de Campos, deixando uma prole de 15 filhos. O seu nome de solteira era: Maria Carlota de Oliveira.165,192
Trisavós:
16 – José Antônio de Figueiredo. Nasceu em 10-03-1756, quarta-feira, na moradia dos pais situada na Rua da Barreira, em Miragaia, Concelho do Porto, Portugal; sendo aí também batizado em 15-03-1756, segunda-feira, na igreja de São Pedro. Ele era filho legítimo dos portugueses [32] Antônio José de Távora de Figueiredo e [33] Luiza Teresa de Jesus; neto paterno de [64] Antônio Luiz de Távora de Figueiredo e de [65] Custódia Fernandes; e materno de [66] Paulo Cardoso e de [67] Antônia Coelho de Oliveira.
Ele veio solteiro para o Brasil, fixando-se na Capitania de Minas Gerais, onde se casou com a viúva [17] Rosa Joaquina da Costa, pelo que dizem, no dia 17-08-1785, quarta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi demolida por volta de 1850), situada no Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; tinha então 29 anos, 5 meses e 7 dias de idade.
Ele morreu no ano de 1802, com 45 para 46 anos de idade e cerca de 15 anos de casado; tendo o seu corpo sido sepultado dentro da capela de Nossa Senhora do Pilar.15,29,86,88,89,90
17 – Rosa Joaquina da Costa. Ela era filha legítima do coronel [34] Manuel Rodrigues da Costa e de [35] Joana Teresa de Jesus. Nascida no dia 17-04-1757, domingo, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, tendo 28 anos e 4 meses de idade ao contrair este seu segundo matrimônio com [16] José Antônio de Figueiredo.15,29,86
Já, o seu primeiro casamento fora realizado em Barbacena, Minas Gerais, no dia 18-05-1774, quarta-feira, quando tinha 17 anos, 1 mês e 1 dia de idade, com o capitão Manuel Monteiro de Pinho; sendo este natural de São Martinho de Gândara, Oliveira de Azeméis, Portugal, filho legítimo de Antônio Monteiro de Pinho e de Ana Francisca. E eles geraram dois filhos.86,90
18 – Francisco Gonçalves Couto. Era alferes, nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Filho do guarda-mor, [36] Manuel Gonçalves Couto e de sua mulher, [37] Mariana Angélica Gonçalves. Casou-se em primeiras núpcias, no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras do atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [19] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste costado. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto contraiu novo matrimônio com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do Guarda-Mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, que era mineira de Congonhas do Campo, atual Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
19 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais. Filha de [38] Antônio Gonçalves Côrtes e de sua mulher, [39] Ana Gonçalves Rodrigues. Ela foi a primeira mulher de [18] Francisco Gonçalves Couto.15,18,19,27,29,31,34
20 – Manuel Gonçalves Côrtes. Nascido no dia 02-09-1779, quinta-feira, na sede da fazenda Contramestre, situada em área hoje pertencente ao Município de Carandaí, Minas Gerais; e que foi batizado no dia 13-09-1779, segunda-feira, na capela de São José do Ribeirão de Alberto Dias, na atual Ressaquinha, Minas Gerais. Faleceu no dia 25-01-1827, quinta-feira, no Ribeirão dos Aventureiros, na sede da fazenda Fortaleza situada na região do atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, com a idade de 47 anos, 4 meses e 23 dias, e após 12 anos de casado com a viúva, [21] Luiza Teresa de Figueiredo. Ele era irmão da [19] Ana Zeferina Côrtes e ambos filhos legítimos de [40] Antônio Gonçalves Côrtes e de [41] Ana Gonçalves Rodrigues.15,90
21 – Luiza Teresa de Figueiredo. Nascida no dia 02-05-1787, quarta-feira, em Registro Velho, no atual Distrito de Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; onde foi batizada no dia 18-05-1787, sexta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar, tendo por padrinhos de batismo: os seus tios maternos: Padre Manuel Rodrigues da Costa (um dos Inconfidentes Mineiros) e Maria Josefa da Costa (que foi casada com o Alferes Custódio Ferreira Guimarães).15,90
Ela foi casada duas vezes. Primeiramente na citada capela, no dia 02-05-1803, segunda-feira, ao completar 16 anos de idade, com Manuel Simões Diniz, natural da vila de São José, atual Tiradentes, Minas Gerais, de quem ficou viúva no dia 22-02-1808, segunda-feira, em Barbacena, depois de 4 anos, 9 meses e 20 dias de casados; sendo ele filho do capitão Manuel Simões Diniz, que fora escrivão em Barbacena e de sua mulher, Rosa Maria da Assunção; e que tiveram quatro filhos. Pela segunda vez, ela se casou com [20] Manuel Gonçalves Côrtes, e eles tiveram cinco filhos e deram origem à tradicional família Figueiredo Côrtes; e que segue neste relatório. Ela era filha legítima de [42] José Antônio de Figueiredo e de [43] Rosa Joaquina da Costa.15,90,144,147
22 – José Alexandrino Villas Boas Coutinho major. Nascido no ano de 1789 em Minas Gerais. Filho de [44] Sebastião Martins Coutinho e de sua mulher, [45] Inácia Quitéria de Almeida e Gama. Assentou praça no Exército Brasileiro em 15-09-1803, chegando em sua brilhante e vasta carreira militar ao posto de major efetivo, em 08-06-1842. Casado em Pernambuco com [23] Lourença Emília Villas Boas Coutinho.84,85
23 – Lourença Emília Villas Boas Coutinho. Sendo seu nome de solteira: Lourença Emília Jorge. Era filha legítima de [46] Antônio Jorge da Silva e de [47] Lourença Maria da Conceição. Nascida no ano de 1806 no Recife, Pernambuco, e falecida aos 82 anos de idade, no dia 19-01-1889, sábado, na sede da fazenda Serra Bonita, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Ao ficar viúva do major (22] José Alexandrino Villas Boas Coutinho, contraiu segundo matrimônio com o capitão Antônio Antunes de Magalhães e ao ficar viúva deste, convolou novo casamento com o tenente-coronel João Evangelista Teixeira Rios (este viúvo de sua primeira esposa, Francisca Teixeira Leite e também da segunda, Ana Esméria Teixeira).69,84
26 – José Joaquim Monteiro de Castro — Foi coronel e fazendeiro. Natural de Congonhas do Campo, atual Congonhas, Minas Gerais. Era filho de [52] Domiciano Ferreira de Sá e Castro (22-02-1762—1823) e de sua mulher, dona [53] Maria do Carmo Monteiro de Barros — cujo casamento celebrado no dia 23-01-1799, quarta-feira, na citada Congonhas, deu origem à tradicional família Monteiro de Castro da Zona da Mata mineira.
José Joaquim Monteiro de Castro casou-se três vezes. Em primeiras núpcias, com dona [27] Maria do Carmo Monteiro da Silva, sua sobrinha, abaixo citada, que faz parte deste costado e eles tiveram sete filhos. Ao ficar viúvo da primeira esposa, contraiu segundo casamento com dona Ana Nóbrega de Airosa (sem geração); e ao ficar viúvo desta, casou-se pela terceira vez com dona Ambrosina Monteiro de Barros e eles tiveram quatro filhos.112,131,165,192
27 – Maria do Carmo Monteiro da Silva. Ela era filha legítima de [54] Gervásio Antônio da Silva Pinto e de dona [55] Margarida Eufrásia Monteiro de Castro. Casou-se com o fazendeiro, coronel [26] José Joaquim Monteiro de Castro, seu tio materno, de quem foi primeira mulher112,131,165,192
28 – Francisco José de Campos. Nascido em cerca de 1783. Era filho de [56] José Nunes de Campos e de sua mulher, [57] Indria Rosa Faria Moreira. Casado com [29] Ana Isabel do Nascimento Campos.192
29 – Ana Isabel do Nascimento Campos. Nascida por volta do ano de 1790. Casada com o fazendeiro [28] Francisco José de Campos. O seu nome de solteira era: Ana Isabel do Nascimento. O casal deixou uma prole de quinze filhos.192
O Doutor José Carlos Bastos Côrtes e sua esposa Therezinha de Castro Côrtes tiveram apenas um casal de filhos.50,190
VI-1 Dahyl de Castro Côrtes. Natural da cidade do Rio de Janeiro. Casou-se com Adriano Baratta Roque e adotou o nome de Dahyl Côrtes Roque. Residentes e domiciliados nesta mesma Capital, onde o marido possui o canil "Ponta do Recreio".50,190,231
VII-1 Luiza Côrtes Roque. Natural da cidade do Rio de Janeiro.190
VI-2 Clower de Castro Côrtes. Natural da cidade do Rio de Janeiro. Ele é fisioterapeuta, mas dedica-se com o nome artístico de "Clower Curtis" à sonoplastia, produção musical e audiovisual, nesta mesma Capital.50,190,231
V-2 Abigail de Castro Côrtes. Ela é natural do Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Casou-se em Vitória, Espírito Santo, com Annibal Simmer e adotou o nome de Abigail Côrtes Simmer. O casal é separado. Ela é microempresária na cidade de Juazeiro do Norte, Estado do Ceará.50,190,231
VI-1 Adhemar Côrtes Simmer. Natural da cidade de Vitória, Espírito Santo. Ele é consultor de vendas. Residente em Aparecida de Goiânia, Estado de Goiás. Ele tem um filho com sua ex-namorada Maria Irleide Fechine.50,190,231
VII-1 William Fechine Côrtes Simmer. Natural de Juazeiro do Norte, Estado do Ceará.231
V-3 Alcides de Castro Côrtes. Nascido na sede do sítio Engenho Novo, no Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Casou-se com Maria Anastasie da Silva, que adotou o nome de Maria Anastasie de Castro Côrtes. Ela é natural da cidade do Rio de Janeiro e filha legítima do ex-pracinha da Força Expedicionária Brasileira, Amaro Maurício da Silva e de dona Maria das Mercês Cavalcanti da Silva. O casal se separou e ela voltou a ter o seu nome de solteira. Ambos são residentes na cidade de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul.50,71,190,231
VI-1 Rodrigo de Castro Côrtes. Natural do Estado de Goiás. Empresário residente e domiciliado em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Casado com a médica otorrinolaringologista, Doutora Daniela Preto da Silva.190,231
VI-2 Lívia de Castro Côrtes. Natural do Estado de Goiás. Ela é Técnica em Assuntos Educacionais no Instituto Federal do Rio Grande do Sul. Mora em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.190,231
VI-3 Luís Otávio de Castro Côrtes. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Residente e domiciliado em Porto Nacional, Estado do Tocantins.190,231
V-4 Wilson de Castro Côrtes — "Wilsinho". Nascido no dia 14-05-1947, quarta-feira, em Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se no dia 30-09-1972, sábado, em Além Paraíba, com a professora e sua conterrânea, Maria Terezinha Faria Ferreira, que adotou o nome de Maria Terezinha Ferreira Côrtes. Ela, filha legítima de Pedro Paulo Castro Ferreira e de dona Eny Faria Ferreira. O comerciante Wilson de Castro Côrtes faleceu no dia 12-01-1986, domingo, às 8 horas e 30 minutos, em seu bar. Contava 38 anos, 7 meses e 24 dias de idade, e tinha 13 anos, 3 meses e 13 dias de casado. O seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal de Além Paraíba. Eles tiveram três filhas. Já a viúva Maria Terezinha Ferreira Côrtes, reside em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.50,80,190,231
VI-1 Renata Ferreira Côrtes. Ela é natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casada e residente em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Tem geração.50,190,231
VI-2 Paula Ferreira Côrtes. Ela é natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casada com Marcio Maciel. São residentes e domiciliados em Curitiba, Paraná.
VI-3 Flávia Ferreira Côrtes. Ela é natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Ela teve uma filha com o seu namorado e conterrâneo, Rodrigo Paes de Andrade.50
VII-1 Júlia Côrtes de Andrade. Natural de Além Paraíba, Minas Gerais.50
VI-3 Flávia Ferreira Côrtes. Residente em Birigui, Estado de São Paulo. Casada com Luiz Castro.231
VII-2 Luiz.231
V-5 Sebastião de Castro Côrtes. Ele é nascido na sede da fazenda São João, em Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se em Gurupi, Estado do Tocantins, com Luzamar de Souza Bezerra, que adotou o nome de Luzamar Bezerra Côrtes. O casal é residente e domiciliado em Paraíso do Tocantins, Estado do Tocantins.50,190,231
Alguns ascendentes da esposa:
1 – Luzamar Bezerra Côrtes.50,190,231,285
Pais:
2 – Ercílio Bezerra de Castro.285
3 – Luzina de Souza Bezerra. Nome de solteira: Luzina Correia de Souza. Viúva, completou recentemente 99 anos de idade.285
Avós maternos:
6 – Raimundo de Souza Correia — "Mundoca".285
7 – Josefa Ferreira Soares. Filha legítima de [14] Norberto Ferreira Soares e de [15] Catarina Ferreira de Brito.285
Bisavós:
14 – Norberto Ferreira Soares. Filho legítimo de [28] Bento Ferreira Soares e de [29] Rosimunda Ferreira Soares. Casado com [15] Catarina Ferreira de Brito.285
15 – Catarina Ferreira de Brito. Casada com [14] Norberto Ferreira Soares.285
Trisavós:
28 – Bento Ferreira Soares. Era casado com [29] Rosimunda Ferreira Soares.285
29 – Rosimunda Ferreira Soares. Casada com [28] Bento Ferreira Soares.285
Sebastião de Castro Côrtes e Luzamar Bezerra Côrtes tiveram três filhos:
VI-1 André Bezerra Côrtes. Ele é natural de Gurupi, Estado do Tocantins. Casado com Acácia Arruda de Amorim. São residentes e domiciliados em Ariquemes, Estado de Rondônia (2016).50,190,231,285
VI-2 Milena Bezerra Côrtes. Ela é natural de Gurupi, Tocantins. Casou-se em Paraíso do Tocantins, com Rawlinson dos Santos Silva e adotou o nome de Milena Bezerra Côrtes Silva.50,190,231,285
VI-3 Flavio Bezerra Côrtes. Falecido.285
V-6 Leonor de Castro Côrtes. Cirurgiã-dentista, natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com o médico veterinário, Doutor Galeno Paranhos Sampaio, natural de Catalão, Goiás, e adotou o nome de Leonor de Castro Côrtes Sampaio. São residentes e domiciliados em Goiânia, Goiás.190,231
VI-1 Aline Côrtes Sampaio. Natural de Goiânia, Goiás. Ela é funcionária do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.190,231
VI-2 Thiago Côrtes Sampaio. Ele é natural da cidade de Goiânia, Goiás. Médico especialista em Cirurgia Geral e Anestesiologia, residente e domiciliado nesta mesma Capital.190,231
VI-3 Matheus de Côrtes Sampaio. Advogado, natural de Goiânia, Goiás. Residente e domiciliado nesta mesma Capital.190,231
V-7 Antônia de Castro Côrtes. Geóloga, natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se em Fortaleza, Ceará, com o geólogo Francisco Pessoa Machado, natural de Coreaú, Ceará. Antônia de Castro Côrtes Pessoa é o seu nome de casada. São residentes e domiciliados na Capital Cearense.190
V-8 Fernando de Castro Côrtes. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casou-se com sua prima Julia Amaral de Castro, que adotou o nome de Julia Amaral de Castro Côrtes. Eles não possuem filhos devido à consanguinidade. Vide abaixo em V-4 Julia Amaral de Castro.50,190,231
Ascendentes da esposa:
1 – Júlia Amaral de Castro Côrtes.50
Pais:
2 – Luiz Tavares de Castro (25-10-1921—22-03-1981).50,71
3 – Maria Georgina Amaral de Castro (08-09-1925—16-08-1993). O seu nome de solteira era: Maria Georgina Suckow Amaral.50
Avós paternos:
4 – Sebastião Pacheco de Castro (18-03-1897—12-07-1974). Filho de [8] Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua primeira esposa, [9] Maria Teresa Pacheco de Castro.14,50,71,92,164
5 – Leonor Tavares de Castro (17-04-1903—20-01-1989). Seu nome de solteira era: Leonor Tavares da Silva. Filha legítima do fazendeiro [10] José Tavares da Silva e de [11] Maria do Rosário da Silva.14,50,92,163
Avós maternos:
6 – Humberto Amaral (05-05-1889—06-08-1972). Era filho legítimo de [12] Sabino Alves do Amaral Freire e de [13] Georgina Ferreira do Amaral.50,204,205,206
7 – Maria da Glória Júlia Suckow Amaral (08-07-1895—04-06-1974); cujo nome de solteira era Maria da Glória Júlia Suckow. Filha legítima do Doutor [14] Gustavo Adolpho de Suckow Júnior e de [15] Júlia Rodrigues de Suckow.50, 204,205,206
Bisavós:
8 – Luiz Augusto Teixeira de Castro (01-06-1867—03-12-1935). Ele se casou em 19-12-1891, sábado, com sua primeira esposa, [9] Maria Teresa Pacheco de Castro. Ele era filho legítimo do português, [16] Joaquim Antônio Teixeira de Castro e de [17] Carolina Augusta de Siqueira Castro.14,50,62,63,65,67,69
9 – Maria Teresa Pacheco de Castro (22-01-1873—01-03-1899). O seu nome de solteira era Maria Teresa Pacheco Vieira. Foi primeira esposa do fazendeiro [8] Luiz Augusto Teixeira de Castro. Era filha legítima do fazendeiro [18] Manuel Pacheco Vieira e de [19] Victoria Amarante Pacheco.14,50,61,62,63
10 – José Tavares da Silva. Agropecuarista, proprietário da fazenda Esperança, no povoado de São Domingos, em São Sebastião da Estrela, atual Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais. Casado com [11] Maria do Rosário Tavares da Silva. Ele era natural do Minho, Portugal e filho legítimo de [20] Manuel Tavares da Eira e de [21] Maria Tavares.92
11 – Maria do Rosário Tavares da Silva (1872—1933). O seu nome de solteira era: Maria do Rosário da Silva. Filha natural de dona [23] Helena Maria da Silva. Todos eles naturais de São Sebastião da Estrela, hoje Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais. Casada com o português, [10] José Tavares da Silva.50,92
12 – Sabino Alves do Amaral Freire. Nascido na então Província do Rio de Janeiro, por volta de 1834. Tabelião público judicial e de notas de Maxambomba, que na época havia sido elevada à categoria de vila atual Nova Iguaçu, Estado do Rio de Janeiro. Ele casou-se em primeiras núpcias com Emília do Amaral Freire e em segundas com [13] Georgina Ferreira do Amaral. Era filho legítimo de [24] Albino Alves Freire e de [25] Maria Benedita Grinaldas. Sabino Alves do Amaral faleceu no dia 08-05-1900, terça-feira, no Bairro de Cascadura, no Rio de Janeiro, aos 66 anos de idade e seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Jacarepaguá nesta mesma Capital. Deixou oito filhos, sendo três maiores com a primeira mulher: Maria Augusta Duarte do Amaral, Joaquim Ciríaco Duarte Amaral e Arquimedes Duarte Amaral; e quatro menores, com a segunda: Alice, de 12 anos; [6] Humberto, com 10 anos; Ari Kernen, de 4 anos; e Maria Augusta, de 8 meses.204,205,206
13 – Georgina Ferreira do Amaral. Nascida por volta de 1864 em Magé, Rio de Janeiro. Casou-se com [12] Sabino Alves do Amaral Freire. Ela faleceu no dia 10-07-1901, quarta-feira, aos 37 anos de idade em Magé. Seu corpo jaz sepultado no cemitério da matriz, em Magé. Era filha legítima de [26] José Joaquim Ferreira da Fonseca e de [27] Mariana Alves Ferreira Rebello.204,205,206
14 – Gustavo Adolpho de Suckow Júnior. Advogado, falecido em Ribeirão Bonito, Estado de São Paulo, no dia 23-09-1916, sábado. Casado com [15] Júlia Rodrigues de Suckow. Era filho legítimo de [28] Gustavo Adolpho de Suckow e de [29] Rita Clara Monteiro de Barros Suckow.203,204,207,208
15 – Júlia Rodrigues de Suckow. O seu nome de solteira era: Júlia Rodrigues. Nascida no ano de 1873 e casada com o advogado, Doutor [14] Gustavo Adolpho de Suckow Júnior. Quando viúva, residiu no Distrito de São Sebastião, Município de Barra Mansa, Estado do Rio de Janeiro.203,204,207,208
Trisavós:
16 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca de 1816—31-01-1893). Era natural do norte de Portugal. Viúvo de sua consorte Constança Maria da Conceição, casou-se em 1856 com a também viúva [17] Carolina Augusta de Siqueira Castro. Ele faleceu no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, aos 76 anos de idade. Foi o patriarca no Brasil deste ramo da família Castro. Ele estudara em colégio para ordenação de sacerdotes em Portugal.1, 9,10
17 – Carolina Augusta de Siqueira Castro Ela nasceu em Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [34] Francisco Antunes de Sequeira e de [35] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [16] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, viúvo que ficara de Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba.1,9,15
18 – Manuel Pacheco Vieira (30-05-1844—09-08-1914). Ele era filho legítimo de [36] José Gomes Vieira de Souza e de [37] Carolina Leopoldina Cândida Vieira. Natural de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Casado aí em 13-04-1869, terça-feira, com sua conterrânea, [11] Victoria Amarante Pacheco. Após cerca de seis anos de casado transferiu-se com a família para Minas Gerais, onde foi próspero fazendeiro, proprietário da fazenda São Manuel, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, no Município de Volta Grande. Ele faleceu na sede de sua fazenda; e seu corpo foi sepultado no túmulo da família no cemitério público de Trimonte. Contava 70 anos, 2 meses e 10 dias de idade e 45 anos, 3 meses e 27 dias de casado.61,62,69,96
19 – Victoria Amarante Pacheco (16-04-1848—16-07-1924). O seu nome de solteira era: Victoria Maria do Amarantes. Era filha legítima de [38] José Luciano do Amarantes e de [39] Rosa Pereira de Jesus. Natural de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro, onde se casou no dia 13-04-1869, terça-feira, com [18] Manuel Pacheco Vieira. Após o nascimento de suas filhas Leopoldina e Maria Teresa, mudou-se para Minas Gerais onde nasceram os outros três filhos do casal: a Antonieta, o João e o Francisco. Dona Victoria faleceu de morte natural, conforme atestado de óbito firmado pelo Doutor Arthur Teixeira Côrtes, no dia 16-07-1924, quarta-feira, às 9 horas e 30 minutos, na sede de sua fazenda São Manuel, no então Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Contava exatos: 76 anos e 3 meses de idade, e 9 anos, 11 meses e 7 dias como viúva. Seu corpo jaz sepultado no túmulo da família no Cemitério Público de Trimonte.61,62,69,96
20 – Manuel Tavares da Eira. Casado com dona [21] Maria Tavares. Naturais de Portugal.92
21 – Maria Tavares. Casada com [20] Manuel Tavares da Eira. Ambos naturais de Portugal.92
22 – Não mencionado.92
23 – Helena Maria da Silva.92
24 – Albino Alves Freire. Era casado com a dona [25] Maria Benedita Grinaldas.206
25 – Maria Benedita Grinaldas. Ela era casada com [24] Albino Alves Freire.206
26 – José Joaquim Ferreira da Fonseca. Era casado com dona [27] Mariana Alves Ferreira Rebello.205
27 – Mariana Alves Ferreira Rebello. Ela era casada com [26] José Joaquim Ferreira da Fonseca.205
28 – Gustavo Adolpho de Suckow (09-03-1839—25-12-1915). Era natural da cidade do Rio de Janeiro. Diplomou-se em Direito no ano de 1863 na Capital Paulista e se estabeleceu com sua banca advocatícia na sua terra natal. Casado no dia 11-02-1865, sábado, no Rio de Janeiro com dona [29] Rita Clara Monteiro de Barros Suckow. Era filho legítimo do major [56] Hans Wilhelm von Suckow e de dona [57] Ana Luiza da Conceição.120,203,207,208
29 – Rita Clara Monteiro de Barros Suckow (25-12-1847—01-09-1930). O seu nome de solteira era: Rita Clara Monteiro de Barros. Casada com o advogado, Doutor [28] Gustavo Adolpho de Suckow, no dia 11-02-1865, sábado, na freguesia de Santana, na cidade do Rio de Janeiro, onde ambos nasceram e também faleceram. Ela era filha do tenente-coronel, [58] Júlio César de Miranda Monteiro de Barros e de sua primeira mulher, dona [59] Emiliana de Souza Monteiro de Barros, fazendeiros e grandes produtores de café.112,120,203,207,208
V-9 Rita de Cássia de Castro Côrtes. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casou-se com o engenheiro químico, Sérgio Roberto Freitas, natural de Uberlândia, Minas Gerais, e adotou o nome de Rita de Cássia de Castro Côrtes de Freitas. O casal é residente e domiciliado em Uberlândia.190
VI-1 Patrícia Côrtes de Freitas. Natural da cidade de Uberlândia, Minas Gerais.190
VI-2 Mariana Côrtes de Freitas. Natural da cidade de Uberlândia, Minas Gerais.190
IV-5 Luiz de Castro Côrtes. Agropecuarista, filho legítimo de Alcides Teixeira Côrtes e de Abigail de Castro Côrtes, nascido em 17-07-1921, domingo, às 15 horas, na sede da fazenda Boa Vista, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Ele se casou no dia 26-01-1942, segunda-feira, na cidade de Além Paraíba, com Cinira de Castro Mattos, que adotou o nome de Cinira de Mattos Côrtes. Esta nascida no dia 02-08-1922, quarta-feira, em Mar de Espanha, Minas Gerais e falecida em Governador Valadares, Minas Gerais.50,79,80
Luiz de Castro Côrtes faleceu viúvo, também em Governador Valadares, no dia 02-08-2009, domingo, aos 88 anos e 16 dias de idade coincidentemente no dia do aniversário de sua falecida esposa.50,106
Ascendência da esposa:
1 – Cinira de Mattos Côrtes.50,191
Pais:
2 – Agostinho Lopes de Mattos. Ele foi casado duas vezes. Sua primeira mulher foi Lídia Côrtes de Castro e a segunda, [3] Edina de Castro Mattos, viúva que ficara de Fidelcino Pacheco de Castro.50,80
3 – Edina de Castro Mattos (28-08-1885—24-10-1970). Seu nome quando solteira era: Edina Rodrigues da Costa Castro. Foi segunda mulher do viúvo, [2] Agostinho Lopes de Mattos.50,80,191
Avós paternos:
4 – Antônio Lopes de Mattos.191
5 – Maria Joaquina Xavier de Mattos. Era filha legítima de [10] Joaquim Xavier Ferreira e de [11] Maria Teresa do Carmo.191
Avós maternos:
6 – Agostinho Basílio Rodrigues da Costa. Filho legítimo de [12] Basílio Rodrigues da Costa e de dona [13] Carlota Agostiniana de Castro.191
7 – Dometilde Augusta Côrtes de Castro. Filha legítima de [14] Silvestre Pacheco Frederico de Castro e de dona [15] Ana Cândida de Figueiredo Côrtes.191
Bisavós:
10 – Joaquim Xavier Ferreira.191
11 – Maria Teresa do Carmo.191
12 – Basílio Rodrigues da Costa.191
13 – Carlota Agostiniana de Castro.191
14 – Silvestre Pacheco Frederico de Castro. Natural de Mar de Espanha, Minas Gerais. Casou-se com [15] Ana Cândida de Figueiredo Côrtes, no dia 01-06-1849, sexta-feira, na capela da Boa Morte, na freguesia de Barbacena, Minas Gerais. Ele era filho legítimo de [28] Agostinho José Frederico de Castro e de [29] Joana Carolina Batista do Vale.191,197,198
15 – Ana Cândida de Figueiredo Côrtes. Nascida em 20-09-1831, terça-feira, em Itaverava, Minas Gerais.191,198
Trisavós:
22 – Antônio José da Costa. Casado com [23] Maria Luiza do Carmo. Era filho de [44 e 48] Basílio José da Costa e de sua mulher, [45 e 49] Teresa Isabel.191
23 – Maria Luiza do Carmo. Ela era filha legítima de [46 e 50], Maurício Antônio Cláudio, nascido em Ressaca, atual Carandaí, Minas Gerais, e de sua mulher, [47 e 51] Francisca Carlota Rodrigues, nascida no Ribeirão de Alberto Dias, atual Ressaquinha, Minas Gerais; que se casaram no dia 15-02-1790, segunda-feira, na capela de Nossa Senhora da Glória da Ressaca, em Carandaí.30,35,158,191
24 – Antônio José da Costa. A mesma pessoa de números 22 e 24.
25 – Maria Luiza do Carmo. A mesma pessoa de números 23 e 25.
26 – Agostinho José Frederico de Castro. Casado com [27] Joana Batista do Vale. Fundou três fazendas de café na região do ribeirão das Cabeceiras em Mar de Espanha, Minas Gerais, denominadas: Mutuca, Gruta e Barra do Limoeiro. Foi aí subdelegado de polícia e mais tarde vereador por dois períodos: 1857-1860 e 1860-1863. Faleceu no dia 04-01-1863, domingo, em Mar de Espanha. Era filho legítimo de [52] João Maquieira, natural de São Veríssimo, Pontevedra, Galiza, Espanha, e de [53] Maria Inácia Ferreira, casados em 18-09-1769, segunda-feira, na igreja matriz de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, na atual cidade de Barbacena, Minas Gerais.30,35,191
27 – Joana Carolina Batista do Vale. Nascida e batizada por volta de 1792 em Ressaca, atual Carandaí, Minas Gerais. Casou-se no dia 29-04-1811, segunda-feira, em Barbacena, Minas Gerais. Dona de casa e bordadeira, obteve sesmaria no dia 22-06-1819, terça-feira, no Sertão do Cágado, atual Município de Mar de Espanha, Minas Gerais, onde faleceu. Era filha legítima de [54] Maurício Antônio Cláudio e de [55] Francisca Carlota Rodrigues.30,35,191
28 – Agostinho José Frederico de Castro. A mesma pessoa de números 26 e 28.
29 – Joana Carolina Batista do Vale. A mesma pessoa de números 27 e 29.
30 – Joaquim José Cesário de Figueiredo. Fazendeiro e tenente, nascido em dezembro de 1799, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais e que foi aí batizado no dia 04-01-1800, sábado, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi desativada por volta de 1850). Ele faleceu em 09-05-1861, quinta-feira, aos 61 anos e 4 meses de idade, aproximadamente, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Era casado com [31] Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes e filho do patriarca português, [60] José Antônio de Figueiredo e de sua mulher [61] Rosa Joaquina da Costa, sendo esta, viúva de seu primeiro casamento com Manuel Monteiro de Pinho.15,29,69
31 – Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes. (1809—04-06-1886). Natural do Rio Espera, Minas Gerais e falecida em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casada com [30] Joaquim José Cesário de Figueiredo e filha legítima do alferes e fazendeiro, [62] Francisco Gonçalves Couto e de sua primeira mulher, [63] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste costado. O alferes Francisco Gonçalves Couto, ao ficar viúvo, casou pela segunda vez, com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, filha legítima do guarda-mor, Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira e de Ana Francisca de Ávila e Silva.15,29,69
O casal Luiz de Castro Côrtes e Cinira de Mattos Côrtes foram fazendeiros em Governador Valadares, Estado de Minas Gerais.50
V-1 Júlio César de Mattos Côrtes. Casado com Anete Bretas Côrtes.50
VI-1 Júlio César Bretas Côrtes. Ele é empresário em Governador Valadares, Minas Gerais.50,231
VI-2 Maria do Socorro Bretas Côrtes. Casada com Daniel Amaral. Seu nome de casada é Maria do Socorro Bretas Côrtes Amaral. São residentes e domiciliados em Governador Valadares, Estado de Minas Gerais.50,231
VII-1 Hanna.231
VII-2 Daniel.231
V-2 Maria Vitória de Mattos Côrtes. Natural do Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Casou-se com José Carlos da Gama, e adotou o nome de Maria Vitória Côrtes Gama. Estabelecidos em Governador Valadares, Minas Gerais.50,71
VI-1 José Luiz Côrtes Gama. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Ele é médico veterinário e consultor de Saneamento Ambiental. Foi aí criador de cavalos da raça campolina e professor de Administração. Ele atualmente é residente e domiciliado na cidade de Sorriso, Estado do Mato Grosso.50,231
VI-2 Ana Cristina Côrtes Gama. Natural da cidade de Governador Valadares, Estado de Minas Gerais. Médica fonoaudióloga graduada no ano de 1990 pela Universidade Católica de Goiás, e possuidora de especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado pela Universidade Federal de São Paulo. Ela é também reconhecida telejornalista. Reside em Belo Horizonte, Minas Gerais, onde faz parte do corpo docente do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Minas Gerais.50,231
VI-3 Carlos Côrtes Gama. Ele é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Sem mais notícias.50,231
V-3 João Paulo de Mattos Côrtes. Ele é produtor rural na cidade de Governador Valadares, Minas Gerais.50,231
V-4 Dail de Mattos Côrtes. Natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Adivan Cunha, e adotou o nome de Dail Côrtes Cunha. São residentes e domiciliados na cidade de Governador Valadares, Minas Gerais.50,231
VI-1 Luciana Côrtes Cunha. Ela é advogada. Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais, onde é residente e domiciliada.50,231
VI-2 Adivan Cunha Junior. Ele é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais.
V-5 Luiz de Mattos Côrtes. Ele é produtor rural na cidade de Governador Valadares, Minas Gerais.50,231
V-6 Inez de Mattos Côrtes. Casou-se com José Gomes Ribeiro e adotou o nome de Inez Côrtes Ribeiro.50
VI-1 Josué Rildecy Mattos Ribeiro.50
VI-2 Júlia Maria Mattos Ribeiro.50
VI-3 Nancy Mattos Ribeiro.50
VI-4 Rosely Mattos Ribeiro.50
VI-5 José Gomes Mattos Ribeiro.50
IV-6 Francisco de Castro Côrtes. Nascido no dia 05-04-1924, sábado, às vinte horas, na sede da fazenda Boa Vista, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com Maria Helena Brandão, que adotou o nome de Maria Helena Brandão Côrtes. Esta nascida em Juiz de Fora, Minas Gerais, filha legítima de Mílton Brandão.15,50,79
Francisco de Castro Côrtes participou com grande dedicação e integridade dos quadros da Federação Mineira de Futebol na década de 1950. Ele se tornou vice-presidente da Federação Mineira de Futebol, na chapa do presidente Natalício Carsalade, eleitos na nova eleição marcada pela assembleia geral da entidade e realizada no dia 20-06-1955, segunda-feira; isto, após a oficialização da renúncia do então presidente Antônio Abrahão Caram, por motivo de saúde; e Natalício Carsalade que era então o seu vice-presidente assumiu o cargo de presidente até a realização de nova eleição, conforme estatutos.276 Do dia 22-11-1955 até 12-12-1955 Francisco de Castro Côrtes assumiu o cargo de presidente da entidade, devido à licença de vinte dias do titular, Natalício Carsalade.276 Em 19-06-1956, terça-feira, houve eleição para novo mandato de quatro anos e Francisco de Castro Côrtes se elegeu presidente e Britaldo Silveira vice-presidente, que venceram os concorrentes da segunda chapa: Antônio Abrahão Caram e Natalício Carsalade; duas chapas de renome.276 Francisco de Castro Côrtes desde que tomou posse na presidência da FMF, foi protagonista e incansável batalhador pela construção de um estádio de futebol em Belo Horizonte (sonho já antigo de muitos futebolistas da Capital); o início da sua gestão coincidiu com a chegada de Juscelino Kubitschek de Oliveira à presidência da república.231 Rapidamente a sociedade foi apoiando a iniciativa e ele chegou a propor um local às margens da rodovia na chegada da cidade (que mais tarde recebeu o prefixo de BR-040). Contou muito com a solicitude do seu amigo, deputado Geraldo Starling Soares (15-03-1911—17-08-1994) – então presidente do Conselho Nacional de Desportos, e o apoio das emissoras de rádio e jornais da Capital Mineira.276 Muitos contatos importantes foram surgindo rapidamente junto aos governos, quais sejam: municipal – na pessoa do prefeito Celso Mello de Azevedo (02-07-1915—16-07-2004); estadual – na do governador José Francisco Bias Fortes (03-04-1891—30-03-1971); e federal – na do presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira (12-09-1902—22-08-1976). Todavia, eis que surgiu proposta vinda da Câmara do Comércio Latino-Americano da cidade do Rio de Janeiro com arquitetos que já tinham no currículo experiência da construção do estádio do Maracanã. Na sequência, pouco depois, e de acordo com autorização do presidente da república, formou-se uma comissão desses engenheiros que se dirigiram a Belo Horizonte na primeira quinzena do mês de novembro de 1957 para a escolha definitiva do local para a construção do futuro estádio; tendo sido finalmente escolhido o local então conhecido como Gameleiras.276 Após a escolha, Francisco de Castro Côrtes e o deputado Geraldo Starling Soares foram à cidade do Rio de Janeiro, solicitar uma audiência ao Chefe da Nação, para tratar das providências já tomadas e em andamento com a Prefeitura de Belo Horizonte, Governo de Minas Gerais e o próprio Governo Federal, da elaboração do projeto visando o início das obras. No ano de 1959, o deputado estadual Jorge Carone Filho (29-06-1919—19-11-2010), recebeu apoio das partes e foi o responsável para apresentar o projeto de lei à Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. E a obra então teve início no mês de abril de 1960, no governo de José Francisco Bias Fortes e que continuou durante o governo de José de Magalhães Pinto (28-06-1909—06-03-1996), e foi inaugurado no dia 05-09-1965, domingo; estádio que recebeu diversos nomes: inicialmente era chamado de Estádio das Gameleiras, depois Estádio de Belo Horizonte; a seguir, Estádio Minas Gerais; mas, que teve seu nome mudado oficialmente para Estádio Governador Magalhães Pinto – o popular "Mineirão".118,276 Francisco de Castro Côrtes durante sua gestão na Federação Mineira de Futebol, não só providenciou uma nova sede para a entidade (aquisição do 9o andar inteiro de um edifício que foi pago em doze meses), como também a aparelhou convenientemente, dando-lhe uma considerável e efetiva ascensão técnica, econômica e financeira. Em sua gestão foi reformulada a primeira divisão de profissionais e criada a segunda divisão do campeonato mineiro de futebol.231,276 Depois de deixar a presidência da entidade, ele ocupou o cargo de presidente do Conselho Superior da referida Federação Mineira de Futebol.276
Francisco de Castro Côrtes pertenceu também aos quadros do "Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Belo Horizonte e Região Metropolitana", fundada por iniciativa dele, hoteleiro (Hotel Sul-Americano), junto a diversos amigos comerciantes da Capital Mineira. Tendo sido o primeiro presidente da entidade, no período de 1971 a 1977; tesoureiro de 1977 a 1983; e novamente presidente de 1983 a 1986. Durante sua gestão foi adquirida a sede própria da entidade.231
Francisco de Castro Côrtes faleceu no dia 19-01-2006, quinta-feira, na cidade de Belo Horizonte, onde era residente e domiciliado; contava 81 anos, 9 meses e 14 dias de idade.106
O casal Francisco de Castro Côrtes e Maria Helena Brandão Côrtes teve nove filhos.50
V-1 Dahyl Helena Brandão Côrtes. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casou-se aí com Luiz Márcio Caravita Araújo e adotou o nome de Dahyl Helena Côrtes de Araújo. Residem nesta mesma Capital.50,231
VI-1 Flavio Marcio Côrtes de Araújo. Ele é médico formado em Acupuntura Médica e Anestesiologia, natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde é residente e domiciliado. Casado.50,231
VI-2 Patrícia Côrtes Araújo. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Funcionária pública federal do Tribunal Regional do Trabalho, em Belo Horizonte.50,231
VI-3 Luiz Fernando Côrtes Caravita. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Advogado residente e domiciliado na Capital Mineira.50,231
V-2 Luiz Eduardo Brandão Cortes. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Capital, pela primeira vez, com Regina Célia Farah, que adotou o nome de Regina Célia Farah Cortes. O casal se separou.15,50,231
VI-1 Eduardo Farah Cortes. Ele é natural de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais. Formado em Administração de Empresas. É empresário na Capital Mineira. Casado e tem filhos.50,231
VI-2 Daniela Farah Cortes. Ela é administradora de empresas, natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde reside. Solteira.50,231
VI-3 Andrea Farah Cortes. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.231
V-2 Luiz Eduardo Brandão Cortes. Depois da separação, casou-se pela segunda vez, em Belo Horizonte, Minas Gerais, com Lydia Alvarenga Stancioli. Residem nesta mesma Capital.15,50,231
V-3 Francisco de Paula Brandão Cortes ‒ "Chiquinho". Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou pela primeira vez, com Isa Andrade Drumond. O casal se separou. Sem geração.15,50
V-3 Francisco de Paula Brandão Cortes ‒ "Chiquinho". Depois de sua separação, uniu-se pela segunda vez, em união consensual estável, na cidade de Belo Horizonte, onde reside, com Hérica Rangel Portela. Eles têm um filho.15,50,231
VI-1 Francisco de Castro Cortes Neto. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.231
V-4 Maria Amélia Brandão Cortes. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Capital com Aloísio Machado Drumond. O casal é divorciado. Sem geração.15,50
V-5 Geraldo Magela Brandão Côrtes. Gêmeo com José Newton Brandão Côrtes, natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Jacqueline Alves de Castro. Ele é formado em Direito do Trabalho pela PUC Minas (2008). Eles são residentes e domiciliados nesta mesma Capital.15,50,231,261
V-6 José Newton Brandão Côrtes. Gêmeo com Geraldo Magela Brandão Côrtes, natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Ele se casou nesta mesma Capital com Maria Madalena de Melo. que adotou o nome de Maria Madalena de Melo Côrtes. Eles são residentes e domiciliados nesta mesma Capital.15,50,231,261
VI-1 Raquel de Melo Côrtes. Natural e residente em Belo Horizonte, Minas Gerais.231,261
V-7 Vera Lúcia Brandão Côrtes. Ela é natural, residente e domiciliada em Belo Horizonte, Minas Gerais.15,50
V-8 Carlos Henrique Brandão Côrtes. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Empresário residente e domiciliado na Capital Mineira. Conselheiro Benemérito do Clube Atlético Mineiro.15,50,231
V-9 Maria Cristina Brandão Côrtes. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais. Empresária, casou-se em Belo Horizonte, com Telmo Carneiro Rocha e manteve o nome de solteira. São residentes e domiciliados nesta mesma Capital.15,50,261
IV-7 Maria Thereza de Castro Côrtes. Nasceu no dia 13-04-1927, quarta-feira, às sete horas, na sede da fazenda Boa Vista, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais e recebeu o mesmo nome de sua avó materna. Casou-se no dia 26-05-1951, sábado, na cidade de Belo Horizonte, com o agropecuarista Jáder Bastos Côrtes e manteve o nome de solteira. Ele nascido no dia 29-04-1925, quarta-feira, na sede da fazenda Serra Bonita, também no Distrito de Angustura. E desta fazenda tornaram-se proprietários e ficaram morando.15,50,71
Ela, mesmo depois haver perdido completamente a sua capacidade visual, continuou sempre uma pessoa alegre e feliz, um exemplo de resignação. Veio a falecer no dia 22-07-2003, terça-feira, em Além Paraíba, Minas Gerais; contava 76 anos, 3 meses e 9 dias de idade, e 52 anos, 1 mês e 26 dias de casada. Seu corpo jaz sepultado no túmulo da família, no Cemitério de Angustura.50,106
O Jáder Bastos Côrtes faleceu viúvo, em Além Paraíba, no dia 11-02-2009, quarta-feira, aos 83 anos, 9 meses e 13 dias de idade. O Jáder Bastos Côrtes era irmão do médico doutor José Carlos Bastos Côrtes marido da Teresinha de Castro Côrtes, que por ser filha de Wilson de Castro Côrtes, é sobrinha pelo lado paterno da Maria Teresa de Castro Côrtes.50,106
Ascendentes do marido:
1 – Jáder Bastos Côrtes (29-04-1925—11-02-2009).71,106
Pais:
2 – Mário Villas Boas de Figueiredo Côrtes (29-06-187825-11-1945). Major e fazendeiro, natural de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde foi proprietário da fazenda Serra Bonita; e que aí faleceu aos 67 anos, 4 meses e 27 dias de idade. Filho legítimo do Doutor [4] Elydio Cesário de Figueiredo Côrtes e de [5] Lourença Emília Villas Boas Côrtes. Foi casado duas vezes: em primeiras núpcias com Bárbara Raquel de Castro Côrtes (quando solteira: Bárbara Raquel de Figueiredo Castro), filha de Augusto Cesário de Figueiredo Côrtes e de sua mulher, Ana Cândida Côrtes de Castro. Ele ao ficar viúvo, convolou segundas núpcias, com [3] Margarida Bastos Côrtes, que segue neste relatório.50,69,112,165
3 – Margarida Bastos Côrtes — sendo o seu nome de solteira: Margarida Campos Bastos. Filha legítima de [6] João José Monteiro Bastos e de dona [7] Josefina Carlota de Campos Bastos. Foi segunda mulher do major (2] Mário Villas Boas de Figueiredo Côrtes; sendo este viúvo de dona Bárbara Raquel de Castro Côrtes. Ela morreu aos 66 anos de idade e foi sepultada no dia 26-10-1961 no Cemitério Nossa Senhora da Glória, em Juiz de Fora, Minas Gerais.50,95,165,192
Avós paternos:
4 – Doutor Elydio Cesário de Figueiredo Côrtes. Advogado, nascido em 1845 em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais; onde foi proprietário da fazenda Monte Alegre, por ele fundada em 1888. Filho legítimo de [8] Joaquim José Cesário de Figueiredo e de dona [9] Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes. Casado com [5] Lourença Emília Villas Boas Côrtes.69,112,160
5 – Lourença Emília Villas Boas Côrtes (18-05-185628-05-1922). Filha de [10] Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes e de sua mulher, [11] Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. Casada com o advogado e fazendeiro, Doutor [4] Elydio Cesário de Figueiredo Côrtes.112.160
Avós maternos:
6 – João José Monteiro Bastos. Nascido por volta de 1864. Filho legítimo de [12] João José Bastos Pinto e de [13] Margarida Eufrásia Monteiro Bastos Pinto. Casado com dona [7] Josefina Carlota de Campos Bastos. Ele morreu viúvo aos 80 anos de idade em Juiz de Fora, Minas Gerais; e seu corpo foi sepultado no dia 14-04-1945, sábado, no Cemitério Nossa Senhora da Glória, nesta mesma Cidade.95,112,165,192
7 – Josefina Carlota de Campos Bastos — "Fifina". Sendo o seu nome de solteira: Josefina Carlota de Oliveira Campos. Nascida por volta de 1870, filha legítima de [14] José Carlos de Campos e de dona [15] Maria Carlota de Oliveira Campos. Casada com [6] João José Monteiro Bastos. Ela morreu aos 70 anos de idade, em Juiz de Fora, Minas Gerais; e seu corpo foi sepultado no dia 26-12-1940, quinta-feira, no Cemitério Nossa Senhora da Glória, também em Juiz de Fora.95,112,165,192
Bisavós:
8 – Joaquim José Cesário de Figueiredo. Fazendeiro e tenente, nascido em dezembro de 1799, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais e que foi aí batizado no dia 04-01-1800, sábado, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi desativada por volta de 1850). Ele faleceu em 09-05-1861, quinta-feira, aos 61 anos e 4 meses de idade, aproximadamente, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Era casado com [9] Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes e filho do patriarca português, [16] José Antônio de Figueiredo e de sua mulher [17] Rosa Joaquina da Costa, viúva de Manuel Monteiro de Pinho.15,29,69
9 – Maria Jesuína de Figueiredo Côrtes (1809—04-06-1886). Natural do Rio Espera, Minas Gerais e falecida em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casada com [8] Joaquim José Cesário de Figueiredo e filha legítima do alferes e fazendeiro, [18] Francisco Gonçalves Couto e de sua mulher, [19] Ana Zeferina Côrtes.15,29,69
10 – Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes. Foi batizado no dia 09-02-1824, segunda-feira, na capela do Bonfim, na freguesia de Barbacena, Minas Gerais e faleceu no ano de 1899 no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Era casado com [11] Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. O casal foi grande produtor de café na citada fazenda Serra Bonita, situada no Distrito de Angustura. Era filho de [20] Manuel Gonçalves Côrtes e de sua mulher, [21] Luiza Teresa de Figueiredo, viúva do capitão Manuel Simões Diniz.15,69,84
11 – Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. Inácia Alexandrina Villas Boas Côrtes. Sendo o seu nome quando solteira: Inácia Alexandrina Villas Boas Coutinho. Filha legítima do major [22] José Alexandrino Villas Boas Coutinho e de [23] Lourença Emília Villas Boas Coutinho. Nascida em 18-01-1826, quarta-feira, na cidade do Rio de Janeiro. Casou-se com o fazendeiro [10] Manuel Gonçalves de Figueiredo Côrtes e faleceu numa quinta-feira, dia 05-07-1883, aos 57 anos, 5 meses e 17 dias de idade.15,69,84
12 – João José Bastos Pinto — capitão. Sendo ele um dos fundadores do Município de Guarará, Estado de Minas Gerais. Depois de ficar viúvo de sua primeira esposa, foi marido de dona [13] Margarida Eufrásia Monteiro Bastos Pinto. Agropecuaristas, que foram proprietários da fazenda Campestre, em terras localizadas no Município de Bicas, Minas Gerais.112,165,192
13 – Margarida Eufrásia Monteiro Bastos Pinto. Sendo o seu nome de solteira: Margarida Eufrásia Monteiro de Castro. Foi segunda esposa do fazendeiro [12] João José Bastos Pinto. Era filha legítima do coronel [26] José Joaquim Monteiro de Castro e de [27] Maria do Carmo Monteiro da Silva (primeira mulher de seus três casamentos).112,165,192
14 – José Carlos de Campos. Nascido no ano de 1824 aproximadamente, em Chapéu d'Uvas, nas proximidades do atual Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Casado com [15] Maria Carlota de Oliveira Campos. Era filho legítimo de [28] Francisco José de Campos e de [29] Ana Isabel do Nascimento. Ele tinha por costume oferecer aos viajantes cachos de uvas num chapéu, daí surgiu o topônimo "Chapéu d'Uvas".165,192
15 – Maria Carlota de Oliveira Campos. Nascida em Chapéu d'Uvas, nas proximidades do atual Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Casada com o seu conterrâneo [14] José Carlos de Campos, deixando uma prole de 15 filhos. O seu nome de solteira era: Maria Carlota de Oliveira.165,192
Trisavós:
16 – José Antônio de Figueiredo. Ele nasceu no dia 10-03-1756, quarta-feira, na moradia dos pais situada na Rua da Barreira, em Miragaia, Concelho do Porto, Portugal; sendo aí também batizado em 15-03-1756, segunda-feira, na igreja de São Pedro. Ele era filho legítimo dos portugueses [32] Antônio José de Távora de Figueiredo e [33] Luiza Teresa de Jesus; neto paterno de [64] Antônio Luiz de Távora de Figueiredo e de [65] Custódia Fernandes; e materno de [66] Paulo Cardoso e de [67] Antônia Coelho de Oliveira.
Ele veio solteiro para o Brasil, fixando-se na Capitania de Minas Gerais, onde se casou com a viúva [17] Rosa Joaquina da Costa, pelo que dizem, no dia 17-08-1785, quarta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar (que foi demolida por volta de 1850), situada no Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; tinha então 29 anos, 5 meses e 7 dias de idade.
Ele morreu no ano de 1802, com 45 para 46 anos de idade e cerca de 15 anos de casado; tendo o seu corpo sido sepultado dentro da capela de Nossa Senhora do Pilar.15,29,86,88,89,90
17 – Rosa Joaquina da Costa. Era filha legítima do coronel [34] Manuel Rodrigues da Costa e de [35] Joana Teresa de Jesus. Nascida no dia 17-04-1757, domingo, em Registro Velho, atual Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, tendo 28 anos e 4 meses de idade ao contrair este seu segundo matrimônio com [16] José Antônio de Figueiredo.15,29,86
Já, o seu primeiro casamento fora realizado em Barbacena, Minas Gerais, no dia 18-05-1774, quarta-feira, quando tinha 17 anos, 1 mês e 1 dia de idade, com o capitão Manuel Monteiro de Pinho; sendo este natural de São Martinho de Gândara, Oliveira de Azeméis, Portugal, filho legítimo de Antônio Monteiro de Pinho e de Ana Francisca. E eles geraram dois filhos.86,90
18 – Francisco Gonçalves Couto. Era alferes, nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Filho do guarda-mor, [36] Manuel Gonçalves Couto e de sua mulher, [37] Mariana Angélica Gonçalves. Casou-se em primeiras núpcias, no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras do atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [19] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste costado. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto contraiu novo matrimônio com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do Guarda-Mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, que era mineira de Congonhas do Campo, atual Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
19 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais. Filha de [38] Antônio Gonçalves Côrtes e de sua mulher, [39] Ana Gonçalves Rodrigues. Ela foi a primeira mulher de [18] Francisco Gonçalves Couto.15,18,19,27,29,31,34
20 – Manuel Gonçalves Côrtes. Nascido em 02-09-1779, quinta-feira, na sede da fazenda Contramestre, situada em área hoje pertencente ao Município de Carandaí, Minas Gerais; e que foi batizado no dia 13-09-1779, segunda-feira, na capela de São José do Ribeirão de Alberto Dias, na atual Ressaquinha, Minas Gerais. Faleceu no dia 25-01-1827, quinta-feira, no Ribeirão dos Aventureiros sede da fazenda Fortaleza na região do atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, com a idade de 47 anos, 4 meses e 23 dias, e após 12 anos de casado com a viúva, [21] Luiza Teresa de Figueiredo. Ele era irmão de [19] Ana Zeferina Côrtes e ambos filhos legítimos de [40] Antônio Gonçalves Côrtes e de [41] Ana Gonçalves Rodrigues.15,90
21 – Luiza Teresa de Figueiredo. Nascida no dia 02-05-1787, quarta-feira, em Registro Velho, no atual Distrito de Sá Fortes, Município de Antônio Carlos, Minas Gerais; onde foi batizada no dia 18-05-1787, sexta-feira, na capela de Nossa Senhora do Pilar, tendo por padrinhos de batismo: os seus tios maternos: Padre Manuel Rodrigues da Costa (um dos Inconfidentes Mineiros) e Maria Josefa da Costa (que foi casada com o Alferes Custódio Ferreira Guimarães).15,90
Ela foi casada duas vezes. Primeiramente na citada capela, no dia 02-05-1803, segunda-feira, ao completar 16 anos de idade, com Manuel Simões Diniz, natural da vila de São José, atual Tiradentes, Minas Gerais, de quem ficou viúva no dia 22-02-1808, segunda-feira, em Barbacena, depois de 4 anos, 9 meses e 20 dias de casados; sendo ele filho do capitão Manuel Simões Diniz, que fora escrivão em Barbacena e de sua mulher, Rosa Maria da Assunção; e que tiveram quatro filhos. Pela segunda vez, ela se casou com [20] Manuel Gonçalves Côrtes, e eles tiveram cinco filhos e deram origem à tradicional família Figueiredo Côrtes; e que segue neste relatório. Ela era filha legítima de [42] José Antônio de Figueiredo e de [43] Rosa Joaquina da Costa.15,90,144,147
22 – José Alexandrino Villas Boas Coutinho major. Nascido no ano de 1789 em Minas Gerais. Filho de [44] Sebastião Martins Coutinho e de sua mulher, [45] Inácia Quitéria de Almeida e Gama. Assentou praça no Exército Brasileiro em 15-09-1803, chegando em sua brilhante e vasta carreira militar ao posto de major efetivo, em 08-06-1842. Casado em Pernambuco com [23] Lourença Emília Villas Boas Coutinho.84,85
23 – Lourença Emília Villas Boas Coutinho. Sendo seu nome de solteira: Lourença Emília Jorge. Era filha legítima de [46] Antônio Jorge da Silva e de [47] Lourença Maria da Conceição. Nascida no ano de 1806 no Recife, Pernambuco, e falecida aos 82 anos de idade, no dia 19-01-1889, sábado, na sede da fazenda Serra Bonita, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Ao ficar viúva do major (22] José Alexandrino Villas Boas Coutinho, contraiu segundo matrimônio com o capitão Antônio Antunes de Magalhães e ao ficar viúva deste, convolou novo casamento com o tenente-coronel João Evangelista Teixeira Rios (este viúvo de sua primeira esposa, Francisca Teixeira Leite e também da segunda, Ana Esméria Teixeira).69,84
26 – José Joaquim Monteiro de Castro coronel e fazendeiro. Natural de Congonhas do Campo, atual Congonhas, Minas Gerais. Era filho de [52] Domiciano Ferreira de Sá e Castro (22-02-1762—1823) e de sua mulher, dona [53] Maria do Carmo Monteiro de Barros — cujo casamento celebrado no dia 23-01-1799, quarta-feira, na citada Congonhas, deu origem à tradicional família Monteiro de Castro da Zona da Mata mineira.
José Joaquim Monteiro de Castro casou-se três vezes. Em primeiras núpcias, com dona [27] Maria do Carmo Monteiro da Silva, sua sobrinha, abaixo citada, que faz parte deste costado e eles tiveram sete filhos. Ao ficar viúvo da primeira esposa, contraiu segundo casamento com dona Ana Nóbrega de Airosa (sem geração); e ao ficar viúvo desta, casou-se pela terceira vez com dona Ambrosina Monteiro de Barros e eles tiveram quatro filhos.112,131,165,192
27 – Maria do Carmo Monteiro da Silva. Ela era filha legítima de [54] Gervásio Antônio da Silva Pinto e de dona [55] Margarida Eufrásia Monteiro de Castro. Casou-se com o fazendeiro, coronel [26] José Joaquim Monteiro de Castro, seu tio materno, de quem foi primeira mulher112,131,165,192
28 – Francisco José de Campos. Nascido em cerca de 1783. Era filho de [56] José Nunes de Campos e de sua mulher, [57] Indria Rosa Faria Moreira. Casado com [29] Ana Isabel do Nascimento Campos.192
29 – Ana Isabel do Nascimento Campos. Nascida por volta do ano de 1790. Casada com o fazendeiro [28] Francisco José de Campos. O seu nome de solteira era: Ana Isabel do Nascimento. O casal deixou uma descendência de quinze filhos.192
Jáder Bastos Côrtes e sua esposa Maria Thereza de Castro Côrtes tiveram três filhos.14,50
V-1 Margarida Maria de Castro Côrtes. Ela se casou-se com Fernando José Gonçalves Pereira, e adotou o nome de Margarida Maria Côrtes Pereira. Ela é empresária e ele funcionário da Rede Globo de Televisão na cidade do Rio de Janeiro.15,50,231
VI-1 Fernanda Côrtes Pereira. Natural da cidade do Rio de Janeiro. Casou-se com o seu conterrâneo, Jucelino Leoncio de Freitas, graduado em Ciências Econômicas, funcionário da Petrobrás, filho, neto e sobrinho de famílias estabelecidas na cidade de São Miguel, Estado do Rio Grande do Norte. Residem na cidade do Rio de Janeiro.50,231
VII-1 Luís Eduardo.231
VII-2 João.231
VI-2 Jáder Bastos Côrtes Pereira. Ele é corretor de seguros, casou-se com Graziele dos Santos Sena, que adotou o nome de Graziele dos Santos Sena Côrtes.15.50,231
VII-1 Enzo Sena Côrtes.231
VI-3 Cláudio Côrtes Pereira. Empresário, residente na cidade do Rio de Janeiro.50,231
V-2 Dahyl Helena Castro Côrtes. Nascida na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, no dia 13-06-1957, quinta-feira. Ela faleceu aí no dia 28-07-1957, domingo, com apenas 1 mês e 15 dias de vida. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte no Cemitério do Bonfim, na quadra 4, sepultura 143.50,203
V-3 Rubens de Castro Côrtes. Ele é residente na cidade do Rio de Janeiro.50
III-2 Lorival Pacheco de Castro. Agropecuarista, filho legítimo de Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua primeira mulher, Maria Teresa Pacheco de Castro. Nascido no dia 26-01-1895, sábado, na casa do chalé, situada na fazenda São Manuel, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Desde cedo mudou o seu nome de Lorival, como consta do seu registro de nascimento (Distrito de Trimonte, livro de nascimentos no 1, folhas 161 verso, termo no 261) para Lourival Pacheco de Castro, como consta em seu primeiro título de eleitor, de número 72.995, datado de 12-03-1918; passando a assinar-se Lourival Pacheco de Castro. Carinhosamente chamado de “Lôri” pelos irmãos e de “Louro de Castro” pelos amigos. Tinha apenas 4 anos, 1 mês e 3 dias de idade quando sua mãe faleceu; e foi criado pelo pai Luiz Augusto Teixeira de Castro e segunda mulher, Julieta Vasques de Castro (estes avós paternos do autor deste trabalho). Casou-se em 1925, com Maria Júlia Monteiro de Siqueira, “Zizi”, que adotou o nome: Maria Júlia de Siqueira Castro. Esta nascida no dia 05-03-1907, terça-feira, em São Domingos, Município de Santo Antônio do Aventureiro, Estado de Minas Gerais.14,50,71
O casal Lourival e Maria Júlia foi proprietário do sítio Engenho Novo, no Distrito de São Luiz, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, com uma área de 28 alqueires geométricos, equivalente a 135 hectares e 52 ares, vendido em 25-01-1929, para o senhor Francisco Soares Alvim. Passando o casal a morar na sua nova propriedade, a fazenda Santa Teresa, situada no Distrito de Tebas, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, com sua sede situada à margem da rodovia BR-116. Lourival Pacheco de Castro faleceu no dia 10-06-1963, segunda-feira, tendo o seu corpo sido sepultado no cemitério público de Trimonte; contava 68 anos, 4 meses e 15 dias de idade. E a viúva Maria Júlia de Siqueira Castro veio a falecer, 25 anos e 24 dias depois do marido, na cidade de Leopoldina, no dia 04-07-1988, segunda-feira, aos 81 anos, 3 meses e 29 dias de idade; tendo o seu corpo sido sepultado também no cemitério público de Trimonte.14,50,71,81,159
Ascendentes da esposa:
1 – Maria Júlia de Siqueira Castro (05-03-1907—04-07-1988). O seu nome de solteira era: Maria Júlia Monteiro de Siqueira.14,50,81
Pais:
2 – Francisco Barbosa de Siqueira“Nhonhô Siqueira” (16-12-1882—28-01-1964). Agropecuarista e negociante.14,50,160
3 – Clara Godoy Monteiro de Siqueira "Titina" (05-06-1889—09-11-1949), casados em 03-02-1906, sábado, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. O seu nome de solteira era: Clara Godoy Monteiro de Castro.14,50,160
Avós paternos:
4 – João Alexandre de Siqueira (24-08-1857—19-06-1944), natural da freguesia de Calheiros, Ponte de Lima, Portugal. Agropecuarista proprietário da fazenda Cachoeira do Córrego Vermelho, em São Domingos, no atual Município de Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais. Casado com [5] Flausina Barbosa de Siqueira, no dia 11-02-1882, sábado, na igreja de Santo Antônio, em Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Ele faleceu viúvo aos 86 anos, 9 meses e 26 dias de idade, em Bicas, Estado de Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de São Domingos, Município de Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais. Era filho legítimo dos portugueses, [8] Alexandre Joaquim Antônio e [9] Maria Rosa Cerqueira.14,161
5 – Flausina Barbosa de Siqueira (31-12-1861—01-03-1939). O seu nome de solteira era: Flausina Barbosa de Miranda. Natural de Piacatuba, Município de Leopoldina, Minas Gerais e falecida em acidente ocorrido à altura do sítio das Palmeiras na estrada de São Domingos, Município de Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais, quando o carro em que viajava ao se desgovernar precipitou-se num açude causando-lhe a morte por submersão, conforme atestado fornecido pelo Doutor Paulo Japyassu Coelho. Ela estava retornando do casamento de uma neta da cidade do Rio de Janeiro. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte, 02-03-1939, quinta-feira, no Cemitério de São Domingos. Era filha legítima de [10] Francisco José Barbosa de Miranda e de [11] Maria Júlia de Oliveira.14,161
Avós maternos:
6 – José Augusto Monteiro de Castro (1862—22-04-1902). Agricultor nascido em Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Casou-se com [7] Maria Augusta de Godoy, no dia 26-08-1882, sábado, na igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição da Boa Vista, vila que hoje faz parte do Município de Recreio, Minas Gerais. Faleceu no Distrito de Providência, com idade entre 39 e 40 anos; e seu corpo foi aí sepultado no cemitério local. Ele era filho legítimo do comendador [12] Lucas Manuel Monteiro de Castro e de [13] Maria da Glória Monteiro de Rezende.14,78,100
7 – Maria Augusta de Godoy Monteiro de Castro. O seu nome de solteira era: Maria Augusta de Godoy. Nascida no dia 04-01-1867, sexta-feira, na sede da fazenda Volta Grande, na região denominada Bonsucesso, no atual Município de Volta Grande, Minas Gerais. Casada com o fazendeiro, [6] José Augusto Monteiro de Castro. No ano de 1919, viúva, encontrava-se residindo na cidade Ubá, Minas Gerais. Era filha legítima de [14] Olímpio Augusto de Godoy e de [15] Ana Fortunata de Bittencourt e Castro.14,69,100
Bisavós:
8 – Alexandre Joaquim Antônio. Filho legítimo de [16] Antônio José Alves e de [17] Ana Joaquina Correia. Casado com [9] Maria Rosa Cerqueira.161
9 – Maria Rosa Cerqueira. Filha legítima de [18] João Antônio Cerqueira e de [19] Francisca Rosa. Casado com [8] Alexandre Joaquim Antônio.161
10 – Francisco José Barbosa de Miranda. Filho legítimo de [20] Francisco José de Miranda e de [21] Maria Luiza de Oliveira. Casado com [11] Maria Júlia de Oliveira.161
11 – Maria Júlia de Oliveira. Ela era casada com [10] Francisco José Barbosa de Miranda. Sem mais notícias.161
12 – Comendador Lucas Manuel Monteiro de Castro. Nascido na sede da fazenda União, nas cercanias do atual povoado de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casado no dia 15-06-1861, sábado, com sua prima, [13] Maria da Glória Monteiro de Rezende, em cerimônia celebrada pelo Reverendo Vicente Ferreira Monteiro de Castro (tio-avô do noivo), em altar ad hoc na sede da fazenda Soledade (sede antiga já demolida), situada também nas proximidades do atual povoado de São Martinho. Era filho legítimo do [24] primeiro barão de Leopoldina – Manuel José Monteiro de Castro e da [25] primeira baronesa de Leopoldina – Clara Maria de Sá e Castro.100,112
13 – Maria da Glória Monteiro de Rezende. Nascida por volta de 1840, na sede da fazenda Soledade, situada no entorno do atual povoado de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casada com o fazendeiro e comendador, [12] Lucas Manuel Monteiro de Castro – seu primo. Ela era filha legítima do fazendeiro e construtor de fazendas, [26] Quirino Ribeiro de Avelar Rezende e de [27] Maria da Purificação Monteiro de Barros Galvão de São Martinho.100,112
14 – Olímpio Augusto de Godoy. Filho legítimo de [28] José Venâncio de Godoy e de [29] Maria Benedita Augusta de Godoy. Foi casado duas vezes. Sua primeira mulher foi [15] Ana Fortunata Bittencourt Godoy, que faz parte deste costado. Mas, ele ao ficar viúvo, casou-se pela segunda vez com Georgina da Cruz Paixão “Tita Paixão”, que fez parte da primeira Câmara de Vereadores de Volta Grande, Minas Gerais; e que era filha de Lupércio Mascarenhas da Paixão e de sua mulher, Carolina da Cruz Paixão; neta paterna de Joaquim Cipriano da Silva e de sua mulher, Ana Mascarenhas da Paixão; por esta, bisneta de Pacífico Antônio da Paixão e de Virgínia de Paula Mascarenhas sendo esta a primeira esposa de seus três casamentos (a segunda chamava-se Francisca e a terceira, Mariana Rosa Rodrigues); e pelo bisavô Pacífico Antônio da Paixão, a Georgina da Cruz Paixão era trineta do agricultor e negociante, Antônio Júlio da Paixão e de sua mulher, Maria Eudóxia Miranda.14,50,69,92,162
15 – Ana Fortunata Bittencourt Godoy. Sendo Ana Fortunata de Bittencourt e Castro, o seu nome de solteira. Foi batizada em 24-10-1839, quinta-feira, no oratório da fazenda Bom Sucesso, situada em área do atual Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais, onde também se casou no dia 04-02-1858, quinta-feira, com o fazendeiro [14] Olímpio Augusto de Godoy, de quem foi primeira mulher. Era filha legítima de [30] Francisco de Paula Bittencourt e de [31] Francisca Benedita Duarte e Castro.69
O casal Lourival Pacheco de Castro e Maria Júlia de Siqueira Castro deixou uma prole de treze filhos, sendo nove homens e quatro mulheres.14,50
IV-1 Fábio Siqueira de Castro. Nascido no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais; e agropecuarista proprietário do sítio da Batalha, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais.
Casou-se no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, com Zely Fernandes Galhardo, nascida nesta mesma localidade e que em virtude do casamento, adotou o nome de Zely Galhardo de Castro. Ela, filha legítima de Caetano Alberto Galhardo e de dona Francisca Fernandes Galhardo.14,50,69,71,78
Fábio Siqueira de Castro, já aposentado, completou neste ano de 2016, noventa anos de idade e sessenta e nove de casado. Eles tiveram seis filhos, sendo quatro mulheres e dois homens.50
V-1 Suely Galhardo de Castro. Formada em Jornalismo, nascida na sede da fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Casou-se com o engenheiro Carlos Eduardo Santana, e adotou o nome de Suely Galhardo de Castro Santana. Ele, filho legítimo de Geraldo Acucio Santana e de Euridina Lopes Santana. O casal é residente e domiciliado em São José dos Campos, Estado de São Paulo. Suely é professora de Inglês e Carlos Eduardo Santana, funcionário do INPE — Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (já aposentado).50,78
VI-1 Carlos Eduardo de Castro Santana. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Formado em Engenharia Eletrônica e Computação. Tem uma filha com Carolina ...50
VII-1 Isabela.50
VI-2 Juliana de Castro Santana. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Casou-se com Eduardo Rosetto Cavallari, e adotou o nome de Juliana de Castro Santana Cavallari. Ele, paulista, nascido em Ribeirão Preto, filho legítimo de Alício Cavallari e de Maria de Lourdes Rosetto Cavallari.50
VII-1 Luiza Santana Cavallari.50
VII-2 Beatriz Santana Cavallari.50
VI-3 Renata de Castro Santana. Modelo, natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Ela se consorciou nesta mesma cidade, em união consensual estável, com Renato Tarciso de Lima. E eles tiveram um filho.50
VII-1 João Lucca Santana de Lima. Natural da cidade de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
VI-3 Renata de Castro Santana. Ela, depois de sua separação, casou-se no dia 02-08-2008, sábado, na cidade de São Paulo, com o estilista de alta-costura, Carlos Henrique Miele, natural da Capital Paulista. Casal divorciado em 01-12-2010, quarta-feira. Eles tiveram um filho.50,231
VII-2 Leonardo.50
V-2 Maria Terezinha Galhardo de Castro. Ela é natural do Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais, e foi consorciada, em união consensual estável, com Rubens Silva. Tiveram dois filhos.50, 231
VI-1 Fabio de Castro Silva. Natural de Brasília Distrito Federal. Ele é consorciado, em união consensual estável, com Maiara Lualli. Eles são moradores em Brasília.50, 231
VII-2 Théo.231
VI-2 Cassio Galhardo de Castro Silva. Ele é natural de Brasília Distrito Federal, onde reside.50, 231
V-3 Fábio José Galhardo de Castro. Nascido no dia 11-08-1950, sexta-feira, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Dedicou-se à agropecuária. Faleceu solteiro, no dia 19-12-1997, sexta-feira, em acidente de carro na rodovia BR-116, trecho: Leopoldina––Além Paraíba, no local situado em terras do Município de Leopoldina. Contava 47 anos, 4 meses e 8 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Providência, Município de Leopoldina. Deixou um filho tido com sua namorada.50,78,231
VI-1 Narley. Residente em Leopoldina, Estado de Minas Gerais.50
V-4 Lourival Alberto Galhardo de Castro. Comerciante, natural do Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Casou-se na cidade de Niterói, com Ivonemar Sá, que adotou o nome de Ivonemar Sá de Castro. Ela, filha de Linitheo Isaac Lopes dos Santos e de Eulina Vieira dos Santos.50,78,231
VI-1 Luís Alberto Sá de Castro.50
VI-2 Guilherme Sá de Castro.50
V-5 Rita de Cássia Galhardo de Castro. Ela é natural de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casou-se com Rosângelo José Rodrigues, natural da cidade de Leopoldina, filho legítimo de José Rodrigues e de Maria da Conceição Pessoa Rodrigues. Seu nome de casada é: Rita de Cássia de Castro Rodrigues.50
VI-1 Camila de Castro Rodrigues. Ela é natural de Leopoldina, Minas Gerais.50
VI-2 Tatiana de Castro Rodrigues. Ela é empresária, natural de Leopoldina, Minas Gerais, onde também é residente e domiciliada.50.231
VI-3 Lícia de Castro Rodrigues. Empresária, natural de Leopoldina, Minas Gerais. Ela é residente e domiciliada nesta mesma Cidade.50,231
V-6 Adriana Galhardo de Castro. Natural de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Consorciada, em união consensual estável, com Rogério de Souza. Ela é formada em Terapia Ocupacional.50,231
VI-1 Carolina Castro e Souza. Natural de São Paulo Capital. Tem um relacionamento sério com Rafael dos Santos Poletto. Mora em Curitiba, Estado do Paraná.50,231
VI-2 Gabriela Castro e Souza. Natural de São Paulo Capital.50
IV-2 Maria Clara Siqueira Castro "Clarinha". Nascida no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Ela casou-se com Ed Gonçalves Filgueiras e adotou o nome de Maria Clara Castro Filgueiras. Ele nascido numa terça-feira, dia 11-01-1927.
O casal fixou residência em Governador Valadares, Estado de Minas Gerais. O Ed Gonçalves Filgueiras já é falecido. E a Maria Clara Castro Filgueiras, viúva, perto de completar oitenta e nove anos de idade, continua aí residindo na companhia de filhos, netos e bisnetos.14,50
Alguns ascendentes do marido:
1 – Ed Gonçalves Filgueiras.14,50
Pais:
2 – Acácio Gonçalves Filgueiras. Ele foi funcionário da Estrada de Ferro Leopoldina, onde desempenhara as funções de telegrafista e agente da estação ferroviária da cidade de Leopoldina, Minas Gerais.14,50,286
3 – Hercília Campos Filgueiras.286
Avós paternos:
4 – Christiano Gonçalves Filgueiras (18711963). Comerciante de secos e molhados em Além Paraíba, Minas Gerais e no ano de 1925 abriu aí a Tipografia e Papelaria Casa Cruzeiro. Ele faleceu nesta mesma Cidade aos 92 anos de idade. Ele era filho legítimo de [8] Manuel Gonçalves Filgueiras e de segunda esposa, [9] Isabel Gomes da Costa.286
5 – Jacynta da Costa Filgueiras "Sinhá". O seu nome de solteira era: Jacynta Dias da Costa. Filha legítima de [10] Anacleto Dias da Costa e de [11] Presciliana Augusta da Costa.286
Bisavós:
8 – Manuel Gonçalves Filgueiras. Foi proprietário da fazenda Estrela, em Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se em segundas núpcias, com [9] Isabel Gomes da Costa, no dia 19-01-1870, quarta-feira, na então capela de Santo Antônio, em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais. Era filho legítimo de [16] Francisco Gonçalves Filgueiras e de [17] Leonor Maria de Jesus.286
9 – Isabel Gomes da Costa. Foi segunda esposa do fazendeiro [8] Manuel Gonçalves Filgueiras. Era filha legítima de [18] Manuel Gomes Jatay e de [19] Anna de Jesus.286
10 – Anacleto Dias da Costa. Era casado com [11] Presciliana Augusta da Costa.286
11 – Presciliana Augusta da Costa. Era casada com [10] Anacleto Dias da Costa.286
Trisavós:
16 – Francisco Gonçalves Filgueiras. Nascido por volta de 1787 e falecido no mês de novembro de 1865, na região de São Sebastião do Feijão Cru, atual Leopoldina, Minas Gerais. Pelo que dizem, foi o primeiro Filgueiras a chegar à Zona da Mata de Minas Gerais. Era casado com [17] Leonor Maria de Jesus. Filho legítimo de [32] Nicolau Gonçalves de Oliveira e de [33] Clara Maria de Jesus.231,286
17 – Leonor Maria de Jesus. Ela era casada com [16] Francisco Gonçalves Filgueiras.231,286
18 – Manuel Gomes Jatay. Casado com [19] Anna de Jesus.286
19 – Anna de Jesus. Casada com [18] Manuel Gomes Jatay.286
Tetravós:
32 – Nicolau Gonçalves de Oliveira. Batizado no dia 21-12-1737, sábado, em Itaverava (MG). Casado com [33] Clara Maria de Jesus. Era filho legítimo de [64] Nicolau Gonçalves Filgueiras e de [65] Maria de Oliveira.231
33 – Clara Maria de Jesus. Casada com [32] Nicolau Gonçalves de Oliveira. Filha legítima de [66] João Barbosa Castro e de [67] Antonia Maria Jesus.231
Pentavós:
64 – Nicolau Gonçalves Filgueiras. Casado com [65] Maria de Oliveira.231
65 – Maria de Oliveira. Casada com [64] Nicolau Gonçalves Filgueiras.231
66 – João Barbosa Castro. Casado com [67] Antonia Maria Jesus.231
67 – Antonia Maria Jesus. Casada com [66] João Barbosa Castro.231
Ed Gonçalves Filgueiras e Maria Clara Castro Filgueiras tiveram um total de nove filhos, sendo quatro do sexo masculino e cinco do feminino.14,50
V-1 Raimundo de Castro Filgueiras. Nascido na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casou-se na cidade de Governador Valadares, Minas Gerais, com Rosângela do Carmo Gonçalves, que adotou o nome de Rosângela Gonçalves Filgueiras. Esta, filha legítima de Nélson Gonçalves do Nascimento e de dona Ofélia do Carmo Gonçalves. O casal é residente e domiciliado nesta mesma Cidade.50
VI-1 Alexandre Gonçalves Filgueiras. Nascido no dia 26-08-1977, sexta-feira, na cidade de Governador Valadares, Minas Gerais, onde trabalhava como auxiliar de produção. Faleceu nesta mesma Cidade no dia 21-02-2009, sábado, aos 31 anos, 5 meses e 26 dias de idade. Tinha um compromisso sério com sua namorada. Deixou duas filhas.50,231
VII-1 Maria Clara. Ela é mineira, de Governador Valadares.50
VII-2 Ana Luísa. Ela é também mineira, natural de Governador Valadares.50
VI-2 Raimundo Castro Filgueiras Filho. Formado em Administração de Empresas. natural de Governador Valadares, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Maíra Neves Fonseca. Têm um casal de filhos.50
VII-1 Elisa Fonseca Filgueiras. Ela é natural de Governador Valadares, Minas Gerais.50
VII-2 Evandro Fonseca Filgueiras. Ele é natural de Ilhéus, Bahia.50
VI-3 Henrique Gonçalves Filgueiras. Ele é natural de Governador Valadares, Minas Gerais.50
V-2 Ricardo de Castro Filgueiras. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Ele é casado com Rosângela Aparecida Bretas Filgueiras. Têm três filhos.
VI-1 Roberta Bretas Filgueiras.50
VI-2 Rafael Bretas Filgueiras.50
VI-3 Maria Clara Bretas Filgueiras.50
V-3 Maria de Fátima de Castro Filgueiras. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Cidade, com Hélio Estevão de Almeida. Ela adotou em virtude do casamento o nome de Maria de Fátima Filgueiras Almeida.50,231
VI-1 Hélio Estevão de Almeida Filho.50,231
VI-2 Hercília Filgueiras de Almeida. Ela é natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Enfermeira residente em Salvador, Bahia. Solteira.50,231
VI-3 Helliana Filgueiras Almeida. Ela é natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Formada em Administração de Empresas. Casada com Ederson Gonçalves.50,231
VI-4 Helaine de Almeida. Ela é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Enfermeira nesta mesma Cidade.50,231
V-4 Maria Inês de Castro Filgueiras. Professora, natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Casou-se com Antônio Carlos Aubin, e adotou o nome de Maria Inês Filgueiras Aubin. Eles são residentes e domiciliados em Ipatinga, Minas Gerais.50
VI-1 Antônio Carlos Filgueiras Aubin. Ele é natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Trabalha no Laboratório Teuto Pfizer. Mora em Anápolis. Goiás.50
VI-2 Ana Clara Filgueiras Aubin. Ela é funcionária da Prefeitura Municipal de Governador Valadares, Minas Gerais. Formada em Psicologia.50
V-5 Maria Filomena de Castro Filgueiras. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Cidade, no dia 04-07-1987, sábado, com Ricardo Antonio Soares de Almeida, e adotou o nome de Maria Filomena Filgueiras Soares. Ele, filho legítimo de José Cândido de Almeida e de Cornélia Soares de Britto. O Ricardo Antonio Soares de Almeida faleceu no mês de setembro de 2006, em Vitória, Espírito Santo e tinha 19 anos de casado.50
VI-1 Ricardo Filgueiras Soares. Empresário natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Cidade com a assistente social e sua conterrânea, Ana Flávia Rocha Lopes. Ela, filha de José Flávio Lopes e de dona Raimunda Oliveira Rocha.50,231
VI-2 Luiz Fernando Filgueiras Soares. Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Ele é graduando, neste ano de 2016, em Medicina Veterinária pela Faculdade Unifeso, Teresópolis, Rio de Janeiro.50,231
V-6 Ed Gonçalves Filgueiras Filho. Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Ele é casado com Maria do Socorro Franco Filgueiras.50,231
VI-1 Vinícius Franco Filgueiras. Ele é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Formado em Engenharia Civil. Mora e trabalha em Palmas, Estado do Tocantins. Ele tem um relacionamento sério (união consensual estável) com Marcelle Oliveira.50,231
VI-2 Vanessa Franco Filgueiras. Ela é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Reside e trabalha em Ilhéus, Bahia.50,231
VI-3 Carla Franco Filgueiras "Carlinha". Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Formada em Direito. Mora e trabalha em Ilhéus, Bahia.50,231
V-7 Evandro de Castro Filgueiras. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Ele deixou um filho com sua primeira consorte Jovelina Barbosa da Silva.50
VI-1 Evandro de Castro Filgueiras Filho. É educador social e estudante de Engenharia Civil. Mora em Brasília, Distrito Federal.50,231
V-7 Evandro de Castro Filgueiras. Ele se casou na cidade de Governador Valadares, com Ivanete Pereira de Carvalho, que adotou o nome de Ivanete Carvalho Filgueiras. Ele faleceu no dia 05-04-2003, sábado, em Governador Valadares. Tiveram uma filha.50
VI-2 Ana Luísa de Carvalho Filgueiras. Natural de Governador Valadares, Minas Gerais. Ela mora nesta mesma Cidade.50
V-8 Maria Aparecida de Castro Filgueiras "Cidinha". Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Cidade, com Gílson Freitas da Silva, filho de Vital José da Silva e de Raimunda de Freitas.50,231
VI-1 Gabriela Filgueiras Freitas. Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais.231
VI-2 Júlia Filgueiras Freitas. Natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais.231
V-9 Rita de Castro Filgueiras. Ela é natural da cidade de Governador Valadares, Minas Gerais. Teve com seu namorado, um casal de filhos.231
VI-1 Sabrina.231
VI-2 Marcos Phillip.231
IV-3 Francisco de Paula Siqueira de Castro. Ele nasceu no dia 21-09-1928, sexta-feira, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais.14,50
Ele faleceu no dia 06-10-1957, domingo, às quatro horas da madrugada, em acidente de automóvel ocorrido na estrada municipal que liga a cidade de Leopoldina, Minas Gerais ao seu Distrito de Providência. O veículo em que viajava sozinho para Providência se desgovernou, precipitando-se num despenhadeiro do lado esquerdo da estrada, causando-lhe fratura do crânio e do braço direito, com hemorragia, conforme laudo médico firmado pelo doutor Lélio Lara, de Leopoldina. Francisco de Paula Siqueira de Castro retornava de um baile. Contava exatos 29 anos e 15 dias de idade. Seu corpo foi sepultado à tarde do mesmo dia no jazigo da família no Cemitério Público do Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais.50,164
Ele era motorista, caminhoneiro e solteiro. Sem geração.50
IV-4 Luiz Augusto Siqueira Castro. Nascido no dia 06-12-1929, sexta-feira, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Angélica Rodrigues Moutinho, natural do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, que adotou o nome de Angélica Moutinho de Castro. O casal que se dedicava à agricultura, morou no referido Distrito de Angustura e mais tarde se transferiu para Brasília Distrito Federal.50
O Luiz Augusto Siqueira Castro faleceu em Brasília no dia 25-06-2003, quarta-feira, com exatos: 73 anos, 6 meses e 19 dias de idade. Já dona Angélica Moutinho de Castro reside em Anápolis, Estado de Goiás. O casal teve seis filhos.50,106
V-1 Maria Angélica Moutinho Castro. Ela é natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Formada em Direito pelo Centro Universitário do Distrito Federal, no ano de 1986. Casou-se com Roberto Antônio Coutinho. Residentes e domiciliados em Goiânia, Goiás. Têm três filhos.50
VI-1 Rafael Castro Coutinho. Ele é natural da cidade de Brasília. Formado em Engenharia Comercial. Casou-se nesta mesma Capital Federal, com Ludmila Luz, que adotou pelo matrimônio, o nome de Ludmila Luz Coutinho. Ela filha legítima de José Luz, natural da cidade de Parnarama, Estado do Maranhão, que foi analista legislativo do Senado, e de dona Maria de São José Bezerra Luz.50,231
VI-2 Roberto Castro Coutinho. É natural da cidade de Brasília, Distrito Federal. Formado em Química Industrial. Residente e domiciliado em Anápolis, Estado de Goiás.50,231
VI-3 Rodrigo Castro Coutinho. É natural de Brasília, Distrito Federal. Formou-se em Odontologia e reside nesta mesma Capital, onde desempenha suas atividades profissionais.50,231
V-2 Luiz Augusto Moutinho de Castro. Ele é casado com Maria Nedjma Sampaio Castro. Esta, natural do Estado de Pernambuco. São residentes e domiciliados em Brasília, Distrito Federal. Têm três filhos.50,231
VI-1 Gardenia Sampaio de Castro. Natural da cidade de Brasília. Ela é formada em Fisioterapia com pós-graduação em Estética Facial Avançada. Casou-se nesta Capital Federal, com Leandro Feliciano e adotou pelo matrimônio, o nome de Gardenia Sampaio de Castro Feliciano. São residentes e domiciliados em Brasília.50,231
VI-2 Paula Sampaio de Castro. Natural de cidade de Brasília. Ela se casou na Organização Religiosa Ebenézer Guará do Distrito Federal, com Tiago Biondo Justo.50,231
VII-1 Amanda Sampaio de Castro Biondo. Ela é nascida em Brasília, Distrito Federal.231
VI-3 Luiz Augusto Siqueira Castro Neto. Natural de Brasília, Distrito Federal, onde se casou com Ludmila Miranda e Souza. Eles residem em Brasília.50,231
VII-1 João Augusto Miranda Castro. Natural de Brasília, Distrito Federal.231
V-3 Maria Júlia Moutinho de Castro "Zizi". É natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se com João Luís Leal Rocha, natural de Santo Ângelo, Rio Grande do Sul. Casal separado judicialmente. Eles tiveram um casal de filhos. Ela é Analista de Sistema e presta serviços ao Governo Brasileiro. Mora em Goiânia, Goiás.50,231
VI-1 Leonardo Castro Rocha. Ele fez Administração e é empresário. Casado com Fernanda Chiappetti. Residentes e domiciliados em Curitiba, Paraná.50,231
VII-1 Gabriela.231
VI-2 Elisa Castro Rocha. É advogada pela Pontifícia Universidade Católica – Goiás. Solteira.50,231
V-4 Francisco de Paulo Moutinho de Castro. Ele é empresário. Casado com Cláudia Naoum Castro. Residentes e domiciliados em Anápolis, Goiás.50,231
VI-1 Ana Paula Naoum Castro. Ela é formada em Medicina e especializada em Pediatria. Residente e domiciliada em Anápolis, Goiás.50,231
VI-2 Pedro Henrique Naoum Castro. Empresário do ramo imobiliário residente e domiciliado na cidade de Anápolis, Goiás.50,231
VI-3 Ana Renata Naoum Castro. Residente na cidade de Anápolis, Goiás. Dedica-se atualmente ao Curso de Arquitetura e Urbanismo.50,231
V-5 Gumercindo José Moutinho de Castro. Comerciante estabelecido em Brasília, Distrito Federal. Ele se casou duas vezes. Pelo que me disseram, do seu primeiro matrimônio, ele não deixou nenhum filho.50,231
Pela segunda vez, ele se casou com Ana Amélia Pinheiro. Esta, neta do ex-governador do Estado de Minas Gerais, Doutor Israel Pinheiro da Silva. E eles tiveram duas filhas.50,231
VI-1 Rafaela Pinheiro de Castro.50
VI-2 Luciana Pinheiro de Castro.50
V-6 Juliane Maria Moutinho de Castro. Ela é natural de Anápolis, Estado de Goiás. Médica e também empresária residente e domiciliada em Rondonópolis, Estado do Mato Grosso. Consorciada com Pedro Augusto de Melo Neto.50,231
VI-1 Luiz Felipe de Castro Melo.50,231
IV-5 Renato de Siqueira Castro. Ele nascido em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Agropecuarista, casou-se com Juracy Freitas, que adotou o nome de Juracy Freitas de Castro. São residentes na chácara Caxangá, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Têm quatro filhos.14,50,130
V-1 Maria das Graças Freitas de Castro. Casou-se em Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, com Olímpio Garcia Queiroz, e adotou o nome de Maria das Graças de Castro Queiroz. Ele, filho legítimo de Manoel Teixeira de Queiroz e de dona Clotilde Garcia de Queiroz. Residem no Distrito de Angustura. Ela foi servidora do Estado de Minas Gerais.50,231
VI-1 Olímpio de Castro Queiroz. Sócio e empresário no Município de Além Paraíba, Minas Gerais.50,231
VI-2 Camilla de Castro Queiroz. Casada com Ralphy Soares Ribeiro, sendo o seu nome de casada: Camilla de Castro Queiroz Ribeiro. Eles são empresários.50,231
V-2 Renato José Freitas de Castro. Casou-se na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais, com Ana Lúcia Teixeira Ferreira, que adotou o nome de Ana Lúcia Ferreira de Castro. Esta, filha legítima de Arlindo Alves Ferreira e de dona Ruth Teixeira Ferreira. Eles são microempresários em comércio varejista, residentes e domiciliados no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba.50,231
VI-1 Raphael Ferreira de Castro. Ele é natural do Município de Além Paraíba, Minas Gerais.50
VI-2 Renato Ferreira de Castro. Ele é natural do Município de Além Paraíba, Minas Gerais.50
VI-3 Rodolfo Ferreira de Castro. Ele é natural do Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Ele é microempresário em comércio varejista.50,231
V-3 Maria Julia Freitas de Castro. Ela se casou com José Anderson Coutinho Soares, e adotou o nome de Maria Julia Castro Soares. Ele, filho legítimo de Anderson Vieira Soares e de dona Augusta Natalina Coutinho Soares. Ela foi professora estadual e são residentes e domiciliados na cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50,231
VI-1 Fabio de Castro Soares. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Mora em Teresópolis, Estado do Rio de Janeiro. Tem uma filha com sua noiva Jennifer Lellis.50,231
VII-1 Livia.231
VI-2 Thales de Castro Soares. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
VI-3 Anderson Castro Soares. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Solteiro, mas deixou um filho com sua ex-namorada Juliana Scramignon.50,231
VII-1 Bernardo Scramignon. Natural da cidade de Miracema, Estado do Rio de Janeiro.231
VI-3 Anderson Castro Soares. Tem um filho com sua namorada Flavia Machado. Ele mora na cidade de Teresópolis, Estado do Rio de Janeiro.50,231
VII-2 ............231
V-4 Maria Lucia Freitas de Castro. Ela é natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casou-se com o médico, Doutor Ronaldo Cannizza. O casal é separado e não deixou nenhum filho. Ela é psicóloga com consultórios na cidade de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro.50,231
IV-6 Maria Aparecida Siqueira de Castro. Ela nascida em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Casou-se com Alberto de Almeida Castro, natural de Araxá, Minas Gerais. Eles são residentes em Ipatinga, neste mesmo Estado. Têm seis filhos.14,50
V-1 Odete Terezinha Siqueira de Castro. Engenheira, casou-se com o engenheiro Emerson de Oliveira Lanna, natural da cidade de Bicas, Minas Gerais, e adotou o nome de Odete Terezinha Castro Lanna. São empresários residentes e domiciliados em Vitória, Estado do Espírito Santo.50,231
VI-1 Rodrigo de Castro Lanna. Morador na cidade de Vitória, Estado do Espírito Santo.50,231
VI-2 Frederico de Castro Lanna. Empresário sócio de seu pai, residente em Vitória, Espírito Santo.50,231
V-2 Aparecida Siqueira de Castro. Engenheira, casou-se em Vitória, Estado do Espírito Santo, com o engenheiro Erandyr Fontana de Castro, filho de Erandyr Lordelo de Castro e de dona Iracema Fontana. A família é residente em Boca Raton, Flórida, Estados Unidos da América.50,231
VI-1 Gabriela Fontana. É natural de Vitória, Espírito Santo, Brasil. Residente em Boca Raton, Flórida, Estados Unidos da América.50,231
V-3 Lourival Pacheco de Castro Neto. Casou-se em Belo Horizonte, Minas Gerais, com a professora Evanise Mayrink Vieira, que adotou o nome de Evanise Mayrink Vieira Pacheco. Ela já falecida. Era filha legítima de Evando Vieira da Silva e de dona Clélia Mayrink Vieira. Tiveram um casal de filhos.50,231
VI-1 Brunna Mayrink Vieira Pacheco e Castro.50,231
VI-2 Evandro Mayrink Vieira Pacheco e Castro. Já falecido.50,231
V-3 Lourival Pacheco de Castro Neto. Ele estando viúvo, contraiu novo casamento em Ipatinga, Estado de Minas Gerais, com Mirian de Oliveira, que adotou o nome de Mirian de Oliveira Pacheco de Castro. Ele é formado em Arquitetura e Urbanismo. Residente e domiciliado em Ipatinga.231
VI-3 Victor.231
VI-4 Lorenzo.231
VI-5 Pablo.231
V-4 Rubens de Almeida Castro. É cirurgião-dentista. Casou-se em Ipatinga, Minas Gerais, com Raquel Araujo Gomes, que adotou o nome de Raquel Araujo Gomes de Castro. Ela, filha legítima de Jerônimo Gomes Neto e de dona Enoé Araújo Gomes. São residentes e domiciliados em Coronel Fabriciano, Estado de Minas Gerais.50,231
VI-1 Fábio Araujo Gomes de Castro. Médico biofísico formado pela Faculdade de Medicina da UFMG Universidade Federal de Minas Gerais. Residente e domiciliado em Belo Horizonte.50,231
V-5 Candida Siqueira de Castro. Ela é professora. Casou-se em Vitória, Espírito Santo, com o engenheiro Luiz Antônio Fernandes, e adotou o nome de Candida Siqueira Fernandes. Ele, filho de Geraldo Fernandes Moreira e de dona Maria José Oliveira. São residentes e domiciliados em Vitória.50,231
VI-1 Lucas Siqueira Fernandes. Natural de Vitória, Espírito Santo.50,231
VI-2 Daniel Siqueira Fernandes. Natural de Vitória, Espírito Santo.50,231
VI-3 Thaís Siqueira Fernandes. Natural de Vitória, Espírito Santo.50,231
V-6 Roberto Almeida de Castro. Médico anestesista pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Residente e domiciliado em Belo Horizonte. Além de médico é também empresário.50,231
IV-7 Ormeu Siqueira Castro. Ele nasceu no dia 24-05-1933, quarta-feira, às duas horas e meia da madrugada, em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Motorista e caminhoneiro, casou-se no dia 11-02-1961, sábado, em Aparecida, Estado de São Paulo, com Josery Foligno, que adotou o nome de Josery Foligno de Castro; esta natural do Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais.14,50,130
Ormeu Siqueira Castro faleceu no dia 26-08-1996, segunda-feira, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, em decorrência de câncer, contava 63 anos, 3 meses e 2 dias de idade e 35 anos, 6 meses e 15 dias de casado. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. A viúva Josery Foligno de Castro continua residindo em Juiz de Fora, Minas Gerais.14,50,130
Ascendência da esposa:
1 – Josery Foligno de Castro. Nome de solteira: Josery Foligno.14,50,130
Pais:
2 – Felipe Foligno. Nascido em 26-05-1899, sexta-feira, em Volta Grande, Minas Gerais. Filho legítimo dos agricultores italianos [4] Bernardo Foligno e dona [5] Ângela Minoi. Casou-se no dia 06-06-1928, quarta-feira, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, com dona [3] Risoleta Luiz Foligno. O casal passou a residir no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, onde possuía salão de barbearia. Faleceu no dia 30-09-1966, sexta-feira, aos 67 anos, 4 meses e 4 dias de idade e 38 anos, 3 meses e 24 dias de casado.50,78,81,130
3 – Risoleta Luiz Foligno. O seu nome quando solteira era: Risoleta Luiz da Silva. Nascida no dia 25-01-1908, sábado, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, onde se casou numa quarta-feira, dia 06-06-1928, com [2] Felipe Foligno. Ela era filha legítima de [6] Honório Luiz da Silva e de [7] Leonor Ferreira da Rocha.81
Avós paternos:
4 – Bernardo Foligno. Natural da Itália. Casado com sua conterrânea [5] Ângela Minoi e que foram moradores na região de Volta Grande, Minas Gerais.81
5 – Ângela Minoi. Natural da Itália. Esposa de [4] Bernardo Foligno.81
Avós maternos:
6 – Honório Luiz da Silva. Filho legítimo de [12] Manuel Luiz da Silva e de [13] Francisca Maria de Jesus. Casado com [7] Leonor Ferreira da Rocha e moradores na cidade de Leopoldina, Minas Gerais.81
7 – Leonor Ferreira da Rocha. Filha legítima de [14] Antônio Ferreira da Rocha e de [15] Isabel Ferreira da Rocha.81
Bisavós:
12 – Manuel Luiz da Silva. Casado com [13] Francisca Maria de Jesus.81
13 – Francisca Maria de Jesus. Esposa de [12] Manuel Luiz da Silva.81
14 – Antônio Ferreira da Rocha. Era casado com [15] Isabel Ferreira da Rocha.81
15 – Isabel Ferreira da Rocha. Era casada com [14] Antônio Ferreira da Rocha.81
O casal Ormeu Siqueira Castro e Josery Foligno de Castro deixou quatro filhos.50
V-1 Ormeu José Foligno de Castro. Motorista, casado em Juiz de Fora, Minas Gerais, com Fátima da Silva, que adotou o nome de Fátima da Silva Castro. Esta, filha legítima de Eurico Teodoro Silva e de dona Giolho M. O. Silva.50
VI-1 Phelipe da Silva Castro.50
VI-2 Eduardo da Silva Castro.50
V-2 Angela Foligno de Castro.50
V-3 Marta Foligno de Castro.50
V-4 Maria Clara Foligno Castro. Casou-se em Ipatinga, Minas Gerais, com Sidney Gomes de Matos, e adotou o nome de Maria Clara Foligno Castro Matos. Ele, natural de Coronel Fabriciano, Minas Gerais, filho legítimo de José Saturnino de Matos e de dona Carmita Gomes de Matos. Ela é professora de piano, residente e domiciliada em Ipatinga.50,231
VI-1 Victor Foligno Castro Matos. Engenheiro, mora e trabalha em São Paulo Capital.50,231
IV-8 Lourival José de Siqueira Castro "Vazé". Nascido no dia 20-02-1935, quarta-feira, em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Caminhoneiro, comerciante e agropecuarista, casou-se em Além Paraíba, Minas Gerais, com Maria Helena Ribeiro do Nascimento, que adotou o nome de Maria Helena Ribeiro de Castro. Sendo ela natural da cidade do Rio Preto, Minas Gerais. O casal passou a residir em Além Paraíba e mais tarde em sua fazenda Boa Esperança, no Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais.14,50,80,130
Lourival José de Siqueira Castro faleceu em decorrência de pancreatite, no Hospital São Salvador, em Além Paraíba, por volta de uma hora da madrugada do dia 03-01-2006, terça-feira, e seu corpo foi sepultado à tarde do mesmo dia no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Contava 70 anos, 10 meses e 14 dias de idade e 44 anos, 1 mês e 23 dias de casado. Já a Maria Helena Ribeiro de Castro reside na cidade de Volta Grande, Estado de Minas Gerais.50
Ascendência da esposa:
1 – Maria Helena Ribeiro de Castro. É irmã da falecida Eugênia Ribeiro de Castro "Fanica", casada com Sebastião Tavares de Castro "Tiãozinho", primo do (IV-8) Lourival José de Siqueira Castro.50
Pais:
2 – Raymundo Ribeiro do Nascimento. Agropecuarista falecido em Além Paraíba, Minas Gerais. Casado com [3] Helena Geralda de Paula Campos. Eles foram fazendeiros no Município do Rio Preto, Estado de Minas Gerais e no de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro.50,80
3 – Helena Geralda de Paula Campos. Natural do Rio Preto, Minas Gerais. Era filha legítima de [6] Domingos Paula Campos e de dona [7] Hermínia Altomare Campos.50,80
Avós maternos:
6 – Domingos Paula Campos. Ele foi fazendeiro no Município do Rio Preto, Estado de Minas Gerais. Casado com dona [7] Hermínia Altomare Campos.50,182
7 Hermínia Altomare Campos. O seu nome de solteira era: Hermínia Altomare.50,182
Lourival José de Siqueira Castro e Maria Helena Ribeiro de Castro tiveram três filhos.50
V-1 Rosimary Ribeiro de Castro. Ela é natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se na sede da fazenda Boa Esperança, no Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais, com Tarcísio Jacinto Mendes, e adotou pelo matrimônio o nome de Rosimary Castro Mendes. Ele é natural de Aracitaba, Minas Gerais, filho legítimo de José Toledo Mendes e de dona Iná Jacinto Mendes. São residentes e domiciliados em Juiz de Fora, Minas Gerais.50
VI-1 Júlia Castro Mendes. Natural da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. Graduada em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Juiz de Fora no ano de 2014.50,231
VI-2 Thales Castro Mendes. Natural da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais.50,231
V-2 Lourival José Ribeiro Castro. Ele é natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se em Mar de Espanha, Minas Gerais, com Carla Rezende Biancarde, que adotou em virtude do casamento, o nome de Carla Rezende Biancarde Castro; natural desta mesma Cidade, filha legítima de Carlos Affonso Biancarde e de dona Cybelle Rezende Biancarde.50
VI-1 Lourival Biancarde Castro. Ele é natural de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Graduado em Engenharia Elétrica, pela Universidade Federal de Juiz de Fora.50,231
VI-2 Mateus Biancarde Castro. Ele é natural de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Graduado em Engenharia Elétrica, pela Universidade Federal de Juiz de Fora.50,231
V-3 Afrânio Ribeiro de Castro. Nascido no dia 14-09-1969, domingo, em Além Paraíba, Minas Gerais. Ele faleceu nesta mesma Cidade no mês de março de 1970, e seu corpo foi sepultado no jazigo da família, no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais.50
IV-9 Paulo Celso de Siqueira Castro "Celsinho". Ele é nascido no dia 26-03-1937, sexta-feira, às cinco horas e trinta minutos, em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Lavrador, casou-se em Além Paraíba, Minas Gerais, com a professora Marília Souza do Valle, que adotou o nome de Marília Valle de Castro. Esta, natural desta mesma Cidade e filha legítima de Vicente Martins do Valle e de dona Nerolina Souza do Valle. Anos mais tarde o casal se separou.50,80,130
Paulo Celso de Siqueira Castro faleceu no dia 15-05-1999, sábado, pelas onze horas, em leito hospitalar na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, aos 62 anos, 1 mês e 19 dias de idade. O óbito foi em decorrência de traumatismo craniano sofrido numa queda acidental em serviço caseiro. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Eles tiveram três filhos.50
V-1 Paulo Celso. Ele é natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
V-2 Alexandre. Ele é natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
V-3 Ana Paula Valle de Castro. Ela é natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
IV-10 Antônio Carlos de Siqueira Castro "Toninho". Ele é nascido em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais.50,130
Ele foi inicialmente caminhoneiro e mais tarde passou a se dedicar à agropecuária. Em 1969, ele se casou com a pedagoga Anna Maria Hisse de Castro, sua prima, que manteve o nome de solteira. O casamento civil foi realizado na casa dos pais da noiva em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina; já, a cerimônia religiosa foi celebrada no dia seguinte, na igreja de São José Operário, na cidade de Leopoldina. Esta, nascida na sede do antigo sítio da Baixada, situado em área do Distrito de Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Minas Gerais.50
Ascendentes da esposa:
1 – Anna Maria Hisse de Castro. Ela foi professora, pedagoga e diretora escolar em Além Paraíba, Minas Gerais.50
Pais:
2 – Vanor Vasques de Castro (02-12-1915—12-04-1975). Foi agricultor no Distrito de Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Minas Gerais e mais tarde, proprietário de ferraria em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais.50
3 – Julieta Hisse de Castro (26-02-1923—15-09-1980). O seu nome de solteira era: Julieta Lattuf Hissi. Ela foi agente dos correios em São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Era natural de Estrela Dalva e falecida em Além Paraíba, no Estado de Minas Gerais.50
Avós paternos:
4 – Luiz Augusto Teixeira de Castro (01-06-1867—03-12-1935). Nasceu na sede do sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Foi comerciante e depois fazendeiro. Viúvo de Maria Teresa Pacheco de Castro (Maria Teresa Pacheco Vieira, quando solteira), contraiu segundas núpcias com [5] Julieta Vasques de Castro, no dia 08-07-1899, sábado, na sede da fazenda do Rochedo, no Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais. Ele faleceu na sede da sua fazenda da Pedra, neste mesmo Distrito; e seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Trimonte, no Município de Volta Grande, Minas Gerais.50,62,63,65,67,69
5 – Julieta Vasques de Castro (09-07-1878—28-01-1943) — seu nome de solteira era: Julieta Vasques de Miranda. Filha legítima do espanhol [10] José Bento Vasques de Miranda e de [11] Rosa Luiza de Menezes Vasques. Nascida e casada na sede da antiga fazenda do Rochedo, situada no atual Distrito Água Viva, no Município de Estrela Dalva Minas Gerais. Falecida em Recreio, Minas Gerais, na casa de sua filha Maria Dulce, onde se encontrava em tratamento de saúde com o médico local, Doutor Darcy Nunes de Miranda. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Trimonte, no Município de Volta Grande, Minas Gerais.14,50,55,64,65,66,68
Avós maternos:
6 – Kalil Hissi. Seu nome no Líbano era Khalil Issa. Era natural de Kfar Aamay, no atual Município de Aley, Monte Líbano, República do Líbano; onde foi batizado na igreja Cristã Maronita. Filho legítimo de [12] Issa Khalil e de [13] Najma Mansur. Faleceu no dia 12-12-1964, sábado, em Volta Grande, Minas Gerais.50,75,80,92,171
7 – Rosa Lattuf Hissi. Natural de Kfar Aamay, no atual Município de Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Seu nome de solteira no Líbano era Warda Lattuf. Filha legítima de [14] Habib Lattuf Ilyas e de [15] Jana Amin.50,75,80,92
Bisavós:
8 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca de 1816—31-01-1893). Foi o patriarca no Brasil deste ramo da família Castro. Era natural do norte de Portugal e que faleceu no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Ele estudara em colégio para ordenação de sacerdotes em Portugal.1, 9,10
9 – Carolina Augusta de Siqueira Castro Ela nasceu em Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [18] Francisco Antunes de Sequeira e de [19] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [8] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, viúvo que ficara de Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba.1,9,15
10 – José Bento Vasques de Miranda (01-11-1833—21-12-1915). Ele era espanhol, natural da Galiza, onde foi casado pela primeira vez e pai de duas filhas. Ao ficar viúvo deixou as filhas ainda novas sendo criadas por parentes; e antes de vir para o Brasil deixou lá uma propriedade reservada para as filhas. Tornou-se fazendeiro produtor de café em Minas Gerais, em áreas pertencentes aos futuros distritos de Água Viva, no Município de Estrela Dalva (fazenda do Rochedo, já demolida) e Trimonte, no Município de Volta Grande (fazenda Santo Antônio e mais alguns sítios).50,64,65,66,68
11 – Rosa Luiza de Menezes Vasques (1845—18-08-1927), “Rosinha” para os parentes e conhecidos. Nascida em terras do atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, onde também foi batizada no dia 10-04-1847, sábado, pelo Padre Vicente Ferreira Monteiro de Castro, no então curato de Madre de Deus, de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, sendo seus padrinhos de batismo: o avô paterno, José Cardoso de Menezes e Nossa Senhora Madre de Deus, por invocação.50,64,65,66,68,69
12 – Issa Khalil. Natural da localidade de Kfar Aamay, no então Município de Chouf, hoje pertencente ao município de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Filho do agricultor [24] Assaf Issa e da primeira mulher, de seus três casamentos, [25] Saadi Assaf. Ele era casado com [13] Najma Mansur.75,80,92,171
13 – Najma Mansur. Natural da localidade de Kfar Aamay, que atualmente pertence ao Município de Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Era filha legítima de [26] Mansur Abichibeb e de [27] Mariam Mansur. Casada com o agricultor [12] Issa Khalil. Najma Mansur faleceu em Kfar Aamay em avançada idade, viúva e cega. Três de seus filhos vieram para o Brasil.75,80,92,171
14 – Habib Lattuf Ilya. Agricultor, natural da localidade de Kfar Aamay, Líbano; onde se casou com [15] Jana Amin, e onde também sempre morou. Ele faleceu no ano de 1900.75,80,92,199
15 – Jana Amin. Natural da localidade de Kfar Aamay, Líbano; e casada com [14] Habib Lattuf Ilya. Ela faleceu viúva, em 1903.75,80,92,199
Deixou um casal de filhos — Gerges Habib Lattuf, de 11 anos e Warda Lattuf, de 9 — que acabaram de ser criados por um Padre Maronita Cristão parente deles, até se emanciparem. O mais velho depois de se casar com Mantura Assaf e ficar viúvo, veio para o Brasil e passou a se chamar de Jorge Abib Lattuf; e a caçula Warda Lattuf casou-se com Khalil Issa no Líbano, e vindo para o Brasil, passaram a se chamar: ele, [6] Kalil Hissi e ela, [7] Rosa Lattuf Hissi, acima citados.5,80,92,199
Trisavós:
18 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [19] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Era filho de [36] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [37] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa.1,15,16,17,19
19 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida na freguesia de Barbacena, Minas Gerais; e foi batizada no dia 15-06-1810, sexta-feira, pelo padre Antônio Rodrigues Lobato, na ermida do Bandeira, onde se formou o Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [77] Mariana Angélica Gonçalves. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se pode verificar em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima do alferes (38) Francisco Gonçalves Couto e de [39] Ana Zeferina Côrtes.1,15,18
22 – Agostinho Luiz de Menezes (cerca do ano de 1815—25-09-1861). Foi agricultor estabelecido na freguesia de Madre de Deus do Angu, em terras situadas nas imediações do futuro Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, onde também veio a falecer. Ele foi primeiro marido de [23] Ana Rosa de Moraes.69,101
23 – Ana Rosa de Moraes. Foi casada duas vezes: seu primeiro marido foi [22] Agostinho Luiz de Menezes, que faz parte deste costado. Decorrido 1 ano, 10 meses e 19 dias do falecimento do marido e tendo alguns filhos menores, ela contraiu um novo casamento, no dia 13-08-1863, quinta-feira, na sede da fazenda Santa Bárbara de propriedade de Joaquim Pedro Fernandes (situada na região do futuro Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais), com o agricultor, Saturnino Nunes Duarte, filho de Severino Nunes Duarte e de sua mulher, Ana Clara da Aleluia. Tendo este segundo casamento sido celebrado pelo Padre Henrique de Souza Borges Acioli, Vigário da Paróquia Madre de Deus do Angu, do atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, em altar preparado ad hoc, com licença do Vigário de Leopoldina e também do Padre Manuel Luiz Correia, do Curato de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista, cerimônia em que foram testemunhas: os senhores José Cláudio Valadão e Joaquim Pedro Fernandes.69,100,101
24 – Assaf Issa. Nascido na localidade de Kfar Aamay, pertencente ao então Município de Chouf, e hoje à cidade serrana de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Ele foi aí chefe administrativo denominado "makhatir" cargo este preenchido por escolha dos habitantes da própria aldeia; e que veio a ocupá-lo durante muitos anos repetidamente. Ele tinha aí também terras com produção agrícola e onde sempre viveu e morou.171
Ele foi casado por três vezes. O seu primeiro casamento foi celebrado na referida Localidade, na igreja maronita cristã, com sua conterrânea e contemporânea, [25] Saadi Assaf, que faz parte deste costado; e que ficou viúvo, com cinco filhos.171
Não conseguimos descobrir ainda o nome da sua segunda esposa, que faleceu sem deixar nenhum filho, pelo que me disseram os informantes mais antigos. Já o seu terceiro casamento foi com Chimone Moussi, que também deixou descendentes.199
Assaf Issa faleceu em Kfar Aamay no ano de 1913, deixando viúva a sua terceira esposa, Chimone Moussi, que aí ainda vivia pelo ano de 1920.199
25 – Saadi Assaf. Nascida na localidade de Kfar Aamay, que era então pertencente ao Município de Chouf, e hoje à cidade serrana de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Foi a primeira mulher de [24] Assaf Issa. O casal teve os seguintes filhos: Youssef Assaf George, que quando esteve no Brasil tinha o nome de Camillo Jorge; Tanus Assaf (o único que veio e permaneceu no Brasil e aqui passando a se chamar Antônio Assaf); Issa Khalil; Lies Assaf Issa e Mariam Issa.171
26 – Mansur Abichibeb. Natural de Kfar Aamay, Líbano. Casado com [27] Mariam Mansur. Faleceu no ano de 1900 nesta referida Localidade, onde residiam.200
27 – Mariam Mansur. Natural de Kfar Aamay, Líbano. Casada com [26] Mansur Abichibeb. Ele faleceu no ano de 1919 na referida localidade libanesa.200
Antônio Carlos de Siqueira Castro e Anna Maria Hisse de Castro tiveram três filhas.50
V-1 Cláudia Maria Hisse de Castro. Natural da cidade de Leopoldina, Minas Gerais. Professora e pedagoga, casou-se em Além Paraíba, Minas Gerais, com o agropecuarista James Stewart Villela, e adotou o nome de Cláudia Maria Hisse de Castro Villela. Eles são residentes em Além Paraíba.50
Ascendência do marido:
1 – James Stewart Villela. Agropecuarista, natural de Além Paraíba, Minas Gerais.50
Pais:
2 – Arthur Augusto Cortes Villela. Nascido na sede da fazenda Bela Aurora, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Ele é alto funcionário da CCPL Cooperativa Central dos Produtores de Leite, na cidade do Rio de Janeiro. Casou-se duas vezes. Em primeiras núpcias com [3] Márcia Stewart Villela. Quando viúvo, contraiu novo casamento, com Doralice Mendes de Magalhães Villela. Ele era filho legítimo de [4] Renato Brugger Villela e de [5] Anna Teixeira Côrtes.16,50,231
3 – Márcia Stewart Villela. Seu nome quando solteira era: Márcia Ferraz Stewart. Primeira esposa de [2] Arthur Augusto Cortes Villela. Nascida no dia 12-06-1938, domingo, e casada em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, no dia 29-04-1961, sábado. Filha legítima de [6] James Feuchard Stewart e de [7] Lenira Ferraz Stewart.15,50,92,126
Avós paternos:
4 – Renato Brugger Villela. Fazendeiro, nascido no dia 16-12-1906, domingo, em Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Ele foi proprietário da fazenda Recanto, no Município de Além Paraíba. Casou-se no dia 30-08-1935, sexta-feira, na sede da fazenda Bela Aurora, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, com [5] Anna Côrtes Villela. Ele era filho legítimo de [8] Gabriel de Andrade Villela e de [9] Leopoldina Brugger Villela.15,50,114,116
5 – Anna Côrtes Villela. Nome de solteira: Anna Teixeira Côrtes. Chamada carinhosamente de "Anita" pelos parentes e amigos. Nascida no dia 26-01-1904, terça-feira, na sede da fazenda Bela Aurora, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, onde se casou em 30-08-1935, sexta-feira, com [4] Renato Brugger Villela. Ela faleceu viúva, em Além Paraíba, no dia 18-03-2004, quinta-feira, aos 100 anos, 1 mês e 21 dias de idade. Era filha legítima de [10] Arthur Augusto Diniz de Figueiredo Cortes e de [11] Anna Esméria Teixeira Cortes.15,50,69
Avós maternos:
6 – James Feuchard Stewart. Cirurgião-dentista, nascido no dia 21-03-1908, sábado, em São Sebastião da Estrela, atual Estrela Dalva, Minas Gerais, casado com [7] Lenira Ferraz Stewart, e falecido aos 79 anos, 4 meses e 9 dias de idade, em 30-07-1987, quinta-feira, na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério da Trindade do Santíssimo Sacramento. Ele era filho legítimo de [12] Mário de Sá Haygh Stewart e de [13] Ercília Curty Feuchard Stewart.50,92,126,213
7 – Lenira Ferraz Stewart. Seu nome quando solteira era: Lenira Junqueira Ferraz. Nascida no dia 16-01-1910, domingo, na sede da fazenda Santa Emiliana, em Pirapetinga, Minas Gerais, casada com [6] James Feuchard Stewart, e falecida aos 75 anos, 8 meses e 28 dias de idade, no dia 14-10-1985, segunda-feira, em Além Paraíba, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério da Trindade do Santíssimo Sacramento, em Além Paraíba. Era filha legítima de [14] Joaquim Junqueira Ferraz e de [15] Maria do Carmo Junqueira Ferraz.50,55,126
Bisavós:
8 – Gabriel de Andrade Villela. Estabelecido em Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Agricultor, casado com [9] Leopoldina Brugger Villela. Ele era filho legítimo de [16] Casimiro Villela de Andrade e de [17] Cândida Cardoso Villela.15,114,116,276
9 – Leopoldina Brugger Villela. O seu nome quando solteira, era: Leopoldina Brugger. Casada com [8] Gabriel de Andrade Villela, Esta falecida no dia 10-11-1938, quinta-feira, em Niterói, Estado do Rio de Janeiro. Filha de [18] Frederico Brugger e de sua mulher, dona [19] Mariana de Oliveira Brugger.15,114,116,276
10 – Arthur Augusto Diniz de Figueiredo Cortes. Foi batizado no dia 29-05-1861, quarta-feira, na igreja Madre de Deus, em Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Minas Gerais. Produtor de café, casado com [11] Anna Esméria Teixeira Cortes, e que faleceu no dia 24-09-1918, terça-feira, aos 57 anos de idade, na cidade do Rio de Janeiro. Eles foram fazendeiros no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, proprietários da fazenda Bela Aurora. Era filho legítimo de [20] José Augusto de Figueiredo Cortes e de dona [21] Maria Guilhermina Diniz de Figueiredo Cortes.15,50,69
11 – Anna Esméria Teixeira Cortes – "Nicota da Bela Aurora" (03-03-1864—30-09-1943). Ela era natural do atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; e faleceu aí, na sede de sua fazenda, aos 79 anos, 6 meses e 27 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura. Era filha legítima de [22] José Cesário de Figueiredo Cortes e de dona [23] Maria Guilhermina Teixeira.15,50,69
12 – Mário de Sá Stewart. Natural do Estado do Rio de Janeiro, onde se casou em São Sebastião do Paraíba com [13] Ercília Curty Feuchard Stewart. Cirurgião-dentista estabeleceu-se no então Distrito de São Sebastião da Estrela, atual Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais; e que mais tarde, já viúvo, transferiu-se para Além Paraíba – a sede do Município. Ele faleceu aí, viúvo, em acidente ocorrido no dia 03-12-1930, quarta-feira, às 15 horas, numa grande explosão dum prédio situado no centro comercial de Porto Novo, que guardava material bélico do Comando Revolucionário, que seria transferido pelo Exército Brasileiro, para a cidade do Rio de Janeiro. O seu corpo foi sepultado no túmulo de número 12 da família, no Cemitério Municipal de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Ele era filho legítimo de [24] Harold Haygh Stewart e de dona [25] Emilia de Sá Stewart.92,213,231
13 – Ercília Curty Feuchard Stewart. O seu nome quando solteira, era: Ercília Curty Feuchard. Nascida por volta de 1883, na então Província do Rio de Janeiro, e casada aí, na vila de São Sebastião do Paraíba. Eram residentes e domiciliados em São Sebastião da Estrela, atual Estrela Dalva, Minas Gerais, onde faleceu aos 39 anos de idade, no dia 07-07-1922, sexta-feira. Seu corpo foi sepultado no jazigo número 12 da família, no Cemitério Municipal de Estrela Dalva. Era casada com [12] Mário de Sá Stewart. Filha legítima de [26] Frederico Costa Feuchard e de [27] Elvira Maria Curty Feuchard.92,213
14 – Joaquim Junqueira Ferraz (02-10-1880—05-12-1967). Ele era fazendeiro. Natural de Cruzília, Minas Gerais e falecido na cidade do Rio de Janeiro. Casado com dona [15] Maria do Carmo Junqueira Ferraz. Filho legítimo de [28] Salviano Dias Ferraz e de dona [29] Maria José Junqueira Ferraz.55,126
15 – Maria do Carmo Junqueira Ferraz (19-01-1883—04-12-1966). Era natural de Cruzília, Minas Gerais, onde também se casou por volta de 1902, com o [14] Joaquim Junqueira Ferraz. Ela era filha legítima de [30] Joaquim Dias Ferraz e de [31] Maria do Carmo de Andrade Junqueira. Faleceu em Leopoldina, Minas Gerais.55,126
Trisavós:
16 – Casimiro Villela de Andrade. Era fazendeiro. Filho legítimo de [32] José Villela dos Reis e de [33] Francisca Paula de Jesus. Foi casado duas vezes. Em primeiras núpcias com Ana de Andrade Penha, sendo esta filha legítima do barão de São Tomé Francisco Gonçalves da Penha e da baronesa de São Tomé Mariana Benedita de Andrade. Ao ficar viúvo, contraiu matrimônio com [17] Candida Cardoso Villela.113,114,116
17 – Cândida Cardoso Villela. Nome de solteira: Cândida Cardoso Brochado. Foi segunda esposa do fazendeiro [16] Casimiro Villela de Andrade. Era filha legítima de [34] Cândido Cardoso Brochado e de dona [35] Ana Teixeira.113,114,116
18 – Frederico Brugger. Ele possui ascendência suíça. Fazendeiro, casado com dona [19] Mariana de Oliveira Brugger. Ele faleceu em Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro, no dia 26-04-1894, quinta-feira.231,276
19 – Mariana de Oliveira Brugger. Nome de solteira: Mariana de Oliveira. Nascida em 1842, em Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, atual Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro, onde se casou com o fazendeiro [18] Frederico Brugger. Ela faleceu aos 83 anos de idade, no mês de fevereiro de 1926, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais.231,276
20 – José Augusto de Figueiredo Cortes. Fazendeiro nascido cerca de 1821 em Barbacena, Minas Gerais. Casado com [21] Maria Guilhermina Diniz de Figueiredo Cortes. Estabelecido na região de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Era filho legítimo de [40] Manuel Gonçalves Cortes e de [41] Luiza Teresa de Figueiredo.15
21 – Maria Guilhermina Diniz de Figueiredo Cortes. Seu nome de solteira era: Maria Guilhermina Diniz. Casada com [20] José Augusto de Figueiredo Cortes. Falecida no dia 03-06-1862, terça-feira, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, onde seus restos mortais jazem sepultados no cemitério local. Ela era filha legítima de [42] Elias Simões Diniz e de dona [43] Maria Jesuína de Campos.15,149
22 – José Cesário de Figueiredo Cortes (01-06-1828—10-07-1902). Natural da região de Barbacena, Minas Gerais. Era filho legítimo de [44] Joaquim José Cesário de Figueiredo e de [45] Maria Jesuina de Figueiredo Cortes. Casou-se no dia 20-04-1861, sábado, em Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, com [23] Maria Guilhermina Teixeira. Eles foram fazendeiros nesta mesma região, proprietários da fazenda Trindade. Ele faleceu aí, já viúvo, na sede da fazenda Boa Vista, contava 74 anos, 1 mês e 9 dias de idade.15,29,69
23 – Maria Guilhermina Teixeira (1838—12-03-1900). Ela é natural da freguesia de Conceição da Barra, São João del-Rei, Minas Gerais, nascida na sede da fazenda dos Coqueiros. Era filha do tenente-coronel e fazendeiro [46] João Evangelista Teixeira (1797—18-02-1873) e de sua segunda mulher, [47] Ana Esméria Teixeira. Casou-se com [22] José Cesário de Figueiredo Cortes, em 20-04-1861, sábado, na sede da fazenda Boa Vista (já demolida), pertencente aos seus pais, em Angustura, Minas Gerais. Ela morreu na sede de sua fazenda Trindade, no Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais; contava 62 anos de idade, e 38 anos, 10 meses e 20 dias de casada.15,29,69
24 – Harold Haygh Stewart. Natural da Inglaterra. Casado com [25] Emilia de Sá Stewart. Moradores na então Província do Rio de Janeiro.92
25 – Emilia de Sá Stewart. Natural do Brasil, casada com o inglês, [24] Harold Haygh Stewart. Moradores na então Província do Rio de Janeiro.92
26 – Frederico Costa Feuchard. Casado com [27] Elvira Maria Curty Feuchard, no dia 07-01-1882, sábado, em Cantagalo, na então Província e atual Estado do Rio de Janeiro.92,287
27 – Elvira Maria Curty Feuchard. Nome de solteira: Elvira Maria Dazon Curty. Casada com [26] Frederico Costa Feuchard, ambos descendentes de suíços.92,287
28 – Salviano Dias Ferraz (05-10-1852—03-11-1918). Era natural de Cristina, Minas Gerais. Fazendeiro casado com dona [29] Maria José Junqueira Ferraz. Ele era irmão do [30] Joaquim Dias Ferraz e ambos filhos legítimos do coronel [56 e 60] Silvestre Dias Ferraz e de dona [57 e 61] Ana Leonízia de Castro.112,126
29 – Maria José Junqueira Ferraz (06-07-1860—1928). Seu nome de solteira era: Maria José Junqueira. Natural de São Tomé das Letras, Minas Gerais. Casou-se no dia 02-03-1878, sábado, em Três Corações, Minas Gerais com [28] Salviano Dias Ferraz, e faleceu em Cristina, Minas Gerais. Ela era filha de [58] Joaquim Tibúrcio de Andrade Junqueira e de sua mulher, [59] Gabriela Angelina de Azevedo e Paiva.112,126
30 – Joaquim Dias Ferraz (01-05-1854—21-02-1924). Era natural de Cristina, Minas Gerais, casado com [31] Maria do Carmo de Andrade Junqueira, no dia 27-11-1880, sábado, em Três Corações, Minas Gerais. Fazendeiro, falecido aos 69 anos, 9 meses e 20 dias de idade, em Pirapetinga, Minas Gerais. Ele era irmão do [28] Salviano Dias Ferraz e ambos filhos legítimos de [56 e 60] Silvestre Dias Ferraz e de [57 e 61] Ana Leonizia de Castro.112,126
31 – Maria do Carmo de Andrade Junqueira. Nascida no dia 25-03-1865, sábado, em Cruzília, Minas Gerais. Casada com [30] Joaquim Dias Ferraz. Filha legítima de [62] Antônio Gabriel Junqueira de Carvalho e de dona [63] Helena Nicésia Ribeiro de Andrade Junqueira.112,126
James Stewart Villela e sua esposa Cláudia Maria Hisse de Castro Villela tiveram três filhos.
VI-1 Mariana de Castro Villela. Nascida em Santo Antônio de Pádua, Estado do Rio de Janeiro.50
VI-2 Arthur Augusto de Castro Villela. Nascido em Santo Antônio de Pádua, Estado do Rio de Janeiro.50
VI-3 Ana Luiza de Castro Villela. Nascida em Santo Antônio de Pádua, Estado do Rio de Janeiro.50
V-2 Luciana Hisse de Castro. É natural de Leopoldina, Minas Gerais. Casou-se no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, com Jovêncio Carlos Moreira da Costa, e adotou o nome de Luciana Hisse de Castro Costa. Ele, natural de São José do Vale do Rio Preto, Estado do Rio de Janeiro, filho de Antônio Moreira da Costa e de Maria Renilda Faraco; neto paterno de Juvêncio Moreira da Costa e de Joana Moreira da Costa, e materno de Humberto e Nita. Eles são residentes e domiciliados em Juiz de Fora, Minas Gerais.50
VI-1 Antônio Carlos Hisse de Castro Costa. Ele é natural de Juiz de Fora, Minas Gerais.50
VI-2 João Vítor Hisse de Castro Costa. Ele é natural de Juiz de Fora, Minas Gerais.50
V-3 Samantha Hisse de Castro. Advogada, natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Cidade, com o norte-americano, Robert Russell Spratt ‒ "Bob", e adotou o nome de Samantha Hisse de Castro Spratt. Ele, natural da cidade de Dixon, Estado de Illinois, filho legítimo de Russell Spratt e de Nancy Spratt, mas, que foi criado também pela senhora Charlotte Glessner, segunda esposa de Russel Spratt. O casal que morava em Dixon, nos Estados Unidos da América, mudou-se para o Brasil.50
VI-1 Anna Maria Castro Spratt. Natural da cidade de Dixon, Illinois, Estados Unidos da América.50
IV-11 José dos Santos Siqueira Castro. Nascido no dia 01-11-1940, sexta-feira, às seis horas da manhã, em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Ele se casou no dia 04-01-1970, domingo, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, com a professora Jane Lamoglia França, que adotou o nome de Jane França Castro. Ela nascida em Leopoldina, no mês de fevereiro de 1941.50,81,130
José dos Santos Siqueira Castro faleceu em Maricá, Estado do Rio de Janeiro, no dia 21-11-1975, sexta-feira, de uma descarga elétrica. Contava apenas 35 anos e 20 dias de idade e 5 anos, 10 meses e 17 dias de casado. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Municipal de Leopoldina.50
Já, a Jane França Castro faleceu em Leopoldina, no dia 10-03-2009, terça-feira, aos 68 anos de idade. Seu corpo jaz também sepultado no Cemitério Municipal de Leopoldina.50
Ascendentes da esposa:
1 – Jane França Castro. Quando solteira: Jane Lamoglia França.50
Pais:
2 – Optato Lacerda França "Tatinho" (20-08-1903—20-06-1971). Era farmacêutico estabelecido em Leopoldina, Minas Gerais. Ele era filho legítimo de [4] Manuel Bruno Viana França e de [5] Maria Augusta Lacerda França.50,56,81
3 – Filomena Lamoglia França. O seu nome de solteira era: Filomena Lamoglia. Popular e carinhosamente conhecida por dona "Filó". Ela nascida no dia 29-08-1912, quinta-feira, em Leopoldina, Minas Gerais, onde também veio a se casar, no dia 28-10-1938, sexta-feira, com o farmacêutico, [2] Optato Lacerda França. Diretora Escolar aposentada, faleceu já bem idosa em Leopoldina. Era filha legítima de [6] Antônio Lamoglia e de [7] Margarida Lorenzetto Lamoglia.50,81
Avós paternos:
4 – Manuel Bruno Viana França. Natural de Vassouras, Rio de Janeiro. Casado com dona [5] Maria Augusta Lacerda França.50,56,81
5 – Maria Augusta Lacerda França. Nome de solteira: Maria Augusta Rodrigues Lacerda. Natural de Leopoldina, Minas Gerais. Era filha legítima de [10] Custódio Lacerda Ferreira e de dona [11] Augusta Esméria Rodrigues.50,56,81
Avós maternos:
6 – Antônio Lamoglia. Nascido no ano de 1884, em Maratea, Província de Potenza, Itália. Casado com [7] Margarida Lorenzetto Lamoglia. Era filho legítimo dos comerciantes italianos, [12] Braz Antônio Lamoglia Biagio Antonio Lamoglia e dona [13] Filomena Schettino Philomena Schettino.50,81,298
7 – Margarida Lorenzetto Lamoglia. Nome quando solteira: Margarida Lorenzetto. Casada no dia 26-09-1911, terça-feira, sendo a cerimônia religiosa celebrada na Paróquia de São Sebastião, no dia 21-10-2011, sábado, ambos em Leopoldina, Minas Gerais. Era filha legítima dos agricultores italianos, [14] Luiz Lorenzetto Luigi Lorenzetto e dona [15] Maria Lorenzetto.50,81,298
Bisavós:
10 – Custódio Lacerda Ferreira. Casado com dona [11] Augusta Esméria Rodrigues. Era filho legítimo de [20] Ezaú Antônio Ferreira Brito e de dona [21] Mariana Flausina Ferreira Neto.56
11 – Augusta Esméria Rodrigues. Casada com [10] Custódio Lacerda Ferreira. Era filha legítima de [22] Vicente Rodrigues Gomes e de dona [23] Luciana Francelina da Anunciação.56
12 – Braz Antônio Lamoglia Biagio Antonio Lamoglia. Natural da Itália, donde veio casado com [13] Filomena Schettino. Eles foram comerciantes.50,81
13 – Filomena Schettino Philomena Schettino. Natural da Itália. Era casada com [12] Braz Antônio Lamoglia.50,81
14 – Luiz Lorenzetto Luigi Lorenzetto. Natural da Itália, donde veio casado com dona [15] Maria Lorenzetto. Eram agricultores.50,81
15 – Maria Lorenzetto. Natural da Itália, onde se casou com [14] Luiz Lorenzetto.50,81
Trisavós:
20 – Ezaú Antônio Ferreira Brito. Casado com a [21] Mariana Flausina Ferreira Neto.56
21 – Mariana Flausina Ferreira Neto. Casada com o [20] Ezaú Antônio Ferreira Brito.56
22 – Vicente Rodrigues Gomes. Casado com a [23] Luciana Francelina da Anunciação.56
23 – Luciana Francelina da Anunciação. Casada com o [22] Vicente Rodrigues Gomes. Ela era filha legítima de [46] Antônio Rodrigues Gomes Filho e de [47] Rita Esméria de Jesus.56
Tetravós
46 – Antônio Rodrigues Gomes Filho. Casado com a [47] Rita Esméria de Jesus. Era filho legítimo de [92] Antônio Rodrigues Gomes e de [93] Jacinta Rosa de Jesus.56,201
47 – Rita Esméria de Jesus. Casada com [46] Antônio Rodrigues Gomes Filho. Era filha legítima de [94] Manuel Antônio de Almeida e de [95] Rita Esméria de Jesus.56
José dos Santos Siqueira Castro e Jane França Castro tiveram um casal de filhos.50
V-1 Valéria França Castro. Professora e física, natural de Leopoldina, Minas Gerais. Casou-se nesta mesma Cidade, com Luiz Carlos Neto Barbosa, e adotou o nome de Valéria França Castro Barbosa. Ele, filho legítimo de Baldoíno Barbosa e de Vilma Martins Neto; neto materno de Evaristo Ferreira Neto (14-10-1889—12-09-1947) e de Ambrosina Martins Neto (05-08-1894—10-03-1982), ambos nascidos, casados em 21-09-1910 e falecidos em Leopoldina; por Evaristo Ferreira Neto, bisneto de José Celestino Ferreira Neto e de Virgínia Ferreira Neto; e por Ambrosina Martins Neto, bisneto de José Martins de Carvalho e de Ilka Vargas Neto.50,288
VI-1 Cadu.231
V-2 Eduardo França Castro. Biólogo, natural da cidade de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Ele é professor da Universidade Federal de Viçosa e reside no Município de Florestal, na região metropolitana de Belo Horizonte.50
IV-12 Maria Dahyl Siqueira Castro. Nascida em domicílio, na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Ela é formada como professora normalista em Leopoldina e foi aí secretária municipal da educação. Casou-se com o agropecuarista leopoldinense, Arthur Bernardes de Castro Meirelles e adotou o nome de Maria Dahyl de Castro Meirelles.50,130,165
Ascendentes do marido:
1 – Arthur Bernardes de Castro Meirelles.50,165
Pais:
2 – Itamar Carneiro Meirelles. Pecuarista no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Filho legítimo de [4] José Teixeira de Meirelles e de [5] Maria Genoveva Carneiro Meirelles.50,165
3 – Zoé Lina de Castro Meirelles. Nome quando solteira: Zoé Lina de Castro Barbosa. Filha legítima de [6] Joaquim Barbosa de Castro e de [7] Emiliana de Faria Castro.50,165
Avós paternos:
4 – José Teixeira de Meirelles. Foram fazendeiros no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Casado com dona [5] Maria Genoveva Carneiro Meirelles. Era filho legítimo do fazendeiro [8] Antônio Belizandro dos Reis Meirelles e de dona [9] Josefa Firmina de Rezende.50,112,165
5 – Maria Genoveva Carneiro Meirelles. Casada com [4] José Teixeira de Meirelles. Era filha legítima de [10] José Lúcio Carneiro e de [11] Helena Eufrosina.50,112,165
Avós maternos:
6 – Joaquim Barbosa de Castro — "Quincas". Nascido em Descoberto, Minas Gerais, no dia 23-11-1867, sábado. Casado com [7] Emiliana de Faria Castro. Ele faleceu aos 88 anos de idade, no ano de 1956, em Leopoldina, Minas Gerais. Ele era filho de [12] Francisco Barbosa de Castro e de [13] Maria Ricardina da Fonseca.165,202,203
7 – Emiliana de Faria Castro. Nome de solteira: Emiliana Antunes de Faria. Nascida no dia 09-09-1873, terça-feira, em Rio Pardo, atual cidade de Argirita, Minas Gerais, onde também se casou no dia 30-08-1890, sábado, com [6] Joaquim Barbosa de Castro. Ela faleceu no ano de 1958, em Leopoldina, Minas Gerais. Era filha legítima de [14] João Lopes de Faria Filho e de [15] Minervina Augusta Vieira.165,202,203
Bisavós:
8 – Antônio Belizandro dos Reis Meirelles. Nascido por volta de 1832. Ele se casou com [9] Josefa Firmina de Rezende. Agricultores, moraram na fazenda dos Passos, em Madre de Deus de Minas, Minas Gerais e depois foram fazendeiros no Distrito de Tebas, no Município de Leopoldina, Minas Gerais. Era filho de [16] José de Souza Meirelles e de sua segunda mulher, [17] Ana Paulina de Rezende Reis, viúvo que ficara de seu primeiro casamento com dona Generosa Clementina Villela, filha legítima do alferes Domingos Villela e de Luiza Pulquéria dos Reis.112,114,165
9 – Josefa Firmina de Rezende. Casado com [8] Antônio Belizandro dos Reis Meirelles. Era filha legítima de [18] José Teixeira da Costa Guimarães e de [19] Maria Teobalda de Rezende.112,114,165
10 – José Lúcio Carneiro.165
11 – Helena Eufrosina.165
12 – Francisco Barbosa de Castro. Casado com [13] Maria Ricardina da Fonseca. Filho legítimo de [24] Felipe Barbosa de Castro e de [25] Maria Francisca da Assunção.202,203
13 – Maria Ricardina da Fonseca. Natural de Diamantina, Minas Gerais. Casada com [12] Francisco Barbosa de Castro.202,203
14 – João Lopes de Faria Filho. Era casado com [15] Minervina Augusta Vieira. Família povoadora de Taruaçu, no Município de São João Nepomuceno, Minas Gerais.202
15 – Minervina Augusta Vieira. Casada com [14] João Lopes de Faria Filho.202
Trisavós:
16 – José de Souza Meirelles. Nascido por volta de 1795. Casou-se duas vezes. Após ficar viúvo de sua primeira mulher, Clementina Generosa Villela; contraiu segundo matrimônio com [17] Ana Paulina de Rezende Reis, que faz parte deste costado. Família estabelecida em São José do Favacho, atual Cruzília, Minas Gerais. Era filho legítimo de [32] João de Souza Meirelles, natural da freguesia de Sernandes, Felgueiras, Portugal, e de dona [33] Mariana Antônia de Jesus, natural de São João del-Rei, Minas Gerais, que faleceu em 29-05-1822. Neto paterno de [64] João de Souza e de sua mulher, dona [65] Joana Meirelles, ambos naturais e casados em Portugal. Neto materno do capitão, [66] José Garcia Duarte e de sua mulher, dona [67] Ana Maria Duarte — "Ana do Angaí", casada em 29-03-1760, sábado, na capela de São Miguel do Cajuru, Minas Gerais e falecida em 09-03-1826, quinta-feira, na sede de sua fazenda no atual Município de Cruzília, Minas Gerais.112,114,121,165
17 – Ana Paulina de Rezende Reis. Era irmã da [19] Maria Teobalda de Rezende. Foi segunda mulher de [16] José de Souza Meirelles, e fazendeiros na região de Cruzilia, Minas Gerais. Era filha legítima de [34 e 38] Antônio dos Reis e Silva (1760—08-05-1841), natural de São João del-Rei, Minas Gerais, e de [35 e 39] Maria Clara de Rezende, nascida no dia 08-05-1780, segunda-feira, em Prados, Minas Gerais. Neta paterna de [68 e 76] Domingos dos Reis e Silva, natural da freguesia de São Bartolomeu de Bessa, Termo de Montealegre, Arquidiocese de Braga, Portugal, e de sua mulher, [69 e 77] Andreza Dias de Carvalho, nascida em 1734, na região de Barbacena, Minas Gerais, onde se casou, com 14 anos de idade, no dia 19-05-1749, segunda-feira. Neta materna do coronel, [70 e 78] Severino Ribeiro (08-06-1726—21-12-1800), natural de Santa Maria de Loures, Lisboa, Portugal, e falecido na sede da fazenda Cachoeira, em Lagoa Dourada, Minas Gerais, e de sua mulher, [71 e 79] Josefa Maria de Rezende (05-02-1743—29-05-1825), nascida em Lagoa Dourada, Minas Gerais, casada no dia 26-09-1764, quarta-feira e falecida em São João del-Rei.30,112,113,114,117,121,165
18 – José Teixeira da Costa Guimarães. Casado com dona [19] Maria Teobalda de Rezende. Filho legítimo de [36] Mathias da Costa Guimarães e de [37] Maria Josefina Teixeira, casada em Madre de Deus de Minas. Neto paterno do alferes [72] Domingos da Costa Guimarães e de sua mulher, [73] Rita de Souza Nascimento, casada em 02-05-1746, segunda-feira, em São João del-Rei, Minas Gerais.112,117
19 – Maria Teobalda de Rezende. Irmã da [17] Ana Paulina de Rezende Reis. Casada com [18] José Teixeira da Costa Guimarães. Era filha legítima de [34 e 38] Antônio dos Reis e Silva e de [35 e 39] Maria Clara de Rezende; neta paterna de [68 e 76] Domingos dos Reis e Silva e de sua mulher, [69 e 77] Andreza Dias de Carvalho, e materna do coronel [70 e 78] Severino Ribeiro e de sua mulher, [71 e 79] Josefa Maria de Rezende.30,112,114,117,165
24 – Felipe Barbosa de Castro. Casado com dona [25] Maria Francisca da Assunção. O casal se transferiu para Muniz Freire, Espírito Santo, com os familiares da esposa.202
25 – Maria Francisca da Assunção.202
Arthur Bernardes de Castro Meirelles e Maria Dahyl de Castro Meirelles tiveram três filhos.
V-1 Carlos Rubens de Castro Meirelles. Nascido no dia 21-06-1972, quarta-feira, em Leopoldina, Minas Gerais. Faleceu no dia 15-09-1990, sábado, em hospital na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, em consequência de acidente automobilístico ocorrido em Leopoldina, no trevo da rodovia de Cataguases. Tinha exatos 18 anos, 2 meses e 25 dias de idade, e cursava o primeiro ano de Medicina Veterinária, da Universidade Federal de Viçosa. Era solteiro.50
V-2 Leonardo de Castro Meirelles. Natural da cidade de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Agropecuarista, casou-se nesta mesma localidade, com sua conterrânea Beatriz Brum Fonseca, que adotou o nome de Beatriz Brum Fonseca Meireles. Ela, filha legítima de Erli Pinto Fonseca e de Arlete da C. Brum. O casal tem duas filhas.50,231
VI-1 Julia.231
VI-2 Manuela.231
V-3 Karine de Castro Meirelles. Ela é médica veterinária, natural de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Casou-se nesta mesma localidade, na família Vieira; sendo Karine de Castro Meirelles Vieira, o seu nome de casada.50,231
VI-1 Zoé.231
IV-13 Maria Therezinha Siqueira Castro. Ela, nascida na sede da fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Formada no curso de Normalista. Casou-se no ano de 1989, nesta mesma Cidade, com o viúvo, Paulo Roberto da Rocha, comerciante, filho legítimo de Ismael Neto da Rocha Filho e de Helena Gomes Rocha. O seu nome de casada é: Maria Therezinha Siqueira de Castro Rocha. Ela desempenha cargo de secretária em Leopoldina, onde reside. O casal possui apenas uma filha.50,81,130
V-1 Laura de Castro Rocha.50


Nenhum comentário: